Método canguru: percepções da equipe de enfermagem em terapia intensiva neonatal

Gabriela Vieira Mantelli, Márcia Rejane Strapasson, Aline Aparecida Pierotto, Jenifer Miguel Renosto, Juliana Fernandes Silva

Resumo


Objetivo: conhecer a percepção da equipe de enfermagem de um hospital privado quanto à prática do Método Canguru, implementada durante a internação de recém-nascidos na Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal. Método: estudo qualitativo, exploratório e descritivo, realizado na Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal em um hospital  privado de Porto Alegre/RS. Participaram 15 profissionais da equipe de enfermagem, por meio de entrevista semiestruturada. Resultados: emergiram quatro categorias: a percepção da equipe de enfermagem quanto à prática do Método Canguru; as dificuldades encontradas no processo de implementação dessa prática; os benefícios encontrados no processo de implementação desse método; e as contribuições da equipe de enfermagem neonatal na implementação do método. Conclusão: a proposta do Método Canguru requer mudanças de paradigmas relativos ao cuidado humanizado do recém-nascido prematuro e de baixo peso.


Palavras-chave


Método Canguru; Enfermagem neonatal; Prematuro; Humanização da assistência; Enfermagem

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5902/2179769221182



Licença Creative Commons
Este site está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.