Historicidade encarnada: um ensaio sobre arqueologia e imaginação

Fabrício Pontin, Tatiana Vargas Maia

Resumo


Neste ensaio, vamos primeiro focar na importância da questão do corpo e da corporificação para a visão de Foucault sobre a subjetividade e a verdade, apontando para a localização do conhecimento como um argumento sobre os aspectos alienantes da incorporação. Além disso, vamos contrastar a intencionalidade corpórea de Foucault, que molda as possibilidades de uma narração do self, com a noção de “paisagens” em Walter Benjamin e a colocação da subjetividade como uma narrativa de um self que tenta liberar sua subjetividade de uma compreensão materialista do próprio corpo. Finalmente, enquadramos a questão da narração dentro de uma “estética da corporificação”, apontando as maneiras pelas quais o erotismo e a sexualidade podem permitir uma superação da alienação, seguindo uma interpretação aberta do método arqueológico de Foucault.


Palavras-chave


Corporificação; Alienação; Historicidade; Conhecimento

Texto completo:

PDF (English) HTML

Referências


AGAMBEN, Giorgio. Il linguaggio e la morte. Un seminario sul luogo della negatività. Torino: Giulio Einaudi, 1982.

AGAMBEN, Giorgio. Potentialities: Collected Essays in Philosophy. Stanford: Stanford University Press, 1999. Translated by Daniel Heller-Roazen.

BALLARD, J. G. Crash: A Novel. New York: Picador, 2001.

BENJAMIN, Walter. The origin of German Tragic Drama. New York: Verso, 1998.

BENJAMIN, Walter. The Arcades Project. Cambridge: Belknap Press of Harvard University Press, 2002.

FOUCAULT, Michel. Madness and Civilization. New York: Vintage Books, 1988.

FOUCAULT, Michel. The Order of Things: An Archaeology of the Human Sciences. New York: Vintage Books, 1994.

FOUCAULT, Michel. Essential works of Foucault, 1954-1984. Volume 1, Ethics. London: Penguin Books, 2000.

FOUCAULT, Michel. Essential works of Foucault, 1954-1984. Volume 2, Aesthetics. London: Penguin Books, 2000.

FOUCAULT, Michel. The Hermeneutics of the Subject. Lectures at the Collège de France. 1981-1982. New York: Palgrave Macmillan, 2005.

HONNETH, Axel. Disrespect. The normative Foundations of Critical Theory. Cambridge: Polity Press, 2007.

HEIDEGGER, Martin. Phenomenological Interpretation of Kant's Critique of Pure Reason. Indiana University Press, 1997.

HEIDEGGER, Martin. HEIDEGGER, Martin. Being and Time. New York: SUNY PRESS, 2010.Translated by Joan Stambaugh.

LÖWY, Michael. Fire Alarm: Reading Walter Benjamin's "On the Concept of History". New York: Verso, 2006.

OATES, Joyce Carol. Black Girl/ White Girl: A Novel. New York: Harper Perennial, 2007.

OLIVEIRA, Nythamar Fernandes de. Tractatus Ethico-Politicus. Genealogia do Ethos Moderno. Porto Alegre: EDIPUCRS, 1998.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2179378637880

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Voluntas: Revista Internacional de Filosofia

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial-Compartilha Igual 4.0 Internacional.