Filosofia, ética e política de origem africana egípcia

Marcelo José Derzi Moraes

Resumo


Esse texto procura desmistificar a imagem acerca do Egito Antigo constituída a partir de um racismo epistemológico por filósofos e egiptólogos europeus. Faremos uma releitura de autores antigos e contemporâneos a fim de demonstrar que o Egito africano sofrera um epistemicídio, tendo suas produções filosóficas, políticas e éticas, obliteradas por uma mentalidade racista que negava qualquer tipo de produção intelectual do povo negro africano.

Palavras-chave


Filosofia egípcia; Epistemicídio; Ética africana

Texto completo:

PDF HTML

Referências


AMENEMOPE. Ensinamentos de Amenemope. In: ARAÚJO, Emanuel. Escrito para a eternidade: a literatura no Egito faraônico. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 2000.

ARAÚJO, Emanuel. Pobres faraós divinos. Textos de história, vol. 04, nº 2, 1996.

ARISTÓTELES. A constituição de Atenas. Trad. Edson Bini. São Paulo: Edipro, 2012.

ARISTÓTELES. A Teologia de Aristóteles. Trad. Catarina Belo. Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda, 2010.

ARRAIS, Nely Feitoza. Hierarquia e Mobilidade Social no Egito do Reino Novo. In: Semna – Estudos de Egiptologia I. Antonio Brancaglion Jr., Thais Rocha da Silva, Rennan de Souza Lemos, Raizza Teixeira dos Santos (orgs.). – Rio de Janeiro: Seshat – Laboratório de Egiptologia do Museu Nacional, 2014.

ARRAIS, N. F. Isis, o trono do Egito: análise das representações da deusa e do poder régio no Egito do Reino Novo. In. Semna – Estudos de Egiptologia IV. Antonio Brancaglion Jr.; Gisela Chapot (orgs.). – Rio de Janeiro: Seshat – Laboratório de Egiptologia do Museu Nacional, 2017.

ASANTE, Molefi Kete. Afrocentricidade como Crítica do Paradigma Hegemônico Ocidental: Introdução a uma Ideia. Trad. Renato Noguera; Marcelo J. D. Moraes; Aline Carmo. Revista Ensaios Filosóficos. v. 14, 2016.

ASANTE, M. K. Uma Origem Africana da filosofia: Mito ou Realidade? Trad. Marcos Carvalho Lopes. Capoeira – Revista de Humanidades e Letras, v.1. nº 1, 2014.

BAKR, A. Abu. O Egito faraônico. In. MOKHTAR, Gamal. História geral da África: África antiga. Brasília: UNESCO, 2010.

BRISSON, Luc. Leituras de Platão. Trad. Sônia Maria Maciel. Rio Grande do Sul: EdiPUCRS, 2003.

CARDOSO, Ciro Flamarion. O Egito Antigo. São Paulo: Editora Brasiliense, 1992.

CARREIRA, José Nunes. Filosofia Antes dos Gregos. Mem Martins: Publicações Europa-América, 1994.

CÉSAIRE, Aimé. Discurso sobre o colonialismo. Trad. Anísio Garcez Homem. Florianópolis: Letras Contemporâneas, 2010.

DESCARTES, René. Regras para a direção do espírito. Trad. João Gama. Lisboa: Edições 70, 1985.

DIOP, Cheikh Anta. A unidade cultural da África Negra. Esferas do patriarcado e do matriarcado na antiguidade clássica. Trad. Sílvia Cunha Neto. Luanda: Edições Mulemba, 2014.

DIOP, C. A. Civilisation ou Barbarie. Paris: Presence africaine, 1981.

DIOP, C. A. Origem dos antigos egípcios. In: MOKHTAR, Gamal. História geral da África: África antiga. Brasília: UNESCO, 2010.

DETIENNE, Marcel. Os gregos e nós. Trad. Mariana Palozzi. São Paulo: Edições Loyola, 2014.

DOBERSTEIN, Arnoldo Walter. O Egito Antigo. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2010.

DOVE, Nah. Uma Crítica Africano-Centrada à Lógica de Marx. Trad. Wellignton Santos; Fernando Jesus. Ensaios Filosóficos. v 16, 2017.

EL-NADOURY, Rashid; VERCOUTTER, J. O legado do Egito faraônico. In. MOKHTAR, Gamal. História geral da África: África antiga. Brasília: UNESCO, 2010.

FAYE, Jean-Pierre. Narrativas totalitárias. Trad. Paula Martins. São Paulo: Editora 34, 1996.

GARAUDY, Roger. O Ocidente é um acidente. Trad. Virgínia Novais da Mata-Machado. Rio de Janeiro: Editora Forense Universitária, 1983.

GAMA-ROLLAND, Cintia. L’existence ou pas d`une “démocratisation” ou “demotisation” du post mortem: l’étude des chaoabtis du Nouvel Empire. In: JUNIOR, Antonio Brancaglion; CHAPOT, Gisela (Orgs). Estudos de Egiptologia IV. Rio de Janeiro: Editora Klíne, 2017.

HARTOG, François. Memória de Ulisses: narrativas sobre a fronteira na Grécia antiga. Trad. Jacyntho Lins Brandão. Belo Horizonte: UFMG, 2004.

HARRIS, J. R. O legado do Egito. Trad. Henrique de Araújo Mesquita. Rio de Janeiro: Imago, 1993.

HEGEL, G.W. Friedrich. Filosofia da História. Trad. Maria Rodrigues; Hans Harden. Brasília: Editora da UnB, 2008.

HERÓDOTO. História. Trad. Bartolomé Pou. São Paulo: Ed. eBooks Brasil, 2006.

JAEGER, Werner. Paideia. Trad. Artur M. Parreira. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

JAMES, George G. M. Stolen Legacy: Greek Philosophy is Stolen Egyptian Philosophy. The Journal of Pan African Studies, 2009.

JOÃO, Maria Thereza David. Implicações econômicas dos templos egípcios e a constituição de poderes locais: um estudo sobre o Reino Antigo. In: Org. JUNIOR, Antonio Brancaglion; CHAPOT, Gisela (orgs.). Estudos de Egiptologia IV. Rio de Janeiro: Editora Klíne,

LAÊRTIOS, Diógenes. Vidas e doutrinas dos filósofos ilustres. Trad. Mario da Gama Kury. Brasília: Ed. UnB, 2008.

MANACORDA, Mario A. História da Educação. Trad. Gaetano Lo Manacorda. São Paulo: Cortez, 2010.

MATHIEU, Frederich. Platon, le Egypte et la question de l’ame. Paris: Libro Veritas, 2014.

MENU, Bernadette. Maât, ordre social et inégalités dans l’Égypte ancienne. Droit et cultures [En ligne], 69 | 20151, mis en ligne le 20 avril 2015, consulté le 24 juillet 2016. URL: http://droitcultures.revues.org/3510

MOORE, Carlos. Racismo e Sociedade. Belo Horizonte: Nandyala, 2012.

MORAES, Marcelo. A heterogipcia enquanto o outro egípcio na filosofia. In: JUNIOR, Antonio Brancaglion; CHAPOT, Gisela (orgs.) Estudos de Egiptologia IV. Rio de Janeiro: Editora Klíne, 2017.

MORAES, M. A filosofia ética e política do Egito Antigo. In: JUNIOR, Antonio Brancaglion; CHAPOT, Gisela (orgs.). Estudos de Egiptologia V. Rio de Janeiro: Editora Klíne, 2018.

NOGUERA, Renato. A ética da serenidade: o caminho da barca e a medida da balança na filosofia de Amenemope. Ensaios Filosóficos, v. 08, 2013.

NOGUERA, R. Amenemope, o coração e a filosofia, ou, a cardiografia (do pensamento). In. BRANCAGLION, Antonio. Semma. Estudo de Egiptologia II. Rio de Janeiro, 2015.

OBENGA, Théophile. Egypt: Ancient History of African Philosophy. In: WIREDU, Kwasi. A companion to African Philosophy. Oxford: Blackwell Publishing, 2004.

OBENGA, T. La philosophie africaine de la période pharaonique (2780-330 a. C.). Paris: L’Harmattan, 1990.

OBENGA, T. Aristote et egypte ancienne. ANKH, n° 2, Abr. 1993.

PLATÃO. República. Trad. Maria Helena da Rocha Pereira. Lisboa: Fundação Calouste Gulbbenkian, 2001.

PLATÃO. Timeu-Crítias. Trad. Rodolfo Lopes. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2013.

PLUTARCO. Vidas Paralelas. Trad. Ranz Romanillos. Gredos: Madrid, 2001.

PTAH-HOTEP. Ensinamentos de Ptahhotep. In: ARAÚJO, Emanuel. Escrito para a eternidade: a literatura no Egito faraônico. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 2000.

RAMOSE, Mogobe. Sobre a Legitimidade e o Estudo da Filosofia Africana. Trad. Dirce Solis. Revista Ensaios Filosóficos. v. 04, 2011.

SCHURÉ, Édouard. Pitágoras. São Paulo: Martin Claret, 1986.

VERCOUTTER, Jean. O Egito Antigo. Trad. Francisco G. Heidemann. São Paulo: Difel, 1980.

VERNANT, Jean-Pierre. As origens do pensamento grego. Trad. Ísis Borges. Rio de Janeiro: Difel, 2004.

YOYOTTE, J. O Egito faraônico: sociedade, economia e cultura. In: MOKHTAR, Gamal. História geral da África: África antiga. Brasília: UNESCO, 2010.

WEIL, Eric. Hegel e o Estado. Trad. Carlos Nougué. São Paulo: Realizações Editora, 2011.




DOI: https://doi.org/10.5902/2179378639948

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Voluntas: Revista Internacional de Filosofia

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial-Compartilha Igual 4.0 Internacional.