Crescimento e eficiência do uso da água de plantas jovens de castanheira-daamazônia em área degradada e submetidas à adubação

Marciel José Ferreira, José Francisco de Carvalho Gonçalves, João Baptista Silva Ferraz

Resumo


http://dx.doi.org/10.5902/198050985747

O objetivo deste trabalho foi analisar as taxas de crescimento absoluto (TCA), as trocas gasosas foliares e o potencial hídrico foliar (YW) de plantas jovens de castanheira-da-Amazônia (Bertholletia excelsa Humb. & Bonpl.), quando submetidas a tratamentos de adubação (química ou verde), comparados com tratamento sem adubação, para restauração de área degradada na Amazônia central. Os tratamentos aplicados foram: controle (sem adubação), adubação química (Ouromag®) e adubação verde (fragmentos de galhos e folhas). A TCA em diâmetro e altura, no tratamento com adubação verde, foi cerca de 12 vezes superior ao controle. O YW atingiu na antemanhã o valor máximo de -0,19 MPa e ao meio-dia o valor mínimo de -2,8 MPa, ambos no tratamento com adubação verde. A eficiência intrínseca no uso da água (EIUA) não exibiu diferenças entre os tratamentos. Ao contrário da eficiência no uso da água (EUA), que, nos tratamentos com adubação verde e química, foram observados aumentos de 66 e 38%, respectivamente, em relação ao controle. Portanto, conclui-se que os tratamentos de adubação, especialmente a adubação verde, devido a melhorias que proporciona no uso dos recursos primários, bem como a água, desempenham papel importante no crescimento de plantas de Bertholletia excelsa na fase jovem de plantios florestais sobre área degradada na Amazônia.

Palavras-chave


taxa de crescimento absoluto; potencial hídrico foliar; Bertholletia excelsa; espécie arbórea tropical

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/198050985747

Licença Creative Commons