Ciberespaço e cibergêneros discursivos: benesses e desafios para professores e alunos de línguas estrangeiras

Débora Marshall

Resumo


Este trabalho propõe uma reflexão sobre as possibilidades e os desafios que os ambientes virtuais de aprendizagem oferecem para ações pedagógicas de ensino de línguas estrangeiras fundamentadas na abordagem comunicativa de ensino de línguas. O propósito deste artigo é contribuir para o debate em torno da utilização das novas tecnologias de informação, em especial da Internet e do meio eletrônico virtual, para o ensino de línguas estrangeiras. Tendo em vista esse objetivo,o artigo apresenta uma breve discussão sobre os efeitos do meio eletrônico nos modos de pensar, interagir e se comunicar. A seguir, discute-se a utilização da Internet e do ciberespaço no ensino de línguas estrangeiras sob a perspectiva da abordagem sócio-interacionista. Por fim, busca-se refletir sobre como o trabalho com cibergêneros discursivos pode contribuir para ações pedagógicas de ensino de línguas estrangeiras fundamentadas na abordagem comunicativa.

Palavras-chave


Ciberespaço; Discurso; Língua estrangeira

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, L. S. O chat educacional: o professor diante desse gênero emergente. In: A. P. Dionísio; A. R. Machado e M. A. Bezerra (orgs.): Gêneros textuais & Ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2002.

ALMEIDA FILHO, J. C. P. de. Dimensões comunicativas no ensino de línguas. Campinas, SP: Pontes, 1998.

AURÍA, C. P. L. e ALASTRUÉ, R. P. Re-thinking rhetorical strategies in academic genres. In: I. Fortanet, S. Posteguillo, J. C. Palmer, J. F. Coll (Eds.): Genre Studies in English for Academic Purposes. Castelló de la Plana: Universitat Jaume I, 1998.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, [1953] 2000.

BRAGA, D. B. Aprendendo a ler na rede: a construção de material didático para aprendizagem autônoma de leitura em inglês, 1999. Disponível em: . Acesso em: 16 de dezembro 2003.

CRISTÓVÃO, V. L. L. Modelo didático de gênero como instrumento para formação de professores. In: J. L. Meurer e D. Motta-Roth (orgs.): Gêneros textuais. Bauru, SP: EDUSC, 2002.

EVANS, F. Cyberspace and the Concept of Democracy. First Monday, 5(10), 2000. Disponível em:. Acesso em: 16 de dezembro 2003.

MARCUSCHI, L. A. Gêneros textuais emergentes e atividades lingüísticas no contexto da tecnologia digital. Conferência apresentada no GEL, USP, SP, de 23 a 25 de maio de 2002.

MILLER, C. R. Genre as social action. Quarterly Journal of Speech, 70:151-167. 1984.

MORAES, M. C. Tecendo a rede, mas com que paradigma? In: M. C. Moraes, (org.) Educação a Distância: fundamentos e práticas. Campinas: UNICAMP/NIED, p. 01-25. 2002.

MORAN, J. M. Pedagogia integradora do presencial-virtual, 2002. Disponível em: . Acesso em: 16 de dezembro 2003.

MORRISETT, L. N.Habits of Mind and a New Technology of Freedom. First Monday, 1(3). 1996. Disponível em: . Acesso em: 18 de novembro 2003.

MOTTA-ROTH, D. De receptador de informação a construtor de conhecimento: o uso do chat no ensino de inglês para formandos de Letras. In: PAIVA, V.L.M.O. (ed.). Interação e. aprendizagem em ambiente virtual. Belo Horizonte: Poslin/FALE/UFMG, p. 230-247. 2001.

PAIVA, V. L. M. O. Aprendendo inglês no ciberespaço. In: Paiva, V.L.M.O. (ed.) Interação e aprendizagem em ambiente virtual. Belo Horizonte: Poslin/FALE/UFMG, p. 270-305. 2001.

PAIVA, V. L. M. O. The role of e-mail in the acquisition of English. Ilha do Desterro, 41: 245-63. 2001a.

PINTO, A. P. Gêneros discursivos e ensino de língua inglesa. In: A. P. Dionísio; A. R. Machado e M. A. Bezerra (orgs.): Gêneros textuais & Ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, p.47-57. 2002.

QUEIROZ, S. Poesia em imagens, sons & páginas virtuais. In: M. Marinho (org.) Ler e navegar: espaços e percursos da leitura. Campinas, SP: Mercado de Letras, p.161-198. 2001.

REGO, T. C. Vygotsky: uma perspectiva histórico-cultural da educação. Petrópolis: Vozes, 1998.

RHEINGOLD, H. The Virtual Community: Homesteading on the Electronic Frontier. New York: Addison-Wesley, 1993.

RICHTER, M. G. Ensino do Português e Interatividade. Santa Maria: Editora da UFSM, 2000.

SAYEG, M. E. M. Interação no Cyberespaço: Real ou Virtual?, 2001. Disponível em: . Acesso em: 15 de dezembro 2003.

SILVA, M. Sala de aula interativa: a educação presencial e a distância em sintonia com a era digital e com a cidadania, 2001.

Disponível em: . Acesso em: 06 de julho 2003.

SUANNO, M. V. R. Novas Tecnologias de Informação e Comunicação: reflexões a partir da Teoria Vygotskyana, 2003. Disponível em: . Acesso em: 16 de dezembro 2003.

TUMAN, M. C. Word Perfect: Literacy in the Computer Age. Pittsburgh: University of Pittsburgh Press, 1992.

VAZ, P. Histórias das Tecnologias Cognitivas. Revista Fronteiras: Estudos midiáticos, 5(2): 79-120. 2002.

VYGOTSKY, L.S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes, 1991.




DOI: https://doi.org/10.5902/1516849230360

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores da revista L&C:

                                                                                          


Órgãos aos quais a revista L&C pertence:

 

                              

 

E-ISSN 2674-6921. Revista Qualis B3, área de Letras e Linguística, Classificações de Periódicos Quadriênio 2017-2020 (CAPES).