As marcas do estado de Exceção no corpo grotesco: infâmia e vergonha em narrativas sobre a violência

Viviane Dantas Moraes

Resumo


Em algumas narrativas de resistência que abordam contextos de violência e suspensão dos direitos fundamentais, uma estratégia usada pelos escritores para elucidar o sofrimento psíquico, moral e físico por meio de seus personagens é explorar o corpo torturado enquanto um viés de denúncia para dizer que ali se expressam as marcas de um crime. Sob o ponto de vista da teoria do Estado de exceção e do conceito de vida nua, ou seja, vida indigna de ser vivida, dialogamos com as reflexões de Giorgio Agamben e escritos literários sobre violência. Ao observar que o corpo se constrói como um elemento narrativo fundamental para desvelar o esfacelamento do individuo sob condição de repressão, o grotesco se constitui em linguagem da resistência, revelando-se, deste modo, uma estética do estado de exceção.

Palavras-chave


Grotesco; Estado de exceção; Estética; Resistência; Violência

Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, Giorgio. Estado de Exceção. São Paulo: Boitempo, 2004.

AGAMBEN, Giorgio. O que resta de Auschwitz: o arquivo e a testemunha. São Paulo: Boitempo, 2008.

DEULEUZE, Gilles. A imanência: uma vida. In: Revista Educação & Realidade, Porto Alegre, n. 27, v.2, p. 10-18, jul./dez. 2002.

FREUD, Sigmund. O mal-estar na cultura. Porto Alegre: L&PM, 2010.

KAYSER, Wolfgang. O grotesco. São Paulo: Perspectiva, 2003.

LEVI, Primo. É isto um homem ?. Rio de Janeiro: Rocco, 1988.

LEVI, Primo. A trégua. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

LUDMER, Josefina. O corpo do delito. Um manual. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2002.

NIETZSCHE, Friedrich. Genealogia da moral. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

SCHOLLHAMMER, Karl Eric. Cena do crime: violência e realismo no Brasil contemporâneo. Rio de Janeiro: José Olympio, 2013.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1679849X37757

 

CONTATO:

E-mail: revista.la.ufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Prédio 16 - Centro de Educação - PPG Letras
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8477

Link: https://periodicos.ufsm.br/LA


ISSN: 1679-849X

DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1679849X

Qualis/Capes: Linguística e Literatura B2


Periodicidade – Semestral

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

     

 

http://mjl.clarivate.com/cgi-bin/jrnlst/jlresults.cgi?PC=EX&Full=*Literatura%20e%20Autoritarismo

Resultado de imagem para DOAJ

https://doaj.org/toc/1679-849X

https://www.latindex.org/latindex/ficha?folio=19485

http://diadorim.ibict.br/handle/1/1018

 

 

http://oaji.net/journal-detail.html?number=6577

http://ezb.uni-regensburg.de/searchres.phtml?bibid=AAAAA&colors=7&lang=de&jq_type1=QS&jq_term1=Literatura+e+Autoritarismo

 

https://dbh.nsd.uib.no/publiseringskanaler/erihplus/periodical/info.action?id=491293

BASE Logo

https://www.base-search.net/

http://journalseeker.researchbib.com/view/issn/1679-849X

https://www.worldcat.org/title/literatura-e-autoritarismo/oclc/1002237522&referer=brief_results

https://scholar.google.com.br/citations?user=cnXbenUAAAAJ&hl=pt-BR

 

https://www.tib.eu/en/search/id/TIBKAT%3A894744321/Literatura-e-autoritarismo/

https://thekeepers.org/journals/1679-849X?page=1&query=Literatura+e+Autoritarismo

 

http://www.i2or.com/8.html (Nr. 763)

https://index.pkp.sfu.ca/index.php/browse/index/2374

http://miar.ub.edu/issn/1679-849X

https://clasificacioncirc.es/resultados_busqueda?_pag=1&_busqueda2=Literatura%20e%20Autoritarismo

https://reseau-mirabel.info/revue/6394/Literatura_e_autoritarismo