A presença animal em "Surdos e cegos" e "Açougue", de Astrid Cabral

Ana Paula Cantarelli

Resumo


Este estudo visa discutir dois poemas de Astrid Cabral, “Surdos e cegos” e “Açougue”, pertencentes ao livro Jaula (2006), a partir da forma como os eu-líricos se posicionam em relação ao abate e à comercialização de bovinos destinados à alimentação humana. Para tal, ele encontra-se dividido em duas partes. A primeira aborda o distanciamento adotado pelos homens frente aos demais animais sob um viés histórico-sociológico, empregando como fundamentação teórica obras de Montaigne (2006) e de Nietzsche (1998, 2007). A segunda propõe uma relação entre as discussões estabelecidas na primeira parte e o conteúdo dos poemas selecionados alicerçada em dois pontos: a existência de matadouros em nossa sociedade e a oposição razão X pathos. Para o desenvolvimento dessa parte, foram utilizados textos de Derrida (2002, 2003), Maciel (2016), Nunes (2011) e Giorgi (2011).


Palavras-chave


Razão; Pathos; Poesia; Animalidade; Matadouros

Texto completo:

PDF

Referências


BATAILLE, G. Teoria da religião. Tradução de Fernando Scheibe. Belo Horizonte: Editora Autentica, 2015.

BERGER, J. Sobre o olhar. Tradução de Lya Luft. Barcelona: Gustavo Gili, 2003.

CABRAL, A. Jaula. Rio de Janeiro: Editora da Palavra, 2006.

CABRAL, A. Alameda. Organização Tenório Teles e estudo crítico por Antônio Paulo Graça. 2ª ed. Manaus: Editora Valer, 1998.

COETZEE, J. M. A vida dos animais. Tradução de José Rubens Siqueira; introdução e organização de Amy Gutmann. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

DERRIDA, J. Che Cos’è la poesia? Tradução de Osvaldo Manuel Silvestre. Lisboa: Ângelus Novus, 2003.

DERRIDA, J. O animal que logo sou (A seguir). Tradução de Fábio Landa. São Paulo: Editora UNESP, 2002.

DESCARTES, R. Discurso do método. 2. ed. Tradução de Maria Ermantina Galvão. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

GIORGI, G. A vida imprópria. Histórias de matadouros. In: MACIEL, M. E. (Org.) Pensar/ escrever o animal: Ensaios de zoopoética e biopolítica. Florianópolis: Editora da UFSC, 2011. p. 199-220

LESTEL, D. A animalidade, o humano e as “comunidades híbridas”. In:

MACIEL, M. E. (Org.) Pensar/ escrever o animal: Ensaios de zoopoética e biopolítica. Florianópolis: Editora da UFSC, 2011. p. 23- 53

MACIEL, M. E. Literatura e animalidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2016.

MONTAIGNE, M. de. Apologia de Raymond Sebond. In: MONTAIGNE, M. Os Ensaios: Livro II. Tradução de Rosemary Costhek Abílio. 2ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2006. p. 157-407.

NIETZSCHE, F. Para além do bem e do mal: Prelúdio a uma filosofia do futuro. Tradução de Carlos Duarte e Anna Duarte. Coleção obra-prima de cada autor. São Paulo: Martin Claret, 2007a.

NIETZSCHE, F. O Anticristo: Maldição ao cristianismo; Ditirambos de Dionísio. Tradução, notas de posfácio de Paulo Cesár de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2007 b.

NIETZSCHE, F. Genealogia da moral: uma polêmica. Tradução, notas e posfácio de Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras: 1998.

NUNES, B. O animal e o primitivo: Os outros de nossa cultura. In: MACIEL, M. E. (Org.) Pensar/ escrever o animal: Ensaios de zoopoética e biopolítica. Florianópolis: Editora da UFSC, 2011. p. 13-22.

PAZ, O. Os filhos do barro: do romantismo à vanguarda. Tradução de Olga Savary. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.

VOIGT, R. Astrid Cabral e a zoopoética. Voz da Literatura, Brasília-DF, v 1, n 1, p. 02-05, maio de 2018.




DOI: https://doi.org/10.5902/1679849X35442

 

CONTATO:

E-mail: revista.la.ufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Prédio 16 - Centro de Educação - PPG Letras
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8477

Link: https://periodicos.ufsm.br/LA


ISSN: 1679-849X

DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1679849X

Qualis/Capes: Linguística e Literatura B2


Periodicidade – Semestral

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

     

https://mjl.clarivate.com:/search-results?issn=1679-849X&hide_exact_match_fl=true&utm_source=mjl&utm_medium=share-by-link&utm_campaign=search-results-share-this-journal

Resultado de imagem para DOAJ

https://doaj.org/toc/1679-849X

https://www.latindex.org/latindex/ficha?folio=19485

http://diadorim.ibict.br/handle/1/1018

 

 

http://oaji.net/journal-detail.html?number=6577

http://ezb.uni-regensburg.de/searchres.phtml?bibid=AAAAA&colors=7&lang=de&jq_type1=QS&jq_term1=Literatura+e+Autoritarismo

 

https://dbh.nsd.uib.no/publiseringskanaler/erihplus/periodical/info.action?id=491293

BASE Logo

https://www.base-search.net/

http://journalseeker.researchbib.com/view/issn/1679-849X

https://www.worldcat.org/title/literatura-e-autoritarismo/oclc/1002237522&referer=brief_results

https://scholar.google.com.br/citations?user=cnXbenUAAAAJ&hl=pt-BR

 

https://www.tib.eu/en/search/id/TIBKAT%3A894744321/Literatura-e-autoritarismo/

https://portal.issn.org/resource/ISSN/1679-849X

 

http://www.i2or.com/8.html (Nr. 763)

https://index.pkp.sfu.ca/index.php/browse/index/2374

http://miar.ub.edu/issn/1679-849X

https://clasificacioncirc.es/resultados_busqueda?_pag=1&_busqueda2=Literatura%20e%20Autoritarismo

https://reseau-mirabel.info/revue/6394/Literatura_e_autoritarismo