MÉTODOS DE CONTROLE DE BRAQUIÁRIA (Urochloa decumbens Stapf.) EM ÁREA DE RESTAURAÇÃO ECOLÓGICA DE MATA RIPÁRIA, DF

Juliene Brito Martins Barbosa, Willian Barros Gomes, Juaci Vitória Malaquias, Fabiana de Gois Aquino, Lidiamar Barbosa de Albuquerque

Resumo


Embora o capim braquiária seja uma importante forrageira para muitas regiões do Brasil, quando ocorre em áreas nativas, representa problema para o funcionamento dos ecossistemas naturais e ameaça a diversidade vegetal, ao alterar o estabelecimento de espécies nativas. O objetivo do trabalho foi avaliar três métodos de controle do capim braquiária (Urochloa decumbens Stapf.), utilizando plantas de cobertura e manta plástica, em área em processo de restauração ecológica, às margens do córrego Ponte Alta, DF. Os tratamentos foram instalados em março/2013 (1º) e dezembro/2013 (2º), como seguem: T1 - plantio de mudas de amendoim-forrageiro (Arachis pintoi Krapov. & W.C. Greg.); T2 - manta plástica; T3 - semeadura a lanço do cultivar estilosantes Campo Grande (Stylosanthes capitata Vogel + Stylosanthes macrocephala M.B. Ferreira & Sousa Costa) e T4 - testemunha, com delineamento em três blocos completos casualizados, em fatorial (4 tratamentos x 2 períodos). Foi realizado o monitoramento mensal da percentagem de cobertura das plantas. A percentagem de cobertura foi comparada entre os dois períodos e entre os tratamentos por meio da ANOVA e do teste Tukey. No primeiro período, não houve diferenças significativas na cobertura de braquiária entre os tratamentos, exceto para a testemunha que foi maior (88,85%). No segundo período, os tratamentos se diferenciaram entre si, com menor cobertura de braquiária com a manta plástica (11,65%), seguida do tratamento com estilosantes (19%). Os tratamentos com uso de manta plástica e semeadura de estilosantes (em alta densidade) foram mais eficientes para o controle da braquiária. Espécies nativas com potencial para o controle de espécies exóticas agressívas podem auxiliar o processo de restauração ecológica.


Palavras-chave


plantas invasoras e exóticas; Arachis; Stylosanthes; manta plástica.

Texto completo:

PDF

Referências


ALCÂNTARA, A. F. et al. Adubação verde na recuperação da fertilidade de um latossolo vermelho – escuro degradado. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 35, n. 2, p. 277-288, 2000.

ANDRADE, C. M. S.; ASSIS, G. M. L.; SALES, M. F. L. Estilosantes Campo Grande: leguminosa forrageira recomendada para solos arenosos do Acre. Rio Branco: Embrapa Acre, 2010. 12 p. Comunicado técnico, 55).

ANDRADE, R. P.; KARIA, C. T. Uso de Stylosanthes em pastagens no Brasil. In: SIMPÓSIO DE FORRAGICULTURA E PASTAGENS, 2000, Lavras. Anais... Lavras: Universidade Federal de Lavras, 2000.

BARCELLOS, A. O. et al. Potencial e uso de leguminosas forrageiras dos gêneros Stylosanthes, Arachis e Leucaena. In: SIMPÓSIO SOBRE MANEJO DE PASTAGEM, 17., 2000, Piracicaba. Anais... Piracicaba: FEALQ, 2001.

BARCELLOS, A. O. et al. Sustentabilidade da produção animal baseada em pastagens consorciadas e no emprego de leguminosas exclusivas, na forma de banco de proteína, nos trópicos brasileiros. Revista Brasileira de Zootecnia, Viçosa, MG, v. 37, p. 51-67, 2008.

BOSSARD, C. C.; RANDALL, J. M.; HOSHOVSKY, M. C. (Ed.). Invasive plants of California’s wildlands. Berkeley: University of California Press, 2000. 360 p.

CAVA, M. G. B. et al. Comparação de técnicas para restauração da vegetação lenhosa de Cerrado em pastagens abandonadas. Hoehnea, São Paulo, v. 43, n. 2, p. 301-315, 2016.

COSTA, L. C.; SARTORI, A. L. B.; POTT, A. Estudo taxonômico de Stylosanthes (Leguminosae-Papilionoideae-Dalbergieae) em Mato Grosso do Sul, Brasil. Rodriguésia, Rio de Janeiro, v. 59, p. 547-572, 2008.

EMBRAPA. Cultivo e uso do Estilosantes-campo-grande. Campo Grande: Embrapa Gado de Corte, 2007. 11 p. (Comunicado técnico, 105).

FIGUEIREDO, J. B. R. et al. Comparação de diferentes técnicas de combate a braquiária (Urochloa decumbens) em baixada alagável no Parque Nacional da Serra do Cipó, MG. In: CONGRESSO DE ECOLOGIA DO BRASIL, 9., 2009, São Lourenço. Anais... São Lourenço: Sociedade Brasileira de Ecologia, 2009. p. 1-3.

FLORIDO, F. G. Controle de plantas competidoras na restauração ecológica. 2015. 133 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade de São Paulo, Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Piracicaba, 2015.

GIESY, J. P.; DOBSON, S.; SOLOMON, K. R. Ecotoxicological risk assessment for roundup herbicide. Reviews of Environmental Contamination and Toxicology, New York, v. 167, p. 35-120, 2000.

INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA. Inmet. 2014. Disponível em: . Acesso em: 13 jan. 2014.

KARIA, C. T.; ANDRADE, R. P. Avaliação preliminar de espécies forrageiras no Centro de Pesquisa Agropecuária dos Cerrados: perspectivas futuras. In: SIMPOSIO SOBRE O CERRADO, 8.; INTERNATIONAL SYMPOSIUM ON TROPICAL SAVANNAS, 1996, Brasília. Anais... Planaltina: EMBRAPA; CPAC, 1996. p. 471-475.

KARIA, C. T. et al. Caracterização morfológica de acessos do gênero Stylosanthes no banco ativo de germoplasma da Embrapa Cerrados - Coleção 1994/1995. Planaltina: Embrapa Cerrados, 2002. (Boletim de desenvolvimento e pesquisa, 72).

KLIPPEL, V. H. et al. Avaliação de métodos de restauração florestal de Mata de Tabuleiros-ES. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 39, n. 1, p. 69-79, 2015.

KRAPOVICKAS, A.; GREGORY, W. C. Taxonomia del género Arachis Leguminosae. Bonplandia, Corrientes, v. 8, p. 1-186, 1994.

LEWIS, G. L.; MACKINDER, B.; LOCK, M. Legumes of the world. [s. l.]: Royal Botanic Gardens, 2005. 578 p.

LIMA, J. A. et al. Amendoim forrageiro (Arachis pintoi Krapov & Gregory). Lavras: Editora UFLA, 2003. (Boletim de extensão).

MANTOANI, M. C.; DIAS, J.; TOREZAN, J. M. D. Roçagem e aplicação de herbicida para controle de Megathyrsus maximus: danos sobre a vegetação preexistente em um reflorestamento de 20 anos. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 26, n. 3, p. 839-851, 2016.

MARTINS, A. F. Controle de Urochloa decumbens Stapf em área de restauração ecológica com plantio total, Floresta Estacional Semidecidual, Itu-SP. 2011. 112 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade de São Paulo, Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Piracicaba, 2011.

MARTINS, C. R.; LEITE, L. L.; HARIDASAN, M. Capim-gordura (Melinis minutiflora P. Beauv.), uma gramínea exótica que compromete a recuperação de áreas degradadas em unidades de conservação. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 28, n. 5, p. 739-747, 2004.

MIYASAKA, S. et al. Histórico de estudos de adubação verde, leguminosas viáveis e suas caraterísticas. In: FUNDAÇÃO CARGILL. A adubação verde no Brasil. Campinas: Fundação Cargill, 1984. p. 64-123.

MONTENEGRO, R.; PINZÓN, B. Maní forrajero (Arachis pintoi Krapovickas e Gregory): una alternativa para el sostenimiento de la ganaderia en Panamá. Panamá: IDIAP, 1997. 20 p.

NAVE, A. G. et al. Descrição das ações operacionais de restauração. In: RODRIGUES, R. R.; BRANCALION, P. H. S.; ISERNHAGEN I. (Org.). Pacto pela restauração da Mata Atlântica: referencial dos conceitos e ações de restauração florestal. São Paulo: Instituto Bio Atlântica, 2009. v. 1.

PEREIRA, J. R.; CAMPOS, A. T. Controle da braquiária como invasora. Juiz de Fora: Embrapa Gado de Leite, 2001. (Instrução técnica para o produtor de leite, 26).

PHENGSAVANH, P.; LEDIN, I. Effect of stylo 184 (Stylosanthes guianensis CIAT 184) and gamba grass (Andropogon gayanus cv. Kent) in diets for growing goats. Livestock Research for Rural Development, Cali, v. 15, n. 10, 2003. Disponível em: . Acesso em: 13 dez. 2011.

PIVELLO, V. R. Invasões biológicas no cerrado brasileiro: efeitos da introdução de espécies exóticas sobre a biodiversidade. Ecologia Info, Sweden, n. 33, 2011.

REATTO, A. Caracterização de solos em três áreas de matas ripárias em processo de restauração ecológica no Distrito Federal. Planaltina: Embrapa Cerrados, 2013. 13 p. (Relatório da Embrapa Cerrados).

RINCÓN, C. A. et al. Maní forrajero perenne (Arachis pintoi Krapovickas e Gregory): uma alternativa para ganaderos e agricultores. Bogotá: Instituto Colombiano Agropecuário, 1992. 23 p. (Boletín Técnico, 219).

RODRIGUES, E. R. Controle biológico de Brachiaria decumbens Stapf em área de reserva legal em processo de recuperação, na região do Pontal do Paranapanema, São Paulo, Brasil. 2010. 77 f. Tese (Doutorado) – Universidade Estadual Paulista, Instituto de Biociências de Rio Claro, Rio Claro, 2010.

RODRIGUES, J. E. L. F. et al. A importância do feijão de porco (Canavalia Ensiformis DC.) como cultura intercalar em rotação com milho e feijão cauoi em cultivo de coqueirais no Município de Ponta de Pedras/Marajó – PA. Belém: Embrapa Amazônia Oriental, 2004. 4 p. (Comunicado Técnico, 96).

SAMPAIO, A. B.; HOLL, K. D.; SCARIOT, A. Regeneration of seasonal deciduous forest tree species in long-used pastures in Central Brazil. Biotropica, Washington, v. 39, n. 5, p. 655-659, 2007.

SAMPAIO, R. A.; ARAÚJO, W. F. Importância da cobertura plástica do solo sobre o cultivo de hortaliças. Agropecuária Técnica, Areia, v. 22, n. 1/2, p. 1-12, 2001.

SANTANA, R. R. et al. Potential of trees, grasses, and turf legumes for restoring eroded soils. Communications in Soil Science and Plant Analysis, New York, v. 34, n. 15-16, p. 2149-2162, 2003.

SILVEIRA, E. R. et al. Controle de gramíneas exóticas em plantio de restauração do Cerrado. In: DURIGAN, G.; RAMOS, V. S. (Org.). Manejo adaptativo: primeiras experiências na restauração de ecossistemas. São Paulo: Páginas & Letras, 2013. v. 1. p. 5-7.

TOREZAN, J. M. D.; MANTOANI, M. C. Controle de gramíneas no subosque de florestas em restauração. In: DURIGAN, G.; RAMOS, V. S. (Org.). Manejo adaptativo: primeiras experiências na restauração de ecossistemas. São Paulo: Páginas & Letras, 2013. v. 1. p. 1-4.

TUFFI SANTOS, L. D. et al. Exsudação radicular do glifosato por Brachiaria decumbens e seus efeitos em plantas de eucalipto e na respiração microbiana do solo. Planta Daninha, Viçosa, MG, v. 23, n. 1, p. 143-152, 2005.

VALLS, J. F. M.; MAASS, B. L.; LOPES, C. R. Genetic resources of wild Arachis and genetic diversity. In: KERRIDGE, P. C.; HARDY, B. (Ed.). Biology and agronomy of forage Arachis. Cali: CIAT, 1994. p. 28-42.

WAGNER, V.; NELSON, C. R. Herbicides can negatively affect seed performance in native plants. Restoration Ecology, Washington, n. 22, p. 288-291, 2014.

WILLIAMS, G. M.; KROES, R.; MUNRO, I. C. Safety evaluation and risk assessment of the herbicide roundup and its active ingredient, glyphosate, for humans. Regulatory Toxicology and Pharmacology, Orlando, v. 31, p. 117-165, 2000.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1980509835096

Licença Creative Commons