Odus: Filosofia Africana para uma metodologia afrorreferenciada

Adilbênia Freire Machado

Resumo


O presente artigo apresenta a metodologia filosófica, que também é conteúdo, dos Odus. Trata-se de uma metodologia afrorreferenciada demarcada por nossa origem, nossa ancestralidade, nossos caminhos / experiências / vivências. Alimentaremos, aqui, um diálogo formativo desde as culturas, os modos de ser / estar no mundo, as filosofias e saberes africanos e afrodescendentes. Busca-se delinear um pensamento plural, diverso, numa perspectiva horizontal, circular, que compreende a universalidade desde um lugar, desde nosso próprio chão, onde o corpo é produtor e fonte de conhecimento. Apresentaremos esta metodologia que é tecida por implicações epistemológicas, ativistas, política, ética, em busca de descolonização curricular e do próprio conhecimento, delineada pela escuta sensível, perpassada pelo coletivo, pela memória histórica, pela resistência negra e pela autoformação.


Palavras-chave


Metodologia Afrorreferenciada; Odus; Filosofia Africana; Escuta Sensível; Descolonização Curricular.

Texto completo:

PDF HTML

Referências


BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é educação. São Paulo: Brasiliense, 2007.

CORREA, Marco Aurélio. Pequena África e os cotidianos da resistência: o cinema negro como possibilidades para e Lei 10.639/03. Revista da ABPN, v. 10, Ed. Especial-Caderno Temático: História e Cultura Africana e Afro-brasileira – lei 10.639/03 na escola, p.109-134, maio-2018.

MACEDO, Roberto Sidnei. Compreender/mediar a formação: o fundante da educação. Brasília: Liber Livro Editora, 2010.

MACHADO, Adilbênia Freire. Ancestralidade e Encantamento: filosofia africana mediando a história e cultura africana e afro-brasileira. Dissertação (mestrado) – Universidade Federal da Bahia. Faculdade de Educação, Salvador, 2014.

MACHADO, Vanda. Pele da Cor da Noite. Salvador: EDUFBA, 2013.

NAPOLEÃO, Eduardo. Vocabulário Yorùbá. Rio de Janeiro: Pallas, 2011.

OLIVEIRA, Eduardo David de. Filosofia da ancestralidade: corpo e mito na filosofia da educação brasileira. Curitiba: Editora Gráfica Popular, 2007.

OLIVEIRA, E. D. de. Cosmovisão africana no Brasil: elementos para uma filosofia afrodescendente. Curitiba: Editora Gráfica Popular, 2006.

PETROVICH, Carlos; MACHADO, Vanda. Irê Ayó: Mitos Afro-brasileiros. Salvador: EDUFBA, 2004.

RIBEIRO, Ronilda Iyakemi. Alma Africana no Brasil: Os Iorubás. São Paulo: Editora Oduduwa, 1996.

SOMÉ, Sobonfu. O Espírito da Intimidade: ensinamentos ancestrais africanos sobre relacionamentos. SP: Odysseus Editora, 2003.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2179378639952

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Voluntas: Revista Internacional de Filosofia

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial-Compartilha Igual 4.0 Internacional.