A Teoria da Justiça no debate entre John Rawls e Robert Nozick

Autores

Palavras-chave:

Robert Nozick, Teoria da Justiça, Teoria da Titularidade, John Rawls, Liberalismo.

Resumo

O aumento no alcance de ideias liberais ou mesmo libertários tem motivado retornos a importantes obras do pensamento desse campo. Nesse sentido, se justifica na tentativa de retomar algumas das mais importantes construções teóricas deste campo, em especial aquela produzida por Robert Nozick, notadamente em seu livro Estado, Anarquia e Utopia. Para isso, no entanto, se faz necessária também uma breve apresentação da obra de John Rawls, Uma teoria da Justiça, compreendendo ser essa obra parte fundamental para se compreender a própria construção de Nozick. Propõe-se, assim, trabalho estritamente teórico que busca refletir sobre a importância do debate sobre teoria da justiça a partir das contribuições desses autores. Ao final, se evidencia as principais divergências entre os dois autores e são indicados também outras vertentes que atravessam o debate sobre a teoria da justiça no tempo presente, com destaque para a teoria do reconhecimento, especialmente nos moldes em que foi proposta por Axel Honneth.

Biografia do Autor

Rodrigo Badaró Carvalho, UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

Bacharel em Ciências do Estado (UFMG).

Mestre em Direito (UFMG)

Doutorando em Ciência Política (UFMG) 

Referências

DUSSEL, E. 1492: el encubrimiento del otro: hacia el origen del "mito de la modernidad" : conferencias de Frankfurt, octubre de 1992.

FRASER, N. Rethinking Recognition. New Left Review, London, n. 3, p. 107-120, May-June. 2000.

FRASER, N. “From redistribution to recognition? Dilemmas of justice in a ‘postsocialist’ age”. In: S. Seidman; J.A. (orgs.). 2001. The new social theory reader. Londres: Routledge, pp. 285-293. 2001a.

FRASER, N. Recognition without Ethics? Theory, Culture & Society, London, v. 18, n. 2-3, p. 21-42, June. 2001b.

FREEMAN, S. Illiberal libertarians: Why libertarianism is not a liberal view. Philosophy & Public Affairs, v. 30, n. 2, p. 105-151, 2001.

HABERM AS, J. Faktizität und Geltung. Beiträge zur Diskurstheorie des Rechts und des demokratischen Rechtsstaats, Frankfurt am Main: Suhrkamp, 1992.

HONNETH, A. A textura da justiça – sobre os limites do procedimentalismo contemporâneo. In: Civitas – Revista de Ciências Sociais, v. 9, n. 3. Porto Alegre: PUC-RS, set.–dez. 2009, p.345-368. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/civitas/article/view/6896/5023, Acesso em 01/07/2020.

HONNETH, A; ANDERSON, J. Autonomia, vulnerabilidade, Reconhecimento e Justiça. In: Cardenos de Filosofia Alemã, v.17, p.81-113, 2011.

NOZICK, R. Anarchy, state, and utopia. New York: Basic Books, 1974.

NOZICK, R. Anarquia, estado e utopia. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2011, 395p.

RAWLS, J. A theory of justice. Cambridge, Mass.: The Belknap Pres of Harvard University Press, 1971. xv, 607p.

RAWLS, J. Liberalismo político. UNAM, 1995.

SEN, A. A ideia de justiça. Editora Companhia das Letras, 2011.

SIMIM, T. A. Entre comunitaristas e liberais: a teoria da justiça de Axel Honneth. Rev. Direito Práx., Rio de Janeiro , v. 8, n. 1, p. 386-412, Mar. 2017 .

TAYLOR, C. The politics of recognition. In: TAYLOR, C. Multiculturalism: Examining the Politics of Recognition. Princeton, New Jersey: Princeton University Press, 1994, pp.25-73.

VITA, A. Liberalismo, justiça social e responsabilidade individual. DADOS - Revista de Ciências Sociais, v. 54, n. 4, p. 569-608, 2011.

VITA, A. Uma concepção liberal-igualitária de justiça distributiva. Rev. bras. Ci. Soc. [online]. 1999, vol.14, n.39, pp.41-59.

Downloads

Publicado

2021-12-20

Como Citar

Carvalho, R. B. (2021). A Teoria da Justiça no debate entre John Rawls e Robert Nozick. Século XXI: Revista De Ciências Sociais, 10(2), 86–105. Recuperado de https://periodicos.ufsm.br/seculoxxi/article/view/48546

Edição

Seção

Artigos