Na travessia o negro se desfaz: vida, morte e memÓRÍa , possíveis leituras a partir de uma filosofia africana e afrodiaspórica

Eliseu Amaro de Melo Pessanha, Francisco Phelipe Cunha Paz, Luís Augusto Ferreira Saraiva

Resumo


O presente trabalho tem como objetivo apresentar o conceito de MemÓRÍa, ainda em desenvolvimento, que possui suas bases em ontologias africanas e afrodiaspóricas para compreender as dimensões do ethos africano de vida. Ainda, neste sentido, o artigo se debruça sobre o conceito de Travessia, onde a experiência histórica do corpo negro transpõe elementos que ainda necessitam ser trabalhados e revisitados. Sendo assim, o trabalho também busca compor uma contribuição aos estudos de Filosofia(s) Africana(s) e afrodiaspóricas não mais a partir do campo da justificativa do que seja “Filosofia africana”, mas toma as Filosofia(s) Africana(s) como um conhecimento já estabelecido e que se permite na construção de novos conceitos e no questionamento dos mesmos.


Palavras-chave


MemÓRÍa; Filosofias africanas; Travessia; Ontologias Africanas

Texto completo:

PDF HTML

Referências


AGUESSY, Honorat. Visões e percepções tradicionais. In: SOW, Alpha I et. al. Introdução à cultura Africana. Lisboa: Edições 70, 1980.

BIDIMA, Jean-Godefroy. De la traversée: raconter des expériences, partager le sens. Rue Descartes, n. 36, p. 7-17, fev.-2002.

CARNEIRO, Aparecida Sueli. A construção do outro como não-ser como fundamento do ser. Tese de Doutorado. 2005. 339f. Programa de Pós-graduação em Educação. USP. São Paulo, 2005.

CUNHA PAZ, Francisco Phelipe. Na casa de Ajalá: comunidades negras, patrimônio e memória contracolonial no Cais do Valongo – a “Pequena África”. Dissertação de Mestrado apresentada no Programa de Pós-Graduaçao em Desenvolvimento, Sociedade e Cooperação Internacional – UnB, 2019.

DANTAS, Luís Thiago Freire. Filosofia Desde África: perspectivas descoloniais. Tese (Doutorado em Filosofia) Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, 2018.

EVARISTO, Conceição. Literatura e educação segundo uma perspectiva afro-brasileira. In: EVARISTO, Conceição; SILVA, D. (Orgs.). Literatura, história, etnicidade e educação: estudos nos contextos afro-brasileiros, africano e da diáspora africana. Frederico Westphalen: URI, 2011. p. 45-54.

EVARISTO, C. Becos da Memória. Belo Horizonte: Mazza, 2006.

EZE, Emmanuel Chukwdi. La moderna filosofia occidental y el colonialismo africano. In: EZE, Emmanuel Chukwudi (Org.). Pensamiento africano. Barcelona:Edicons Bellaterra, 2001.

FANON, Frantz. Pele Negra, Máscaras Brancas. Tradução de Renato de Silveira. Salvador: EDUFBA, 2008.

FLOR do NASCIMENTO, Wanderson. Ori: a saga atlântica pela recuperação das identidades usurpadas. In: SOUZA, Edileuza Penha de. Negritude, Cinema e Educação. Belo Horizonte: Mazza, 2007.

FLOR do NASCIMENTO, W. Outras vozes no ensino de filosofia: O pensamento africano e afro-brasileiro. Revista Sul-Americana de Filosofia e Educação, n 18, p. 74-89, 2012.

FLOR do NASCIMENTO, W. Aproximações brasileiras às filosofias africanas: caminhos desde uma ontologia ubuntu. Prometeus, n 21, Dez. 2016.

GILROY, Paul. Atlântico Negro: modernidade e dupla consciência. Tradução de Cid Knipel Moreira. São Paulo: Editora 34, 2012.

GLISSANT, Édouard. Poética da Relação. Tradução de Manuela Mendonça. Porto: Porto Editora, 2011.

GLISSANT, É. Introdução a uma poética da diversidade. Juiz de Fora: Editora UFJF, 2005.

GOMES, Nilma Lino. Por uma indignação antirracista e diaspórica: negritude e afrobrasilidade em tempos de incertezas. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), v. 10, n. 26, p. 111-124, out. 2018. Disponível: .

GROSFOGUEL, Rámon. A estrutura do conhecimento nas universidades ocidentalizadas: racismo/sexismo epistêmico e os quatro genocídios/epistemicídios do longo século XVI. Revista Sociedade e Estado, v 31, n 1, p.25-49, Jan-Abr. 2016.

GUIMARÃES, Geny Ferreira. Rio Negro de Janeiro: olhares geográficos de heranças negras e o racismo no processo-projeto patrimonial. Tese de Doutoramento apresentada à Universidade Federal da Bahia – UFBA, Salvador, 2015.

HAMPÂTÉ BÂ, AMADOU. A Tradição Viva. In: KI-ZERBO, Joseph. História geral da África I: Metodologia e pré-história da África. Brasília: UNESCO, 2010.

HAMPÂTÉ BÂ, A. Amkoullel, O menino fula. São Paulo: Palas Athena, 2013.

INIKORI, J. E. A África na história do mundo: o tráfico a partir da África e a emergência de uma ordem econômica no Atlântico. In: OGOT, Bethwell Allan. História geral da África, V: África do século XVI ao XVIII. Brasília:

UNESCO, Vol 5, História Geral da África: a África do século XVI ao XVIII, 2010.

MBEMBE, Achille. Formas Africanas de Auto-inscrição. Estudos Afro-Asiáticos, nº 1, 2001.

MBEMBE, A. Crítica da Razão Negra. Tradução de Marta Lança. Lisboa: Antígona, 2014.

MBEMBE, A. Necropolítica. Rio de Janeiro: N-1 edições, 2016.

MILLS, Charles W. Ignorância Branca. Griot: Revista de Filosofia, v. 17, n. 1, p. 413-438, jun. 2018.

NASCIMENTO, Abdias do. O Genocídio do Negro Brasileiro: Processo de um Racismo Mascarado. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

NASCIMENTO, Beatriz. Filme Ori (texto). Direção: Raquel Gerber. São Paulo, Angra Filmes, 131min, 1989.

OLIVEIRA, E. O. Cosmovisão Africana no Brasil: elementos para uma filosofia afrodescendente. Fortaleza: LCR, 2003.

OYĚWÙMÍ, Oyèrónkẹ́. The Invention of Women: making an African sense of western gender discourse. Minneapolis: University Minnesota Press, 1997.

PESSANHA, Eliseu Amaro de Melo. Necropolítica & epistemicídio: as faces ontológicas da morte no contexto do racismo. Dissertação de Mestrado apresentada no Programa de Pós-Graduação em Metafísica na

Universidade de Brasília – UnB, 2018.

RAMOS, Guerreiro. Introdução crítica à sociologia brasileira. Rio de janeiro: Editora UFRJ, 1995.

RAMOSI, Mogobe Bernard. A importância vital de nós. Revista IHU, dez. 2010. Disponível em http://www.ihuonline.unisinos.br/artigo/3688-mogobe-ramose.

RATTS, Alex. Eu sou atlântica: sobre a trajetória de vida de Beatriz Nascimento. São Paulo: Instituto Kuanza/Imprensa Oficial, 2007.

SEREQUEBERHAN, Tsenay. La filosofia y el Áfricaposcolonial. In: EZE, Emmanuel Chukwudi (Org.). Pensamiento africano. Barcelona: Edicons Bellaterra, 2002.

SILVA, M. S. E. O banzo, um conceito existencial: um afropespectivismo filosofico do existir-negro. Griot: Revista de Filosofia, 17, n. 1, p. 48-60, Jun. 2018.

SOARES, C. E. L. Valongo. In: SCHWARCZ, L. GOMES, F. (OrgS). Dicionario da escravidão e liberdade. São Paulo: Companhaia das Letras, 2018.

SARAIVA, Luis Augusto. Sobre veias d’águas e segredos da mata: Filosofia Ubuntu no Terreiro de Tambor de Mina. Dissertação de Mestrado - Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Metafísica, 2018.




DOI: https://doi.org/10.5902/2179378639949

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Voluntas: Revista Internacional de Filosofia

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial-Compartilha Igual 4.0 Internacional.