COMPORTAMENTO DO FOGO EM DIFERENTES PERÍODOS E CONFIGURAÇÕES DE UMA PAISAGEM NO NORDESTE DE PORTUGAL

Simone Rodrigues de Magalhães, Carlos Antonio Alvares Soares Ribeiro, João Carlos Martins de Azevedo, José Manuel Correia dos Santos Ferreira, Paulo Alexandre Martins Fernandes, Carlos Alberto Rodrigues Loureiro da Silva, Helena Margarida Pires Pinheiro

Resumo


Neste trabalho aborda-se a importância do planejamento do uso e ocupação do solo, e do manejo dos sistemas florestais na redução do perigo de incêndio, analisando-se o comportamento do fogo em relação às alterações na paisagem da Deilão, nordeste de Portugal. Foram utilizadas cadeias de Markov e modelos de autômatos celulares como metodologia para projetar a paisagem no futuro. FlamMap foi utilizado para simular o comportamento do fogo. De acordo com as métricas da paisagem obtidas no Fragstats, observou-se que os cenários e projeções em Deilão têm uma tendência à simplificação da paisagem, o que pode facilitar a ocorrência de incêndios maiores e mais graves. A análise dos resultados indicou uma tendência ao aumento do perigo de incêndios na região, em grande parte, ocasionado pela expansão de plantações contínuas de florestas. Para evitar tais impactos, o manejo florestal e ordenamento da paisagem devem ser modificados a fim de se reduzir o acúmulo de materiais combustíveis.


Palavras-chave


cadeias de Markov; autômatos celulares; ecologia de paisagens, manejo florestal.

Texto completo:

PDF

Referências


AGROCONSULTORES; COBA. Carta dos solos, Carta do Uso Actual da Terra e Carta da Aptidão da Terra do Nordeste de Portugal. Memórias. Vila Real: Projecto de desenvolvimento rural integrado de Trás-os-Montes e Alto Douro, Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, 1991. 114 p.

ALEXANDER, M. E.; LANOVILLE, R. A. Predicting fire behavior in the Black Spruce-Lichen Woodland fuel type of Western and Northern Canada. For Smith: Territorial Forest Fire Centre, 1989. 17 p.

ANDERSON, H. E. Aids to determining fuel models for estimating fire behavior. Ogden: Intermountain Forest and Range Experiment Station Ogden, 1982. 22 p.

ANDREWS, P. L.; ROTHERMEL, R. C. Charts for interpreting wildland fire behavior characteristics. Ogden: Intermountain Forest and Range Experiment Station, 1982. 21 p.

AZEVEDO, J. C. et al. Agriculture abandonment, land-use change and fire hazard in mountain landscapes in Northeastern Portugal. In: LI, C.; LAFORTEZZA, R.; CHEN, J. (Eds.). Landscape ecology in forest management and conservation: challenges and solutions for global change. New York: Springer, 2011. p. 329-351.

BERNARDES, F. G. A futura paisagem da Terra Fria Transmontana. 2005. 92 f. Dissertação (Mestrado em Gestão e Conservação da Natureza) – Instituto Politécnico de Bragança, Bragança, 2005.

CAETANO, M.; NUNES, V.; ARAÚJO, A. Manual da carta de ocupação do solo de 2005 para Portugal continental. Lisboa: Instituto Geográfico Português, Grupo de Detecção Remota, 2006. 59 p.

FERNANDES, P. A. M. Silvicultura preventiva e gestão de combustíveis: opções e optimização. In: SANTOS, P. J. M. et al. (Eds.). Incêndios florestais em Portugal: caracterização, impactes e prevenção. Lisboa: ISA Press, 2006. p. 327-354.

FINNEY, M. A. Design of regular landscape fuel treatment patterns for modifying fire growth and behavior. Forest Science, Bethesda, v. 47, p. 219-228, 2001.

FRANDSEN, W.; ANDREWS, P. L. Fire behavior in nonuniforme fuels. Ogden: Intermountain Forest and Range Experiment Station, 1979. 34 p.

HOPKINS, A. Mountainous farming in Europe. In: SYMPOSIUM OF THE EUROPEAN GRASSLAND FEDERATION: GRASSLAND FARMING AND LAND MANAGEMENT SYSTEMS IN MOUNTAINIOUS REGIONS, 16., 2011. Proceedings… Irdning: Agricultural Research and Education Centre, 2011. p. 3-12.

LLORET, F. et al. Wildfires and landscape patterns in the Eastern Iberian Peninsula. Landscape Ecology, Dordrecht, v. 17, n. 8, p. 745-759, 2002.

MCGARIGAL, K.; MARKS, B. J. Fragstats: spatial pattern analysis program for quantifying landscape structure. Portland: Pacific Northwest Research Station, 1995. 122 p.

MOREIRA, F.; REGO, F. C.; FERREIRA, P. G. Temporal (1958–1995) pattern of change in a cultural landscape of northwestern Portugal: implications for fire occurrence. Landscape Ecology, Dordrecht, v. 16, n. 6, p. 557–567, 2001.

NUNES, J. R. S. FMA+ - Um novo índice de perigo de incêndios florestais para o estado do Paraná – Brasil. 2005. 119 f. Tese (Doutorado em Ciências Florestais) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2005.

PINHEIRO, H. M. P. Alteração do uso do solo e stocks de carbono na freguesia de Deilão, Bragança. 2009. 59 f. Dissertação (Mestrado em Gestão de Recursos Florestais) – Escola Superior de Agrária, Instituto Politécnico de Bragança, Bragança, 2009.

PYNE, J. S.; ANDREWS, P. L.; LAVEN, R. D. Introduction to wildland fire. 2. ed. New York: John Wiley & Sons, 1996. 808 p.

ROTHERMEL, R. C. A mathematical model for prediction fire spread in wildland fuel. Ogden: Intermountain Forest and Range Experiment Station, 1972. 40 p.

SAATY, T. L. Fundamentals of decision making and priority theory with the analytic hierachy process. Pittsburg: RWS Publications, 2000. 478 p.

SANG, L. et al. Simulation of land use spatial pattern of towns and villages based on CA–Markov model. Mathematical and Computer Modelling, Oxford, v. 54, p. 938-943, 2011.

VEGA-GARCIA, C.; CHUVIECO, E. Applying local measures of spatial heterogeneity to Landsat-TM images for predicting wildfire occurrence in Mediterranean landscapes. Landscape Ecology, Dordrecht, v. 21, n. 4, p. 595-605, 2006.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1980509827728

Licença Creative Commons