Avaliação da amostragem aleatória de ramos para quantificar a produção de frutos de Caryocar brasiliense Camb. (Caryocaraceae).

Lívia Marques Borges, Alba Valéria Rezende, Gilciano Saraiva Nogueira

Resumo


http://dx.doi.org/10.5902/198050985084

Estudos sobre técnicas de amostragem adequadas e precisas para quantificar a produção de frutos de espécies nativas do Cerrado ainda são muito raros, o que configura uma lacuna para a formulação de Planos de Manejo Sustentáveis para o Bioma. Este estudo foi realizado em uma área de cerrado sensu stricto, localizada na Reserva Ecológica e Experimental da Universidade de Brasília, Distrito Federal, com o objetivo de avaliar a eficiência da amostragem aleatória de ramos para quantificar a produção de frutos de Caryocar brasiliense Camb. (pequi). Na área de cerrado sensu stricto previamente inventariada floristicamente, foi selecionado um indivíduo de Caryocar brasiliense em período de frutificação para aplicação da amostragem aleatória de ramos. A produção de frutos foi estimada pelo método de amostragem aleatória de ramos, testada por duas técnicas de seleção de ramos: probabilidade uniforme e probabilidade proporcional ao diâmetro do ramo. A validação do método foi feita pela comparação com a produção real quantificada pelo censo dos frutos. O erro de amostragem para uma intensidade amostral de dez caminhos foi igual a 99,92 % usando a técnica de probabilidade uniforme para seleção de ramos e igual a 61,45 % usando a técnica de probabilidade proporcional ao diâmetro. Concluiu-se que a amostragem aleatória de ramos, empregando as técnicas de probabilidade uniforme e de probabilidade proporcional ao diâmetro, foi imprecisa e inexata para o caso estudado. Por essa razão, é necessário realizar novos estudos e propor modificação na técnica de amostragem aleatória de ramos que permita gerar estimativas da produção de frutos de Caryocar brasiliense com pequeno erro de tendência e de amostragem.


Palavras-chave


amostragem aleatória de ramos; cerrado sensu stricto; Caryocar brasiliense; amostragem de produtos florestais não madeireiros

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/198050985084

Licença Creative Commons