Arqueologia da mídia e “escavação” no Twitter: o nascimento da hashtag #Rio2016

Carlos Roberto Gaspar Teixeira, Roberto Tietzmann

Resumo


A arqueologia da mídia é um conceito que visa entender os processos culturais por meio da escavação de registros midiáticos. Esse artigo se propôs a identificar como ocorreu o surgimento da hashtag #Rio2016. Para isso, por meio de um “agir arqueológico”, foram utilizadas ferramentas que buscam registros digitais em sites para determinar quando o termo surgiu no Twitter. A partir dos conceitos de arqueologia da mídia e dos levantamentos realizados foi apresentado o processo de resgate dos registros, assim como uma reflexão acerca os dados recuperados.

Palavras-chave


Arqueologia da mídia; hashtag; Twitter; #Rio2016

Texto completo:

PDF

Referências


COSTA-MOURA, Fernanda. Proliferação das #hashtags: lógica da ciência, discurso e movimentos sociais contemporâneos. Ágora (Rio J.), Rio de Janeiro, v. 17, n. spe, p. 141-158, Aug. 2014. Disponível em: . Acesso em: 9 Jan. 2017.

CHANG, Hsia-Ching. A New Perspective on Twitter Hashtag Use: Diffusion of Innovation Theory. In: ASIST 2010, October 22–27, 2010, Pittsburgh, PA, USA. Disponível em: . Acesso em: 9 jan. 2017.

CHUN, Wendy Hui Kyong. The Enduring Ephemeral, or the Future Is a Memory. In: Huhtamo, E. & Parikka, J. (orgs). Media Archeology: Approaches, Applications, and Implications. Berkeley, California: University of California Press, 2011. P. 184-206.

ERNST, Wolfgang. Media Archaeography: Method and Machine versus History and Narrative of Media. In: Huhtamo, E. & Parikka, J. (orgs). Media Archeology: Approaches, Applications, and Implications. Berkeley, California: University of California Press. 2011. P. 239-255.

FRAGOSO, Sueli; RECUERO, Raquel; AMARAL, Adriana. Métodos de pesquisa para internet. Porto Alegre: Sulina, 2011.

FISCHER, Gustavo. I don´t wanna be buried in an app sematary – reflexões sobre arqueologia da mídia online entre histórias de aplicativos derrotados. In: 7º Simpósio Nacional da Associação Brasileira de Cibercultura, 2013, Curitiba. Anais eletrônicos. Curitiba: ABCiber, 2013. Disponível em: . Acesso em: 2 jan. 2017.

_______________. Desencavando Interfaces: Reflexões Sobre Arqueologia da Mídia e Procedimentos de Resgate de páginas web. In: BENEVENUTO JR, Álvaro; STEFFEN, César. (Org.). Tecnologia, pra quê? Os impactos dos dispositivos tecnológicos no campo da comunicação. 1ed.Porto Alegre: Armazém Digital, 2012, v. 1, p. 37-52.

FISCHER, Gustavo; GREBIN, Bárbara. Interfaces culturais e agir arqueológico: reflexões teórico-metodológicas para dissecar websites e softwares que operam pela Internet. In: I Colóquio Semiótica das Mídias, 2012. Anais do I Colóquio Semiótica das Mídias. vol. 1, nº 1. João Pessoa, PB: UFAL, 2012. Disponível em: < http://ciseco.org.br/anaisdocoloquio/images/csm1/CSM1_GustavoFischerBarbaraGrebin.pdf>. Acesso em: 5 jan. 2017.

HUHTAMO, Erkki. From Kaleidoscomaniac to Cybernerd: Notes Toward an Archaeology of the Media. Leonardo, vol. 30, 3/1997. Disponível em: Acesso em: 4 jan. 2017.

HUHTAMO, Erkki, PARIKKA, Jussi. Media Archeology: Approaches, Applications, and Implications. Berkeley: University of California Press, 2011.

JAVA, A., Song, X., Finin, T. & Tseng, B. (2007). Why we twitter: understanding microblogging usage and communities. In: Proceedings of the 9th WebKDD and 1st SNA-KDD 2007 workshop on Web mining and social network analysis (WebKDD/SNA-KDD 07), ACM, San Jose. Disponível em: < http://ebiquity.umbc.edu/_file_directory_/papers/369.pdf >. Acessado em: 09 jan. 2017

MANOVICH, Lev. The language of new media. Londres: The MIT Press, 2001.

MURTHY, Dhiraj. Twitter: social communication in the Twitter age. Cambridge: Polity Press, 2013.

RECUERO, R. Análises de redes para mídias sociais. Porto Alegre: Sulina, 2015.

TSUR, Oren; RAPPOPORT, Ari. What’s in a Hashtag? Content based Prediction of the Spread of Ideas in Microblogging Communities. In: Proceedings of the Fifth International Conference on Web Search and Web Data Mining, WSDM 2012, Seattle, WA, USA, February 8-12, 2012. Disponível em: . Acesso em: 09 jan. 2017.

TWITTER (2016a). Central de ajuda: como usar as hashtags. Disponível em: . Acesso em: 9 jan. 2017.

TWITTER (2016b). Nossa empresa. Disponível em: . Acesso em: 9 jan. 2017.

TWITTER (2016c). The #Rio2016 Twitter data recap. Disponível em: . Acesso em: 10 jan. 2017.

TWITTER (2017). The hashtag at 10 years young. Disponível em: . Acesso em: 25 ago. 2017.

ZIELINSKI, Siegfried. Arqueologia da mídia: em busca do tempo remoto das técnicas do ver e do ouvir. São Paulo: ANNABLUME, 2006.




DOI: https://doi.org/10.5902/2316882X32828

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Universidade Federal de Santa Maria - UFSM

Programa de Pós-Graduação em Comunicação

Departamento de Ciências da Comunicação

Cadernos de Comunicação

Av. Roraima, 1000 - Camobi  - Santa Maria - RS

Prédio 21, sala 5129 - Laboratório PUBLICA.

E-mail: cadernos@ufsm.br

ISSN Impresso: 1677-9061

ISSN Eletrônico: 2316-882X

Classificação Qualis-CAPES 2013-2016:

B4 - Comunicação e Informação

B2 - Linguística e Literatura

B2 - Educação

B2 - Planejamento Urbano e Regional / Demografia

B4 - Adminitração Pública de Empresas, Ciências Contáveis e Turismo

B4 - Direito

B4 - Sociologia

B4 - Ensino

B4 - Interdisciplinar

B5 - Geografia

Indexados em: Redib; Latindex; DOAJ; Sumários.org; Portcom;

e Diadorim;

DOI: HTTP://dx.doi.org/10.5902/

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.