GESTÃO DOS RESÍDUOS E REJEITOS SÓLIDOS INDUSTRIAIS: A CONJUNTURA DOS PÓLOS CALÇADISTAS BRASILEIROS

Elias Antonio Vieira, Agnaldo de Souza Barbosa

Resumo


http://dx.doi.org/10.5902/223613087643

Neste estudo se trabalharam os conceitos de Produção, Consumo, Modelo de Produção e Consumo Industrial e suas relações com o contexto dos resíduos e rejeitos sólidos industriais no Brasil e em pólos de calçados brasileiros. Igualmente caracterizaram-se estes conceitos e os impactos ambientais decorrentes dos resíduos e rejeitos como partes do mesmo fenômeno. Também se verificou que o emprego, ou não, de métodos e técnicas de gerenciamento depende dos valores da cultura empresarial predominante no setor. Além disso, atuam como fator limitante desse procedimento o custo da logística; a implantação incipiente do conceito de consórcio de empresas, para seu tratamento. Nos pólos brasileiros de calçados analisados a periculosidade dos seus resíduos e rejeitos é semelhante à dos demais ramos industriais do país. E o conceito de valorização é aplicado com maior ênfase nos pólos de Birigui (SP), Nova Serrana (MG) e Novo Hamburgo (RS). Fato este provavelmente ligado ao rigor da legislação local, estágio de fiscalização ambiental e mobilização dos atores interessados na solução da problemática social, ambiental e econômica desses materiais.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/223613087643

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.