A “alegria estética” na reflexão sobre a felicidade em Schopenhauer

Anerson Gonçalves de Lemos

Resumo


Neste artigo, apresentamos uma reflexão sobre o tema da felicidade em Schopenhauer, voltada para exposição da noção de “alegria estética” ou “felicidade pura”, conceitos intercambiáveis expostos por ele em sua metafísica do belo. Inicialmente abordaremos em linhas gerais o tema da felicidade segundo a metafísica schopenhaueriana. Em seguida, apresentaremos uma análise da noção de “felicidade terrena”, identificada com a satisfação do querer, a qual se diferencia radicalmente do conceito de alegria estética. Nesse sentido, o intuito dessa segunda parte da exposição é fornecer elementos para serem posteriormente utilizados na explicação do tema principal do artigo. Finalmente, examinaremos a noção felicidade pura como uma forma satisfação singular. Examinaremos o estatuto dessa modalidade de felicidade a partir da análise da psicologia e, sobretudo, da estética de Schopenhauer, onde ela é apresentada e desenvolvida e, em seguida, a analisaremos enquanto um estado positivo e hedonista de satisfação.

Palavras-chave


Ética; Metafísica; Estética; Felicidade terrena; Felicidade pura

Texto completo:

PDF HTML

Referências


BARBOZA, Jair. Infinitude subjetiva e estética: natureza e arte em Schelling e Schopenhauer. São Paulo: Ed. Unesp, 2005.

BARBOZA, Jair. “Parentesco entre Estética e Ética”. In Temas de Ética. Organização de Inês Lacerda de Araújo e Francisco Verardi Bocca. Curitiba: Ed. Champagnat, 2005.

BIRNBACHER, Dieter. Arthur Schopenhauer: vontade e negação do mundo. In: FLEISCHER, Margot; HENNIGFELD, Jochem (org). Filósofos do século XIX: uma introdução. Tradução de Dankwart Bernsmüller. São Leopoldo: Editora UNISINOS, 2007.

CALLEJÓN, Encarnación Ruiz. La extensión de la comunidade moral em Schopenhauer: la moral de lacompasión y elsufrimiento de losanimales. Convivium, v. 20, 2007, pp. 145-172.

CARTWRIGHT, E. David. Historical Dictionary of Schopenhauer´s Philosophy. Oxford: Scarecrow Press, 2005.

KOßLER Matthias. Life is but a Mirror: On the Connection between Ethics, Metaphysics and Character in Schopenhauer. IN. Better Consciousness: Schopenhauer’s Philosophy of Value. Edited by Alex Neill and Christopher Janaway. Oxford: Wiley-Blackwell, 2009.

MISRAHI, Robert. A felicidade: ensaio sobre a alegria. Trad. de Flávia Nascimento. Rio de Janeiro: DIFEL, 2001.

SALLOUM, Jamil Jr. A ética ascética de Arthur Schopenhauer e o hinduísmo: um estudo bibliográfico-comparativo: assonâncias e dissonâncias. 2007. 119 f. (Dissertação de Mestrado em Filosofia), Universidade Católica do Paraná. Curitiba, 2007.

SCHOPENHAUER, A. O mundo como vontade e como representação. Tomo I. Trad. Jair Barboza. São Paulo: Ed. UNESP, 2005.

SCHOPENHAUER, A. O mundo como vontade e representação. Tomo II. 2 vols. Trad. Eduardo Ribeiro da Fonseca. Curitiba: Ed. UFPR, 2014.

SCHOPENHAUER, A Metafísica do Belo. Tradução, apresentação e notas de Jair Barboza. São Paulo: UNESP, 2003.

SCHOPENHAUER, A. Parerga y Paralipómena. Madri: Valdemar letras clásicas, 2009.

SCHOPENHAUER, A. Sämtliche Werke. Textkritisch bearbeitet und herausgegeben von Wolfgang von Löhneysen. Frankfurt am Main: Suhrkamp, 1986.

TANNER, Michael. Schopenhauer: metafísica e arte. Trad. Jair Barboza. São Paulo: UNESP, 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2179378638690

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Voluntas: Revista Internacional de Filosofia

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial-Compartilha Igual 4.0 Internacional.