Avaliação de impactos ambientais: estudo de caso no cemitério público do município de Queimadas - PB

Pedro José Aleixo dos Santos, Claudeam Martins da Gama, Lívia Poliana Santana Cavalcante, Vera Lúcia Antunes de Lima

Resumo


É inegável a importância do cemitério para a sociedade, seja do ponto de vista cultural, espiritual, sanitário, entretanto, por se tratar de um empreendimento que oferece alto risco de poluição ao meio ambiente e impacto psicológico à população é motivo de polêmica e preocupação por parte de vários setores da sociedade. Diante deste contexto, este estudo tem como objetivo descrever e avaliar os impactos ambientais provenientes das atividades sepultamento realizados no cemitério público no município de Queimadas – PB. Adotou-se como instrumentos de pesquisa: visitas in loco, através da qual foi realizada a observação direta e registro fotográfico do cemitério em estudo, bem como conversas informais com moradores residentes próximos ao empreendimento. Os resultados foram quantificados através de uma Matriz de Leopold adaptada, na qual foram consideradas as dimensões físicas, químicas, biológicas e antropológicas da localidade estudada. Considerando as atividades sepulcrais no cemitério público municipal da cidade de Queimadas, é possível apontar que, mesmo em condições adversas no âmbito físico, como por exemplo, quando se trata do relevo do terreno, a implementação de suas atividades é considerada viável, visto que no contexto histórico da urbanização da cidade em que está localizado, suas atividades precederam a construção de residências e pavimentação de seu entorno, no entanto, neste quesito, considera-se como relevante a adoção de estratégias para a drenagem e pré-tratamento do necrochorume gerado a partir da decomposição dos finados sepultados.


Palavras-chave


avaliação de impactos ambientais

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236130818683

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.