Contemplação estética e alienação: A apropriação da estética de Schopenhauer pelos mecanismos da Indústria Cultural

Francisco Fianco

Resumo


Nosso texto tem como tema a apropriação de categorias do pensamento de Schopenhauer pelo mecanismo da Indústria Cultural, conforme este foi teorizado por Adorno e Horkheimer. Pressupõe-se a possibilidade de fazer a devida relação argumentativa entre, principalmente, o Livro III de O mundo como vontade e representação e o capítulo sobre a Indústria Cultural da obra Dialética do Esclarecimento. Teremos como objetivo, em um primeiro momento, demonstrar de que maneira o conceito schopenhaueriano de contemplação estética permite, através da anulação da vontade, a anulação do sofrimento inerente à existência para, em um segundo momento, analisar de que modo este mesmo mecanismo, cooptado pela indústria da cultura e pelos meios de comunicação de massa, proporciona um entorpecimento cotidiano resultante em alienação da consciência.

Palavras-chave


Contemplação estética; Alienação; Schopenhauer; Indústria Cultural

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, Theodor W. Minima Moralia. Tradução de Luiz Eduardo Bica, revisão de Guido de Almeida. São Paulo: Editora Ática, 1992.

BENJAMIN, Walter. A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica, In: ______ Magia e Técnica, Arte e Política. 3. Ed. Tradução de Sérgio Paulo Rouanet e prefácio de Jeanne Marie Gagnebin. São Paulo: Brasiliense, 1987. Obras Escolhidas, Vol. I, p. 165-196.

HORKHEIMER, Max. O pensamento de Schopenhauer em relação à ciência e à religião. Trad. Flamarion Caldeira Ramos. In: Cadernos de Filosofia Alemã XII. São Paulo: FFLCH-USP, 2008, p. 99 – 128. Disponível em: . Acessado em 28 nov. 2011.

HORKHEIMER, Max. Teoria Crítica I. São Paulo : Editora Perspectiva, 2004.

HORKHEIMER, Max. Teoria Tradicional e Teoria Crítica. In: Os Pensadores, Vol. XLVIII. São Paulo: Abril Cultural, 1980.

HORKHEIMER, Max; ADORNO, Theodor W. Dialética do Esclarecimento:

Fragmentos Filosóficos. [Dialektik der Aufklärung: Philosophische Fragmente] Tradução de Guido Antonio de Almeida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1985.

SCHOPENHAUER, Arthur. O mundo como vontade e representação, III Parte. In: Os Pensadores, Vol. XXXI. São Paulo: Editora Abril Cultural, 1974.

SCHOPENHAUER, Arthur. O mundo como vontade e representação. Tradução de M. F. Sá Correia. Rio de Janeiro: Contraponto, 2001.




DOI: https://doi.org/10.5902/2179378633862

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Voluntas: Revista Internacional de Filosofia

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial-Compartilha Igual 4.0 Internacional.