https://periodicos.ufsm.br/seculoxxi/issue/feed Século XXI: Revista de Ciências Sociais 2021-12-20T20:55:09-03:00 Ricardo Mayer r.mayer@ufsm.br Open Journal Systems <p style="text-align: justify;">A<strong> Século XXI: Revista de Ciências Sociais</strong> é uma publicação semestral do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais do Centro de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Federal de Santa Maria - UFSM. Sua missão consiste na divulgação da produção científica da área de pós-graduação em ciências sociais com abragência nacional e internacional. Sua política editorial contempla a divulgação de trabalhos inéditos do âmbito das ciências sociais – sociologia, antropologia e ciência política - na forma de artigos e resenhas com relevância científica e social. <span>Seu público alvo </span><span>é constituído por docentes e pesquisadores vinculados às instituições de pesquisa e pós-graduação da área de ciências sociais. Seus artigos são inéditos e podem ser publicados em português, espanhol, inglês e francês.</span></p> https://periodicos.ufsm.br/seculoxxi/article/view/68865 Apresentação 2021-12-20T20:55:09-03:00 Ricardo Mayer rreyam@yahoo.com.br <div class="page" title="Page 1"> <div class="layoutArea"> <div class="column"> <p>Esta edição da <em>Século XXI: Revista de Ciências Sociais</em> completa seu 10º volume. Desde sua primeira edição, no 1o semestre de 2011, já foram publicadas 21 edições da revista sempre no intento de divulgar, de forma plural, a produção científica da área de pós-graduação em ciências sociais buscando contemplar uma abrangência nacional e internacional.</p> </div> </div> </div> 2021-12-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Ricardo Mayer https://periodicos.ufsm.br/seculoxxi/article/view/35900 Seguindo a construção de fatos e mapeando redes: Urnas eletrônicas brasileiras são confiáveis? 2020-09-05T00:35:37-03:00 Otávio Vinhas otavio.vinhas@gmail.com Camila Dellagnese Prates camila_prates@yahoo.com.br <p class="normal">Este artigo descreve a controvérsia acerca da confiabilidade das urnas eletrônicas brasileiras, no contexto das eleições presidenciais de 2018, utilizando a lente teórica e metodológica da Teoria Ator-Rede (TAR) de Bruno Latour e colaboradores. A delimitação do campo empírico abrange o período compreendido entre o resultado final das eleições presidenciais de 2014 até o final pleito eleitoral de 2018. Acerca disso este trabalho tenciona a relação entre a participação democrática na escolha dos representantes do povo e o uso da urna eletrônica como uma mediadora da escolha pessoal e dos resultados das eleições. Metodologicamente utiliza-se a cartografia das controvérsias (Latour, 2016) para captar as movimentações do enunciado “urnas eletrônicas são confiáveis” em frente a um contexto de disputas acirradas que marcou o cenário eleitoral brasileiro. A rede expõe como opera a dinâmica de disputa entre grupos opostos e também como um enunciado é fortalecido e estabilizado em detrimento de outro. A rede permite problematizar que quando se questiona a funcionalidade da tecnociência é possível, por meio de um contexto de democratização técnica (Callon et al., 2014), expandir as fronteiras o debate entre técnicos e leigos para fortalecer o sistema de voto no Brasil.</p> 2021-12-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Século XXI – Revista de Ciências Sociais https://periodicos.ufsm.br/seculoxxi/article/view/39885 Desigualdade de oportunidades no ensino superior: um estudo de caso dos estudantes da Universidade Federal de Pernambuco 2019-09-06T00:15:45-03:00 Clara de Lima Hordonho clarahordonho@hotmail.com <p>Este estudo tem como objetivo investigar os efeitos do <em>background</em> social no processo de escolha de cursos superiores entre estudantes da Universidade Federal de Pernambuco, com enfoque nos cotistas matriculados em 2017, mediante o uso de um modelo de regressão linear múltipla. Com o uso do <em>International Socio-Economic Index of Occupational Status (</em>ISEI<em>), </em>uma escala métrica internacional que mede status de ocupações, determinadas variáveis do <em>background</em> social do aluno foram testadas, tendo em vista as desigualdades de oportunidades educacionais (DOE) apontadas por Carlos Antonio Ribeiro e Sérgio Costa Ribeiro, com o intuito de se analisar uma possível desigualdade no processo de escolha de cursos entre os estudantes. Como resultados, apontam-se o sexo dos estudantes, as notas no Enem e a modalidade de concorrência como as características mais impactantes na escolha de cursos de maiores ou menores status.</p> 2021-12-22T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 clara de Lima Hordonho https://periodicos.ufsm.br/seculoxxi/article/view/40981 Movimento sindical argentino: revitalização e protagonismo de Kirchner a Macri 2020-07-09T16:27:03-03:00 Bruna Stephanie Miranda dos Santos brs.miranda@gmail.com Santiago Duhalde ds@der.unicen.edu.ar <p>Por definição este trabalho busca pontuar a forma de organização e a estrutura sindical argentina, abordando sua instituição e atores e também a revitalização vivenciada neste setor nas últimas duas décadas no País. Abordaremos a reorganização e protagonismo vivenciado a partir de 2002 com a chegada ao poder de um governo progressista, inicialmente no governo interino de Eduardo Duhalde e após na figura de Néstor e Cristina Kirchner, e o aprofundamento da atuação política do sindicalismo argentino. A guinada à direita ao final de 2015, com a posse de Maurício Macri, inicia a fase de ajustes econômicos severos no intuito de conter a crise econômica aguda vivenciada no País. O mercado de trabalho é afetado e inicia-se uma nova fase de troca e protagonismo entre governo e forças sindicais.</p> 2021-12-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Século XXI: Revista de Ciências Sociais https://periodicos.ufsm.br/seculoxxi/article/view/48546 A Teoria da Justiça no debate entre John Rawls e Robert Nozick 2020-07-31T18:16:01-03:00 Rodrigo Badaró Carvalho rodrigobadaro@yahoo.com.br <p>O aumento no alcance de ideias liberais ou mesmo libertários tem motivado retornos a importantes obras do pensamento desse campo. Nesse sentido, se justifica na tentativa de retomar algumas das mais importantes construções teóricas deste campo, em especial aquela produzida por Robert Nozick, notadamente em seu livro <em>Estado, Anarquia e Utopia</em>. Para isso, no entanto, se faz necessária também uma breve apresentação da obra de John Rawls, <em>Uma teoria da Justiça</em>, compreendendo ser essa obra parte fundamental para se compreender a própria construção de Nozick. Propõe-se, assim, trabalho estritamente teórico que busca refletir sobre a importância do debate sobre teoria da justiça a partir das contribuições desses autores. Ao final, se evidencia as principais divergências entre os dois autores e são indicados também outras vertentes que atravessam o debate sobre a teoria da justiça no tempo presente, com destaque para a teoria do reconhecimento, especialmente nos moldes em que foi proposta por Axel Honneth.</p> 2021-12-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Rodrigo Badaró Carvalho https://periodicos.ufsm.br/seculoxxi/article/view/38185 Sociedade civil, transnacionalização e projetos políticos na América Latina contemporânea no contexto da disputa por hegemonia 2020-11-25T16:29:06-03:00 Sandro Pereira Silva sandro.pereira@ipea.gov.br O conceito de sociedade civil vem recebendo nos últimos anos um grande destaque enquanto categoria analítica sobre diversos fenômenos que marcaram as transformações tanto na organização social propriamente dita quanto na geopolítica global. Neste trabalho, a proposta foi analisar as diferentes abordagens sobre sociedade civil e sua importância no processo recente de mudança social e redemocratização nos países latinoamericanos. Buscou-se enfatizar como a democracia, ao mesmo tempo em que permitiu novas reconfigurações na sociedade e suas organizações, também explicitou a disputa por hegemonia presente na diversidade de atores políticos na região. Nesse sentido, o processo de democratização na América Latina, que permitiu uma reativação do associativismo civil e das lutas sociais na região, pode ser examinado em função da mudança de atitudes no comportamento dos atores e movimentos sociais que vão além das relações institucionalizadas entre Estado e sistema político. Em síntese, esse processo pode ser caracterizado por uma disputa por diferentes projetos e concepções em torno da consolidação da democracia e da própria noção de Estado democrático. 2021-12-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Século XXI: Revista de Ciências Sociais https://periodicos.ufsm.br/seculoxxi/article/view/36018 Apontamentos sobre o conceito de essência humana em Marxismo e Antropologia, de György Márkus 2018-12-12T12:38:41-02:00 Filipe Leite Pinheiro leitepn@gmail.com <p>Primeiro livro de György Márkus (1934-2016) voltado ao público internacional, <em>Marxismo e Antropologia: o conceito de ‘essência humana’ na filosofia de Marx </em>é uma referência incontornável no debate marxista sobre o tema. Neste artigo situo o texto de Márkus na produção da Escola de Budapeste, grupo de intelectuais organizados em torno de György Lukács ao longo dos anos 1960, exploro a sua relação com a reflexão do Lukács maduro, e a partir de elementos mobilizados desta reflexão apresento uma reapreciação crítica de <em>Marxismo e Antropologia. </em>Como principais conclusões, destaco o conceito de substância móvel subjacente à caracterização de essência humana presente em ambos os autores, além do fato da extrapolação das tendências de desenvolvimento do ser social tipificadas por Lukács apontarem para a caracterização do ser humano como ser natural, social, consciente e tendencialmente universal proposta por Márkus. Assim espero contribuir para avançar em uma compreensão adequada da relação entre a obra de Márkus e a Escola de Budapeste e mapear os ecos da influência de seu mentor Lukács.</p> 2021-12-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Século XXI – Revista de Ciências Sociais