GÊNERO E GESTÃO INTEGRADA DOS RECURSOS HÍDRICOS E SANEAMENTO: APROXIMAÇÕES DA REALIDADE CABO-VERDIANA E BRASILEIRA

Karla Emmanuela Ribeiro Hora, Paulo Sergio Scalize, Claudio Alves Furtado, Luis Jorge Monteiro Fernandes

Resumo


A precariedade do saneamento contribui para agravar a situação de vulnerabilidade social em que muitas mulheres se encontram, destacando-se aquelas localizadas nas periferias urbanas, comunidades rurais ou assentamentos precários. Para superar tais situações, alternativas têm sido adotadas e debatidas em pequenas comunidades e/ou agrupamentos rurais e em áreas Peri urbanas no sentido de favorecer o acesso a água e ao esgotamento sanitário. Grande parte das experiências revela a importância da mobilização social e das comunidades locais e, principalmente, da participação ativa das mulheres nos processos de gestão integrada dos recursos hídricos. Diante tal cenário, o presente estudo tem por objetivo refletir sobre os processos e instrumentos de planejamento e gestão integrada dos recursos hídricos e de saneamento que incorporam a dimensão de gênero nos contextos cabo-verdiano e brasileiro. A metodologia baseou-se em visitas de observação em Cabo Verde e em áreas rurais no Estado de Goiás, Brasil.

Palavras-chave


Gênero; Recursos Hídricos; Saneamento; Cabo Verde; Brasil

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236130816697

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.