Florística, estrutura e formas de vida do estrato inferior de uma floresta ombrófila densa aluvial, Pará, Brasil

Elayne Oliveira Braga, Mário Augusto Gonçalves Jardim

Resumo


Este estudo teve como objetivo descrever a composição florística, a estrutura e as formas de vida do estrato inferior de uma floresta ombrófila densa aluvial na Área de Proteção Ambiental Ilha do Combu, Belém, Pará. Foram selecionadas quatro parcelas de 20 m x 20 m (0,16 ha) divididas em 1.289 subparcelas de 1 m². Foi classificada a categoria de tamanho e a forma de vida das espécies. Calculou-se a densidade, frequência, categoria de tamanho e regeneração natural relativa. A diferença de abundância, riqueza, índice de Shannon e equabilidade entre as categorias foi testada com ANOVA. Foram amostradas 33 famílias, 63 gêneros, 79 espécies e 26.885 indivíduos. Fabaceae, Araceae, Arecaceae, Acanthaceae e Meliaceae apresentaram maior riqueza. O Índice de Shannon e Equabilidade foram de 2,63 e 0,60, respectivamente para a área total. Pariana campestris e Anthurium sinuatum apresentaram maior densidade, categoria de tamanho e regeneração natural relativa. As herbáceas apresentaram maior porcentagem de indivíduos e regeneração natural relativa e as árvores a maior riqueza. CT1 (15 cm ≥ AT) foi diferente das demais categorias, apresentando menor abundância e riqueza. Conclui-se que a dominância de herbáceas em porcentagem de indivíduos e regeneração natural relativa e a menor abundância e riqueza na CT1 é consequência das atividades antrópicas realizadas como o manejo intensivo da palmeira-açaí (Euterpe oleracea Mart.) nas proximidades das áreas inventariadas.

Palavras-chave


Floresta de várzea; Inventário florístico; Estuário amazônico

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, A. F.; JARDIM, M. A. G. Florística e estrutura da comunidade arbórea de uma floresta de várzea na Ilha de Sororoca, Ananindeua, Pará, Brasil. Scientia Forestalis, Piracicaba, v. 39, n. 90, p. 191-198, jun. 2011.

ALMEIDA, S. S.; AMARAL, D. D.; SILVA, A. S. L. Análise florística e estrutura de florestas de várzea no estuário amazônico. Acta Amazonica, Manaus, v. 34, n. 4, p. 513-524, out./dez. 2004.

AMARAL, D. D. et al. The status of conservation of urban forests in eastern Amazonia. Brazilian Journal of Biology, São Carlos, v. 72, n. 2, p. 257-265, maio 2012.

ANGIOSPERM PHYLOGENY GROUP III. An update of the Angiosperm Phylogeny Group classification for the orders and families of flowering plants: APG III. Botanical Journal of the Linnean Society, London, v. 161, n. 2, p. 105-121, out. 2009.

APARICIO, P. S. et al. Níveis de regeneração natural em floresta de terra firme no Amapá Brasil. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 38, n. 4, p. 699-710, jul./ago. 2014.

AVILA, A. L. et al. Mecanismos de regeneração natural em remanescente de Floresta Ombrófila Mista, RS, Brasil. Cerne, Lavras, v. 19, n. 4, p. 621-628, out./dez. 2013.

BATISTA, F. J. et al. Comparação florística e estrutural de duas florestas de várzea no estuário amazônico, Pará, Brasil. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 35, n. 2, p. 289-298, mar./abr. 2011.

BATISTA, F. J.; JARDIM, M. A. G. Florística e estrutura da regeneração natural arbórea de uma floresta de várzea na Reserva Extrativista Chocoaré-Mato Grosso, Pará, Brasil. Biota Amazônia, Macapá, v. 3, n. 3, p. 139-145, 2013.

CAMPOS, E. P. et al. Chuva de sementes em Floresta Estacional Semidecidual em Viçosa, MG, Brasil. Acta Botanica Brasilica, São Paulo, v. 23, n. 2, p. 451-458, abr./ jun. 2009.

CARIM, M. J. V.; JARDIM, M. A. G.; MEDEIROS, T. D. S. Composição florística e estrutura de floresta de várzea no município de Mazagão, Estado do Amapá, Brasil. Scientia Forestalis, Piracicaba, v. 36, n. 79, p. 191-201, set. 2008.

CARVALHO, J. et al. Relações entre a distribuição das espécies de diferentes estratos e as características do solo de uma floresta aluvial no Estado do Paraná, Brasil. Acta Botanica Brasilica, São Paulo, v. 23, n. 1, p. 1-9, jan./mar. 2009.

COELHO, R. F. R. et al. Análise florística e estrutural de uma floresta em diferentes estágios sucessionais no município de Castanhal, Pará. Acta Amazonica, Manaus, v. 33, n. 4, p. 563-582, dez. 2003.

CONSERVA, A.; PIEDADE, M. T. F. Influence of flood-pulse and land-use on the composition of herbaceous species on a floodplain in Central Amazonia. Verhandlungen Internationale Vereinigung für Theoretische und Angewandte Limnologie, Stuttgart, v. 26, p. 994-995, mar. 1998.

FINOL, U. H. Nuevos parámetros a considerarse em el análisis estructural de las selvas vírgenes tropicales. Revista Florestal Venezolana, [s. l.], v. 14, n. 21, p. 29-42, 1971.

FOX, J. et al. Companion to Applied Regression: Package ‘car’. Disponível em: . Acesso em: 08 ago. 2015.

FRANCO, B. K. S. et al. Estrato de regeneração natural de um trecho de Floresta Estacional Semidecidual, Viçosa, MG. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 38, n. 1, p. 31-40, jan./fev. 2014.

FREITAS, M. A. B. et al. Floristic impoverishment of Amazonian floodplain forests managed for açaí fruit production. Forest Ecology and Management, Amsterdam, v. 351, n. 1, p. 20-27, sep. 2015.

GAMA, J. R. V.; BOTELHO, S. A.; BENTES-GAMA, M. M. Composição florística e estrutura da regeneração natural de floresta secundária de várzea baixa no estuário amazônico. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 26, n. 5, p. 559-566, set./out. 2002.

GAMA, J. R. V. et al. Estrutura e potencial futuro de utilização da regeneração natural de floresta de várzea alta no município de Afuá, Estado do Pará. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 13, n. 2, p. 71-82, dez. 2003.

GUILHERME, F. A. G.; RESSEL, K. Biologia floral e sistema de reprodução de Merostachys riedeliana (Poaceae: Bambusoideae). Revista Brasileira de Botânica, São Paulo, v. 24, n. 2, p. 205-211, jun. 2001.

IBGE. Manual técnico da vegetação brasileira. Rio de Janeiro: Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2012. 271 p.

JARDIM, D. G. et al. Regeneração natural em formações florestais de uma Unidade de Conservação, Maracanã, Pará, Brasil. Biota Amazônia, Macapá, v. 3, n. 2, p. 79-87, 2013.

JARDIM, M. A. G.; VIEIRA, I. C. G. Composição florística e estrutura de uma floresta de várzea do estuário amazônico, Ilha do Combu, Estado do Pará, Brasil. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, Ciências Naturais, Belém, v. 17, n. 2, p. 333-354, 2001.

JUNK, W. J.; PIEDADE, M. T. F. Herbaceous plants of the Amazon floodplain near Manaus: Species diversity and adaptations to the flood pulse. Amazoniana, Kiel, v. 12, n. 3/4, p. 467-484, dez. 1993.

LAU, A. V.; JARDIM, M. A. G. Composição e densidade do banco de sementes em uma floresta de várzea, Ilha do Combu, Belém-PA, Brasil. Biota Amazônia, Macapá, v. 4, n. 3, p. 5-14, 2014.

LAU, A. V.; JARDIM, M. A. G. Florística e estrutura da comunidade arbórea em uma floresta de várzea na Área de Proteção Ambiental, Ilha do Combu, Belém, Pará. Biota Amazônia, Macapá, v. 3, n. 2, p. 88-93, 2013.

MAGURRAN, A. E. Ecological diversity and its measurement. New Jersey: Princeton University Press, 1988. 179 p.

MAUÉS, B. A. R. Composição florística e estrutura do estrato inferior de floresta de várzea estuarina na Área de Proteção Ambiental Ilha do Combu, Belém-PA, Brasil. 2009. 60 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal Rural da Amazônia, Belém, 2009.

MAUÉS, B. A. R. et al. Composição florística e estrutura do estrato inferior da floresta de várzea na área de proteção ambiental Ilha do Combu, município de Belém, Estado do Pará. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 35, n. 3, p. 669-677, maio/jun. 2011.

MARINHO, T. A. S. et al. Distribuição e crescimento de Garcinia brasiliensis Mart. e Hevea spruceana (Benth.) Müll. Arg. em uma floresta inundável em Manaus, Amazonas. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 23, n. 1, p. 223-232, jan./ mar. 2013.

MENDES, F. S. et al. Dinâmica da estrutura da vegetação do sub-bosque sob influência da exploração em uma floresta de terra firme no município de Moju-PA. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 23, n. 2, p. 377-389, abr./ jun. 2013.

MISSOURI BOTANICAL GARDEN. [Website]. Disponível em: Acesso em: 01 ago. 2015.

OLIVEIRA, A. N.; AMARAL, I. L. Aspectos florísticos, fitossociológicos e ecológicos de um sub-bosque de terra firme na Amazônia Central, Amazonas, Brasil. Acta Amazonica, Manaus, v. 35, n. 1, p. 1-16, 2005.

PIEDADE, M. T. F.; SCHOENGART, J.; JUNK, W. J. O manejo sustentável das áreas alagáveis da Amazônia Central e as comunidades de herbáceas aquáticas. Uakari, Manaus, v. 1, n. 1, p. 29-38, nov. 2005.

PIELOU, E. C. Mathematical Ecology. New York: Wiley, 1977. 165 p.

QUARESMA, A. C.; JARDIM, M. A. G. O manejo do açaizeiro, Euterpe oleracea Mart., influencia a diversidade de bromélias epifítas em floresta de várzea? Biota Amazônia, Macapá, v. 3, n. 2, p. 94-100, jul./set. 2013.

R CORE TEAM. R: a language and environment for statistical computing. Viena: R Foundation for Statistical Computing, 2014. Disponível em: . Acesso em: 08 ago. 2015.

RABELO, F. G. et al. Regeneração natural de florestas estuarinas na região do Rio Amazonas-Amapá-Brasil. Revista de Ciências Agrárias, Belém, n. 34, p. 129-137, jul./dez. 2000.

ROCHA, A. E. S.; LINS, A. L. F. A. Checklist das Poaceae de áreas inundáveis e inundadas do nordeste do estado do Pará. Acta Amazonica, Manaus, v. 39, n. 4, p. 763-772, 2009.

SANTOS, G. C. et al. Fitossociologia e práticas de manejo tradicional em uma floresta de várzea em Santa Bárbara do Pará, Estado do Pará, Brasil. Revista Ciências Agrárias, Belém, v. 57, n. 2, p. 138-145, abr./jun. 2014.

SANTOS, G. C.; JARDIM, M. A. G. Florística e estrutura do estrato arbóreo de uma floresta de várzea no município de Santa Bárbara do Pará, Estado do Pará, Brasil. Acta Amazonica, Manaus, v. 36, n. 4, p. 437-446, out./dez. 2006.

SODERSTROM, T. R.; CALDERÓN, C. E. Insect pollination in tropical rain forest grasses. Biotropica, [s. l.], v. 3, n. 1, p. 1-16, jun. 1971.

SMITH, A. R. et al. A classification for extant ferns. Taxon, [s. l.], v. 55, n. 3, p. 705-731, aug. 2006.

VELOSO, H. P.; RANGEL FILHO, A. L. R.; LIMA, J. C. A. Classificação da vegetação brasileira adaptada a um sistema universal. Rio de Janeiro: IBGE, 1991. 124 p.

VIANA, A. C. N.; JARDIM, F. C. S. Natural regeneration dynamics of Couratari guianensis in a tropical forest selectively logged in Moju, state of Para, Brazil. Revista de Ciências Agrárias, Belém, v. 56, n. 2, p. 112-119, abr./jun. 2013.

WITTMANN, F.; JUNK, W. J. Sapling communities in Amazonian white-water forests. Journal of Biogeography, Oxford, v. 30, n. 10, p. 1533-1544, oct. 2003.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1980509821834

Licença Creative Commons