Análise da eficiência: um estudo nas cooperativas financeiras do Rio Grande do Sul

Ricardo Höher, Osmar Tomaz de Souza, Adelar Fochezatto

Resumo


O objetivo deste artigo foi mensurar e analisar a eficiência das cooperativas de crédito estabelecidas no Estado do Rio Grande do Sul, considerando as entidades vinculadas nos sistemas SICREDI, CRESOL, CREHNOR, UNICRED E SICOOB. Como metodologia, foi aplicado o método DEA (Data Envelopment Analysis), a partir das informações das demonstrações contábeis das cooperativas financeiras selecionadas para o estudo. O modelo proposto apresentou o ranking de eficiência e demonstrou que a eficiência média das cooperativas gaúchas foi de 76,32% no período pesquisado. Em 2013, as cooperativas financeiras, apresentaram eficiência média de 79,20%, o melhor resultado entre os períodos analisados, onde 17 cooperativas obtiveram 100% de eficiência. Já em 2014 obtiveram uma eficiência média de 73,37%, sendo o pior resultado entre os anos pesquisados. Os resultados demonstraram um equilíbrio, quanto à eficiência, entre as cooperativas financeiras estabelecidas no Rio Grande do Sul, bem como a constatação de que a eficiência não está associada ao tamanho (Ativo total), nem a vinculação a determinado sistema.

Palavras-chave


Cooperativas de crédito; desempenho; demonstrações financeiras

Texto completo:

PDF HTML

Referências


Banco Central do Brasil – BCB. Panorama do Sistema Nacional de Cooperativas de Crédito. Brasília, 2016. Disponível em: https://www.bcb.gov.br/pre/microFinancas/coopcar/pdf/panorama_de_cooperativas.pdf. Acesso em: 18 jan. 2018.

BERGER, A. N.; HASAN, I.; ZHOU, M. Bank ownership and efficiency in China: what will happen in the world's largest nation? Journal of Banking and Finance, v. 33, p.113- 130, 2009.

BERGER, A. N.; MESTER, L. J. Inside the black box: what explains differences in the efficiencies of institutions. Journal of Banking and Finance. v.21, n.7, p.895-947, jul. 1997.

BERGER, A.N.; HUMPHREY, D.B. Efficiency of financial institutions: internacional survey and directions for future research. European Journal of Operational Research, v.98, n.2, p.175-212, 1997.

BRESSAN, V.G.F.; BRAGA, M. J.; BRESSAN, A. A.; RESENDE FILHO, M. A. Uma aplicação do sistema PEARLS às cooperativas de crédito brasileira. Revista de Administração (FEA-USP), V. 46, n. 3, p. 258-274, jul./ago./set. 2011.

BRESSAN, V.G.F.; MENEZES, M. R.; LOPES, A, L, M.; FERREIRA, M. A. M.; LAMOUNIER, W. M. Análise da eficiência técnica das cooperativas de crédito brasileiras: um estudo dos sistemas Sicoob e Sicredi. João Pessoa, SOBER - Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural, 2015

CASTRO, E.R.; FIGUEIREDO, A. M.; LEITE, C. A. M.; SANTOS, M. L. dos. Teoria da Produção. In: SANTOS, M. L. dos; LÍRIO, V. S.; VIEIRA, W. C. (Org). Microeconomia aplicada. Visconde do Rio Branco, MG: Suprema, 2009.

CAVA, P. B.; SALGADO JUNIOR, A. P.; BRANCO, A. M. de F. Evaluation of bank efficiency in Brazil: a DEA approach. RAM, Revista de Administração Mackenzie, v. 17 (4), SÃO PAULO – SP. Jul./Ago., 2016.

CAVA, P. B.; SALGADO JUNIOR, A. P; BRANCO, A. M. F. Evaluation of bank efficiency in Brasil. Revista de Administração Mackenze (RAM), V. 17, n. 4, p. 62-84, jul./ago. 2016.

CAVES, R.; BARTON, D. Efficiency in U.S. manufacturing industries, MA, MIT press, 1990.

CROCTEAU, John T. A economia das cooperativas de crédito. São Paulo: Atlas, 1968.

DUYGUN, M.; SENA, V.; SHABAN, M. Schumpeterian competition and efficiency among commercial banks. Journal of Banking and Finance, v. 37, p. 5176-5185, 2013.

FARRELL, M. J. The Measurement of productive efficiency. Journal of the Royal Statistical Society, v. 120, p. 252-290, 1957.

FERREIRA, C. M. C.; GOMES, A. P. Introdução à análise envoltória de dados: teoria, modelos e aplicações. Viçosa: Editora UFV, 2009.

FERREIRA, M. A. M.. Eficiência técnica e de escala de cooperativas e sociedade de capital na indústria de laticínios do Brasil. 2005. 158 f. Tese (Doutorado em Economia Aplicada) – Departamento de Economia Rural, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2005.

GOLDSMITH, R.W. Financial Structure and Development. New Haven, CT: Yale University Press, 1969.

GORTON, G.; WINTON, A. A financial intermediation. In Constantinides, G., Harris, M. &Stulz, R. (ed.). Handbook of the Economics of Finance, vol. 1A. London: Elsevier, 2003.

JACQUES, E. R.; GONÇALVES, F. O. Cooperativas de Crédito no Brasil: evolução e impactos sobre a renda dos municípios brasileiros. Economia e Sociedade, Campinas, v. 25, n. 2 (57), p. 489-509, ago. 2016.

KEYNES, J. M. The general theory of employment, interest and money. London: Palgrave Macmillan, 1936.

KING, R.; LEVINE, R. Finance and growth: Schumpeter might be right. The Quarterly Journal of Economics, 1993.

MACORIS, L.; SALGADO, A. P.; Jr., FALSARELLA, E., Jr. The different approaches of banking efficiency: a meta-analysis. Proceedings of the International Conference on Data Envelopment Analysis. Braunschweig, Germany, 2015.

MCKINNON, R. I., Money and Capital in Economic Development. Washington, DC: Brookings Institution, 1973.

MEINEN, E. Cooperativismo financeiro: virtudes e oportunidades. Ensaios sobre a perenidade do empreendimento cooperativo. Brasília, Confebras, 2016.

NOGAMI, O; PASSOS, C. R. M. Princípios de Economia. 7 ed. São Paulo, SP. Cengage Learning, 2016.

ONDRICH, J.; RUGGIERO, J. Efficiency measurement in the stochastic frontier model. European Journal of Operational Research, v.129, n.2, p.434-442, 2001.

PAULA, L. F.; FARIA JÚNIOR, J. A. Eficiência dos bancos públicos no Brasil: Uma avaliação empírica. In: JAYME Jr, F.; CROCCO, M. (Org.). Bancos Públicos e Desenvolvimento. Rio de Janeiro: IPEA, v., p. 259-287, 2010.

PINHEIRO, M. A. H. Cooperativas de Crédito História da evolução normativa no Brasil. Brasília: Banco Central do Brasil - BCB, 6 ed. 2008.

PINHEIRO, Marcos Antonio Henrique. Cooperativas de crédito: história da evolução normativa no Brasil. Brasília: Banco Central do Brasil – BCB, 2004.

SAHA, A.; RAVISANKAR, T. Rating of Indian commercial banks: a DEA approach. European Journal of Operational Research, v. 124 (1), p. 187-203. 2000.

SANTOS, A. dos; CASA NOVA, S. P. de C. Proposta de um modelo estruturado de análise de demonstrações contábeis. RAE-eletrônica, v. 4, n. 1, , jan./jul. 2005.

SCHUMPETER, J. A. The theory of economic development. The Quarterly Journal of Economics, Cambridge, 1911.

SEALEY, C.; LINDLEY, J. Inputs, outputs and a theory of production and cost of depository financial institutions. Journal of Finance, 32(4), 1251-1266, 1977.

SENSARMA, R. Deregulation, ownership and profit performance of banks: evidence from India. Applied Financial Economics. V.18, n.19, p.1581-1585, out. 2008.

SILVA, E. S. A eficiência econômica e social em cooperativas do setor pecuário em Pernambuco. Custos e @gronegócio on line, Recife, PE, v. 1, n. 2, p. 25-44, 2005.

Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Rio Grande do Sul – OCERGS. Disponível em: http://www.sescooprs.coop.br/comunicacao/noticias/2473-cooperativas-gauchas-faturam-r-36-1-bilhoes-em-2015. Acesso em 18 nov. 2016.

SOARES, M. M.; MELO SOBRINHO, A. D. Microfinanças: o papel do Banco Central do Brasil e a importância do cooperativismo de crédito. Brasília: Banco Central do Brasil – BCB, 2007.

TABAK, B. M.; FAZIO, D.M.; CAJUEIRO, D.O. Systemically important banks and financial stability: The case of Latin America. Journal of Banking and Finance, v. 37 (10), p. 3855-3866, 2013.

TABAK, B. M.; KRAUSE, K.; PORTELLA, G. R. Eficiência bancária: o valor intrínseco na função de produção. Revista de Administração (RAUSP) v. 40, n. 4, p. 361-379. Universidade de São Paulo. São Paulo, Brasil, 2005.

TECLES, P. e TABAK, B. M. Determinants of Bank Efficiency: the case of Brazil. Brasília: Banco Central do Brasil. 2010. 38 f. (Working Papers Series, 210)

THANASSOULIS, E. 1996. Assessing the efficiency of schools with pupils of different ability using Data Envelopment Analysis. Journal of the Operational Research Society, n. 47 (1), p. 84-97, 1996.

VILELA, D. L.; NAGANO, M. S.; MERLO, E. M. Aplicaçăo da Análise Envoltória de Dados em Cooperativas de Crédito Rural. RAC, 2. Edição Especial, p. 99-120, 2007.

ZAMORANO, L. R. M.; CERVERA, J. V. The use of parametric and non parametric frontier methods to measure the productive efficiency in the industrial sector: A comparative study, Discussion Papers in Economics, n. 2000/17, The Univerdity.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2359043235988

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. 

     

   

   

 

ISSN Eletrônico: 2359-0432

ISSN Impresso: 2446-7103