Próxima parada: Manguetown – fluxos de cultura na cidade e um novo olhar devolvido ao Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5902/1679849X67870

Palavras-chave:

Manguebeat, Manguetown, Cultura, Resistência, Cidade

Resumo

O presente artigo tem como objetivo trazer à tona reflexões sobre a cena do Manguebeat, movimento que irrompe em Recife ao fim dos anos 1980. Nesse panorama, propõe-se uma relação entre a cidade e as produções culturais da banda Chico Science & Nação Zumbi – especificamente nos álbuns Da lama ao caos (1994) e Afrociberdelia (1996) –, projetando um espaço simbólico entendido como Manguetown. Busca-se entender como as canções inscritas na cena repercutem uma outra imagem do Brasil ao Brasil e diversificam um eixo hegemônico de produção e circulação da cultura. Para isso, recuperam-se as contribuições de Lefevbre (2002), Anderson (2008) e Didi-Huberman (2015) para a construção de um aparelho teórico que permita a investigação desse cenário. Esse processo é acompanhado das considerações sobre as dinâmicas entre global e local – pensadas a partir das ideias de Huyssen (2002) na esteira dos Estudos Culturais – configuradas no espaço privilegiado de análise da cidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe Roner Vilanova Novais, Universidade Federal de Minas Gerais

Mestrando em Estudos Literários pelo programa de Pós-graduação em Estudos Literários da Faculdade de Letras da UFMG, na área de Literaturas Modernas e Contemporâneas.

Referências

ALVES, Cristiano Nunes. Os lugares da cena Manguebit no Recife: cultura e produção do espaço urbano. In. XI SEUR – V Colóquio Internacional sobre Comércio e Consumo, 2015. Anais. Pelotas: [s.n], 2015, p. 509-521.

ANDERSON, Benedict. Comunidades imaginadas: reflexões sobre a origem e a difusão do nacionalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

APPADURAI, Arjun. Disjunção e diferença na economia cultural. In: FEATHERSTONE, Mike (org.). Cultura global: nacionalismo, globalização e modernidade. Petrópolis: Vozes, 1994. p 311-328.

CALÁBRIA, Lorena. Chico Science & Nação Zumbi: da lama ao caos. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

CALVINO, Italo. As cidades invisíveis. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Devolver uma imagem. In: ALLOA, Emmanuel (org.). Pensar a imagem. Belo Horizonte: Autêntica, 2015. p. 7-19.

DJ DOLORES. Viagem ao Centro do Mangue: O Manifesto. YouTube, 2021a. Disponível em: encurtador.com.br/gmuT7. Acesso em: 10 ago. 2021.

DJ DOLORES. Viagem ao Centro do Mangue: Cinema. YouTube, 2021b. Disponível em: encurtador.com.br/nDK37. Acesso em: 10 ago. 2021.

DJ DOLORES. Viagem ao Centro do Mangue: Tecnologia. YouTube, 2021c. Disponível em: encurtador.com.br/nDK37. Acesso em: 29 ago. 2021.

HUYSSEN, Andreas. Literatura e cultura no contexto global. In: MARQUES, Reinaldo; VILELA, Maria Helena (org.). Valores: arte, mercado, política. Belo Horizonte: Editora UFMG/Abralic, 2002. p. 15-35.

LEFEBVRE, Henri. A revolução urbana. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2002.

MATIAS, Alexandre. Entrevista: H.D. Mabuse. Trabalho Sujo, 8 ago. 2003. Disponível em: https://trabalhosujo.com.br/entrevista-hd-mabuse/. Acesso em: 22 ago. 2021.

LIRA, Paula de Vasconcelos. Uma antena parabólica enfiada na lama: ensaio de diálogo complexo com o imaginário do MangueBit. 2000. Dissertação (Mestrado em Antropologia Cultural) – Centro de Filosofia e Ciência Humanas, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2000. Disponível em: https://url.gratis/RAy8VZ. Acesso em: 18 ago. 2021.

NOVAIS, Marina de Morais Faria. Cuba refletida nas telas: uma análise narrativa das obras de codireção Alea-Tabío. 2019. Tese (Doutorado em Artes) – Escola de Belas Artes, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2019. Disponível em: https://url.gratis/UOMQaF. Acesso em: 20 ago. 2021.

OLIVEIRA, Anita Loureiro de. Música e vida urbana: encontros e confrontos na cidade do Rio de Janeiro (1990-2008). Rio de Janeiro: IPPUR/UFRJ, 2008. Comunicação oral apresentada na sessão temática de Cidade Imaterial.

RAMA, Angel. A cidade das letras. São Paulo: Boitempo, 2015.

RICKLEFS, R. E. A economia da natureza. 3. ed. Tradução de Cecília Bueno. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1996.

ZUMBI, Chico Science & Nação. Da lama ao caos. Rio de Janeiro: Polysom, 1994. 1 disco de vinil, 33 rpm.

ZUMBI, Chico Science & Nação. Afrociberdelia. 1996. Disponível em: https://url.gratis/np3CqV. Acesso em: 2 ago. 2021.

Downloads

Publicado

2021-12-29 — Atualizado em 2022-02-28

Versões

Como Citar

Vilanova Novais, F. R., & Monte Alto, R. (2022). Próxima parada: Manguetown – fluxos de cultura na cidade e um novo olhar devolvido ao Brasil. Literatura E Autoritarismo, (38). https://doi.org/10.5902/1679849X67870 (Original work published 29º de dezembro de 2021)