On analogical arguments: Organizing logical and conceptual problems in sections 18 and 19 of Schopenhauer´s The World as Will and Representation

Marcos Silva

Resumo


Aqui listo e organizo alguns problemas lógicos e conceituais dos parágrafos 18 (sobre a cognoscibilidade da coisa em si) e 19 (sobre a extensao deste resultado ao mundo) na obra principal de Schopenhauer. Quando Schopenhauer coloca a responsabilidade no argumento por analogia de transmitir (übertragen) a problemática identificação coisa em si/vontade, ele traz para a sua Filosofia os seguintes pontos frágeis deste argumento: (i) a invalidade lógica; (ii) a falta de critério para o alcance da extensao; (iii) a indeterminação do que está sendo realmente extendido; (iv) o caráter irrestrito da extensão analógica; (v) a natureza indireta do argumento (para evitar o solipsismo); e (vi) o colapso do que está sendo extendido. Assim tento apontar por que, apesar destes pontos frágeis, este argumento por analogia parece nao ser de forma alguma problemático para Schopenhauer.

Palavras-chave


Argumentos por analogia, solipsismo, coisa-em-si

Texto completo:

PDF (English)

Referências


BRANQUINHO, João (et al.). Enciclopédia de termos lógico-filosóficos. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

CACCIOLA, Maria Lúcia. Schopenhauer e a questão do dogmatismo. São Paulo: EdUSP, 1994.

JANAWAY, Christopher (Org.). The Cambridge Companion to Schopenhauer. England: Cambridge University Press, 1999.

KANT, Immanuel. Kritik der reinen Vernunft. 2 Bände. Frankfurt am Main: Suhrkamp Taschenbuch, 1974.

SCHOPENHAUER, Arthur. Die Welt als Wille und Vorstellung. Herausgegeben von Werner Brede in zwei Werke. München: Carl Hanser Verlag 1977.

SCHOPENHAUER, Arthur. O mundo como vontade e como representação. Tradução, apresentação, notas e índices de Jair Barboza. São Paulo: Editora UNESP, 2005.

SCHOPENHAUER, Arthur. The World as Will and Representation. Trad. EFJ Payne. New York: Dover Publications, Inc, 1966.

SCHOPENHAUER, Arthur. Sobre o Fundamento da Moral. Trad. Maria Lúcia Cacciola com ensaio introdutório de Alain Roger. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

ROGER, Alain. Ensaio introdutório. In: Sobre o fundamento da moral. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

SPIERLING, Volker. Arthur Schopenhauer zur Einführung. Hamburg: Junius Verlag, 2002.

SPIERLING, Volker. Kleines Schopenhauer Lexikon. Stuttgart: Reclam, 2003.

TORRES FILHO, Rubens. Prefácio. In: Schopenhauer e a questão do dogmatismo. São Paulo: EdUSP, 1994.

WITTGENSTEIN, Ludwig. Tractatus Logico-Philosophicus. Trad. Luiz Henrique dos Santos. São Paulo: EdUSP, 1992.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2179378634129

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2011 Voluntas: Revista Internacional de Filosofia

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial-Compartilha Igual 4.0 Internacional.