Fatores associados à dor musculoesquelética em estudantes de enfermagem

Bruna Xavier Morais, Tânia Solange Bosi de Souza Magnago, Graziela Maria Rosa Cauduro, Graziele de Lima Dalmolin, Cecília Mariane Pinheiro Pedro, Naiane Glaciele da Costa Gonçalves

Resumo


Objetivo: verificar a prevalência e fatores associados à dor musculoesquelética em estudantes de enfermagem. Método: estudo transversal, realizado em 2014, com 149 estudantes de enfermagem de uma universidade pública no Sul do Brasil. Utilizou-se questionário com questões sociodemográficas, acadêmicas, de saúde e a versão brasileira do Standardized Nordic Questionnaire. A associação foi estimada pela Odds Ratio e seus intervalos de confiança. Resultados: nos últimos sete dias, predominou dor musculoesquelética na região lombar (61,1%) e pescoço (54,4%). Observou-se associação de dor na região do pescoço com o uso de bebida alcoólica (OR=2,84; IC95%=1,28-6,29), nas pernas com fazer vivências acadêmicas (OR=2,03; IC95%=1,05–4,00), e nos ombros com não realizar atividade física (OR=2,13; IC95%=1,01– 4,45) e não ter tempo para o lazer (OR= 2,08; IC95%= 1,03–4,22). Conclusões: devido ao elevado percentual de dor musculoesquelética, faz-se necessária adoção de medidas de prevenção desse agravo ainda na academia.

Palavras-chave


Enfermagem; Estudantes de enfermagem; Dor musculoesquelética

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2179769226442