Alterações na arquitetura típica de Tipuana tipu (Benth.) O. Kuntze na arborização de ruas de Curitiba, Paraná

Rogério Bobrowski, Everaldo Marques de Lima Neto, Daniela Biondi

Resumo


 

http://dx.doi.org/10.5902/1980509810540

A estrutura e os equipamentos urbanos podem restringir o correto desenvolvimento das árvores e de sua arquitetura típica. A Tipuana tipu (Benth.) O. Kuntze (tipuana) tem sido podada de forma contínua por ser uma espécie de grande porte e por estar entre as mais plantadas na cidade de Curitiba. Por conta disso, o presente trabalho teve por objetivo avaliar a alteração da arquitetura típica de Tipuana tipu na arborização de ruas de Curitiba, por meio de delineamento inteiramente casualizado contendo uma parcela testemunha composta por 6 árvores, um tratamento com 6 árvores sob fiação e outro com 6 árvores em ruas livres de fiação. A partir de fotografias horizontais das árvores foram obtidas variáveis dendrométricas, tendo por base uma escala métrica acoplada à altura do DAP. Assim, foram calculados índices morfométricos para descrever relações interdimensionais para a espécie, em árvores sem poda (testemunha) e em árvores podadas (tratamentos). Os resultados demonstraram que as podas de elevação alteram a arquitetura típica da tipuana modificando seu contorno e sua forma, além de prejudicar seu efeito estético. Os índices que podem expressar as alterações, de forma significativa (p<0,05), foram: índice de abrangência, índice de saliência, ângulo de copa, proporção de copa e relação HR/HP.


Palavras-chave


práticas silviculturais; podas; copas; manejo de árvores urbanas

Texto completo:

PDF

Referências


ALBERS, J. S.; POKORNY, J. D.; JOHNSON, G. R. How to dectect and assess hazardous defects in trees. In: POKORNY, J. D. (Coord.). Urban tree risk management: a community guide to program design and implementation. St. Paul: USDA, Forest Service, Northeastern Area, Staty and Private Forestry, 2003. chap. 3, p. 41-116. (Technical Paper, NA-TP-03-03).

BIONDI, D.; ALTHAUS, M. Árvores de rua de Curitiba: cultivo e manejo. Curitiba: FUPEF, 2005.

BOBROWSKI, R. Estrutura e dinâmica da arborização de ruas de Curitiba, Paraná, no período 1984 - 2010. 144 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) – Setor de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2011.

DURLO, M. A.; DENARDI, L. Morfometria de Cabralea canjerana, em mata secundária nativa do Rio Grande do Sul. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 08, n. 01, p. 55-66. 1998.

DURLO, M. A.; SUTILI, F. A.; DENARDI, L. Modelagem da copa de Cedrela fissilis Vellozo. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 14, n. 2, p. 79-89. 2004.

GILMAN, E. F.; LILLY, S. J. Best Management Practices: Tree Pruning. Champaign: ISA, 2002. 35 p.

HARRIS, R. W. Arboriculture: integrated management of landscape trees, shrubs and vines. 2nd ed. New. Jersey: Prentice Hall, 1992.

IPPUC. Curitiba em Dados. Curitiba: IPPUC, jun. 2010. Disponível em: http://www.ippuc.org.br/informando/curitibaemdados.htm. Acesso em 25 de junho de 2010.

JAMES, K. Dynamic loading of trees. Journal of Arboriculture, Champaign, v. 29, n. 03, p. 165-171, 2003.

LORENZI, H. Árvores exóticas no Brasil: madeira, ornamentais e aromáticas. Nova Odessa: Plantarum, 2003. 382 p.

ORELLANA, E.; KOEHLER, A. B. Relações morfométricas de Ocotea odorifera (Vell.) Rohwer. Revista Acadêmica de Ciências Agrárias e Ambientais, Curitiba, v. 6, n. 2, p. 229-237, 2008.

ORZEL, S. A comparative analysis of slenderness of the main tree species of the Niepolomice Forest. Eletronic Journal of Polish Agricultural Universities, Cracow, v. 10, n. 02, 2007. Disponível em: < http://www.ejpau.media.pl/volume10/issue2/art-13.html>. Acesso em: 14/10/2010.

PAVLIS, M.; et al. The effects of pruning on drag and bending moment of shade trees. Arboriculture and Urban Forestry, Champaign, v. 34, n. 04, p.207-215, 2008.

ROMAN, M.; BRESSAN, D. A.; DURLO, M. A. Variáveis morfométricas e relações interdimensionais para Cordia trichotoma (Vell.) Arráb. ex Steud. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 19, n. 4, p. 473-480. 2009.

SCHUMACHER, M. V.; POGGIAN, F. Caracterização microclimática no interior dos talhões de Eucalyptus camaldulensis Dehnh, Eucalyptus grandis Hill ex Maiden e Eucalyptus torelliana F. Muell, localizados em Anhembi, SP. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 03, n. 1, p. 09-20. 1993.

SEITZ, R. A. A Poda de Árvores Urbanas. Piracicaba: IPEF. Curso em Treinamento sobre Poda em Espécies Arbóreas Florestais e de Arborização Urbana, 1, Piracicaba, São Paulo, 1996. p. 27.

SELLE, G. L.; VUADEN, E. Crescimento de seis espécies nativas na região central do estado do Rio Grande do Sul. Ambiência, Guarapuava, v. 06, n. 01, p. 169-192. 2010.

TONINI, H.; ARCO-VERDE, M. F. Morfologia da copa para avaliar o espaço vital de quatro espécies nativas da Amazônia. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 40, n. 7, p. 633-638, 2005.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1980509810540

Licença Creative Commons