Fragmentum 20 anos!!!

Autores

  • SCHERER, Amanda Eloina. UFSM

DOI:

https://doi.org/10.5902/2179219469151

Palavras-chave:

Fragmentum 20 anos, número comemorativo, periódico UFSM

Resumo

Nunca é tarde para festejar. Festejar faz parte da vida. Festejar faz parte do homem. Do sujeito, pelo rememorar. Festejar faz parte de nossas relações sociais e linguageiras. Festejando comemoramos, jubilamos, alegramo-nos. Por outro lado, não existe festejo sem união, sem adesão, sem um congraçar, sem o celebrar. Festejar, no que lhe toca, faz parte também daquele sopro de luz que, em momentos difíceis, nos ajudam a lembrar o que de bom ficou e o que ainda de melhor poderá ad+vir. Festejar não quer dizer o futuro como obrigação, como uma miríade de progresso sempre em andamento. Festejar quer dizer experienciar o tempo mais ativamente, onde os acontecimentos não acontecem apenas no tempo, mas antes pelo tempo (HARTOG, 2003) e a história não seria apenas um relato qualquer somando os dados e os fatos, muito menos como um modelo a seguir, mas como aquele afeto que nos instiga e nos potencializa a todo o momento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AB’SABER, Aziz Nacib. Os domínios de natureza no Brasil: potencialidades paisagísticas.a São Paulo: Atelier Editorial, 2021.

BACHELARD, Gaston. A formação do espírito científico. Tradução de Esteia dos Santos Abreu. Rio de Janeiro: Contraponto Editora LTDA, 1996. e

DESCARTES, René (1628-29). Regras para a orientação do espírito. 2ª ed. Tradução de M. E. Galvão. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

GUILHAUMOU, Jacques. Le corpus en analyse de discours : perspective historique. Corpus, n. 1, p. 1-18, 2002. Disponível em : https://journals.openedition.org/corpus/8. Acesso em : 12 mai. 2021.

HARTOG, François. Régimes d’Historicité. Paris: Éditions du Seuil, coll. La librairie du XXI Siècle, 2003.

HARTOG, François. Regime de Historicidade Disponível em: https://files.cercomp.ufg.br/weby/up/113/o/Fran%C3%A7ois_Hartog_-_Regime_de_Historicidade_(1).pdf. Acesso em: 12 mai. 2021.

RANCIÈRE, Jacques. As margens da ficção. Tradução de Fernando Scheibe. São Paulo: Editora 34, 2021.

RANCIÈRE, Jacques. O espectador emancipado. Tradução de Ivone C. Benedetti. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2012.

Downloads

Publicado

2022-02-04

Como Citar

SCHERER, A. E. . (2022). Fragmentum 20 anos!!!. Fragmentum, (58). https://doi.org/10.5902/2179219469151

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

> >>