Revista de Gestão e Organizações Cooperativas https://periodicos.ufsm.br/rgc <p style="text-align: justify;">A missão da <strong>Revista de Gestão e Organizações Cooperativas, </strong>e-ISSN 2359-0432<strong>,</strong> consiste em publicar a pesquisa empírica que testa, amplia ou constrói estudos voltados para organizações coletivas que contribui com a prática de gestão. Para ser publicado na RGC, um manuscrito deve trazer contribuições empíricas e teóricas relevantes e destacar o significado daquelas contribuições ao campo da atuação". Objetivo: "Contribuir para o avanço e a disseminação do conhecimento científico da Administração a partir da publicação, em meio eletrônico e físico, de ensaios teóricos e empíricos de origem nacional e internacional visando a promover o debate acadêmico e a apresentar práticas de gestão relevantes e aplicadas à realidade organizacional".</p> Universidade Federal de Santa Maria pt-BR Revista de Gestão e Organizações Cooperativas 2446-7103 <p>Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:</p> <ol type="a"> <li>Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a <a href="https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0/" target="_blank" rel="noopener">Licença Creative Commons Attribution</a> que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.</li> <li>Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.</li> <li>Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado (Veja <a href="http://opcit.eprints.org/oacitation-biblio.html" target="_new">O Efeito do Acesso Livre</a>).</li> </ol> Cooperativas agroindustriais e Produto Interno Bruto: uma análise bibliométrica da produção científica dos últimos 20 anos https://periodicos.ufsm.br/rgc/article/view/63699 <p>Este estudo teve como objetivo analisar, por meio de bibliometria, a produção científica sobre as cooperativas agroindustriais em âmbito nacional e internacional, verificando a relação entre as cooperativas agroindustriais e o produto interno bruto (PIB). Quantos aos procedimentos metodológicos procedeu-se com pesquisa bibliográfica e bibliométrica. Na bibliometria utilizou-se as bases do Portal de Periódicos Capes, Anpad Spell, Scopus Preview, Science Direct e Web of Science, com duas palavras chaves: cooperativas agroindustriais e produto interno bruto (PIB), com recorte temporal desde o ano de 2000 até 2020, somente em artigos. Os principais resultados evidenciaram que artigos publicados sobre a temática exposta são encontrados somente quando os termos são buscados separadamente; quando se faz a pesquisa em busca dos termos compostos em conjunto dificilmente é encontrado o resultado esperado, ou seja, não existem pesquisas que relacionem as cooperativas agroindustriais com o PIB. Esta pesquisa contribui ao demonstrar a lacuna existente sobre os temas em conjunto, fator que possibilita novos estudos que os relacionem.</p> Andrezza Caroline Bonkevich Suzim Daniel Teotonio Do Nascimento Copyright (c) 2021 Andrezza Caroline Bonkevich Suzim, Daniel Teotonio Do Nascimento https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-07-21 2022-07-21 9 17 e14 e14 10.5902/2359043263699 Juros sobre capital próprio em cooperativas agropecuárias: a visão dos cooperativistas https://periodicos.ufsm.br/rgc/article/view/64496 <h5><span>A presente pesquisa tem como objetivo analisar quais são os fatores que restringem ou estimulam a utilização dos juros sobre capital próprio (JCP) como estratégia de retorno das cooperativas agropecuárias. Para tanto, empregou-se o método de pesquisa qualitativa básica com uso de entrevistas, conduzidas por meio de roteiros semiestruturados, e com a análise baseada na técnica de template. A amostra foi composta por doze entrevistados inseridos em cooperativas. Por meio da percepção dos mesmos, observou-se que os principais fatores que restringem a utilização da estratégia de retorno dos JCP pelas cooperativas agropecuárias são: a incidência da tributação; resistência em utilizar estratégia de retorno sob o capital; dificuldade de compreensão dos cooperados; possível falta de conhecimento de gestores e contadores; e, a preferência por captar recursos de terceiros. Apesar dos fatores restritivos, a estratégia de JCP pode ser compreendida como uma forma de incentivar a capitalização nas sociedades cooperativas.</span></h5> Fernanda Martins Schuenck Anelise Krauspenhar Pinto Figari Paola Richter Londero Copyright (c) 2021 Fernanda Martins Schuenck, Anelise Krauspenhar Pinto Figari, Paola Richter Londero https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-07-05 2022-07-05 9 17 e13 e13 10.5902/2359043264496 A atuação das cooperativas de crédito em prol da inclusão financeira: estudo de caso comparado https://periodicos.ufsm.br/rgc/article/view/63608 <h5>Este artigo discorre sobre a atuação das cooperativas de crédito em prol da inclusão financeira e tem como objetivo analisar sua atividade como provedora de serviços bancários a comunidades desassistidas, seu caráter de equalização de taxa de juros no mercado, bem como suas ações de fomento a educação financeira. A metodologia utilizada foi de caráter descritivo-qualitativo, com coleta de dados realizada por meio de pesquisa bibliográfica e documental. A pesquisa documental se baseou em relatórios fornecidos por duas cooperativas crédito, e dados disponíveis em suas plataformas na internet. Para a análise dos dados, foi utilizado o método de análise de conteúdo. Por meio desta, pode-se concluir que as cooperativas de crédito são agentes importantíssimos na sociedade, podem atuar em diversos setores e, atendendo seus princípios, contribuem com o desenvolvimento das comunidades em que estão inseridas, substancialmente em áreas como a educação e a cidadania.</h5> Alan Guran de Matos Ligia Greatti João Victor Murari Zampieri Copyright (c) 2021 Alan Guran de Matos, Ligia Greatti, João Victor Murari Zampieri https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-07-21 2022-07-21 9 17 e12 e12 10.5902/2359043263608 Educação cooperativista e gestão estratégica: o caso da Cooperativa Agropecuária São Gabriel do Oeste – COOASGO https://periodicos.ufsm.br/rgc/article/view/68063 As cooperativas agropecuárias estão inseridas num cenário competitivo, tendo que atuar como uma organização economicamente viável e, simultaneamente, como uma organização social e democrática. Nessa direção, torna-se relevante estudar as estratégias de gestão das cooperativas, em especial, a importância dada às práticas de educação cooperativista. Este artigo tem por objetivo verificar a contribuição das práticas de educação cooperativista para a gestão estratégica da Cooperativa Agropecuária São Gabriel do Oeste - COOASGO. Foram realizadas entrevistas com três diferentes públicos da cooperativa e exame de documentos oficiais. Por meio da técnica análise de conteúdo, verificou-se que a COOASGO reconheceu a necessidade de incluir a educação cooperativista no seu planejamento estratégico, tratando a educação cooperativista como um recurso estratégico, o que, consequentemente, contribuiu para o alcance de melhores resultados sociais e econômicos. Portanto, as práticas de educação cooperativista, focadas nas duas dimensões – social e profissional – de maneira equilibrada, colaboram com resultados que vão do aumento da participação, qualificação profissional até qualidade na produção e comprometimento. Fernanda Mansilha da Silva Theodoro Silvia Morales de Queiroz Caleman Copyright (c) 2021 Fernanda Mansilha da Silva Theodoro, Silvia Morales de Queiroz Caleman https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-07-21 2022-07-21 9 17 e11 e11 10.5902/2359043268063 Análise estatística do instrumento de mensuração do Programa de Desenvolvimento da Gestão das Cooperativas (PDGC) https://periodicos.ufsm.br/rgc/article/view/61992 <em>O Programa de Desenvolvimento da Gestão das Cooperativas (PDGC) foi desenvolvido com intuito de fomentar e contribuir para o desenvolvimento da gestão e governança em Cooperativas, haja visto estudos que relacionam adoção de referenciais e modelos de gestão à melhores resultados. Entretanto, teóricos relatam escassez de estudos empíricos que embasem teoricamente a construção e a validação de tais modelos. Este trabalho analisou a validade e a confiabilidade estatística do PDGC, nível Primeiros Passos, ciclo 2017. Tratou-se de uma pesquisa descritiva de natureza quantitativa. Empregou-se técnicas de Análise Fatorial Exploratória e Confirmatória em uma amostra de 772 observações. A estrutura fatorial obtida explicou 68,482% da variação, com 9 fatores e 43 variáveis observáveis. Os resultados da pesquisa demostram oportunidades na metodologia de construção de escalas, visto terem indicado possíveis problemas com os dados coletados, com a teoria ou ambos, visto que o instrumento de mensuração não reflete a estrutura proposta de relacionamentos dos construtos. </em> Jonathan Roque Mendes de Souza Eduardo Damião da Silva Vilmar Rodrigues Moreira Copyright (c) 2021 Jonathan Roque Mendes de Souza, Eduardo Damião da Silva, Vilmar Rodrigues Moreira https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-06-02 2022-06-02 9 17 e10 e10 10.5902/2359043261992 Modelo de governança do Programa Ater Mais Gestão: aplicabilidade em cooperativas da agricultura familiar https://periodicos.ufsm.br/rgc/article/view/67149 <p>O objetivo foi verificar a percepção dos agentes quanto à proposta de Governança do Programa ATER Mais <br />Gestão para as cooperativas formadas por agricultores familiares, quanto à sua aplicabilidade. É um estudo <br />qualitativo, concretizado por meio de entrevistas. Para organização dos dados utilizou-se a proposta do Guia <br />Metodológico do Programa e, para análise do discurso dos agentes a divisão em faixas situacionais. Maior <br />parte das subáreas estão localizadas em Situação Satisfatória, quais sejam: I) Estrutura organizacional; II) <br />Estratégia organizacional; III) Organização dos associados; IV) Direção e participação. Merecem destaque <br />dois itens da subárea V) Controle internos e avaliação que se situaram na faixa de alerta e, a subárea IV) <br />Direção e participação. Os resultados apontaram que a proposta de Governança do Programa é aplicável a <br />realidade da agricultura familiar, entretanto, sugere-se que os atores envolvidos no processo passem por uma <br />reestruturação na educação cooperativista, bem como uma profissionalização.</p> Carla Rosane da Costa Sccott Janaína Balk Brandão Neusa Maria da Costa Gonçalves Salla Berenice Beatriz Rossner Wbatuba Copyright (c) 2021 Carla Rosane da Costa Sccott, Janaína Balk Brandão, Neusa Maria da Costa Gonçalves Salla, Berenice Beatriz Rossner Wbatuba https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-05-09 2022-05-09 9 17 e9 e9 10.5902/2359043267149 Análise do impacto no resultado econômico-financeiro e contábil das cooperativas de saúde Unimed pelo uso da gestão estratégica https://periodicos.ufsm.br/rgc/article/view/64619 <p>As organizações sociais predominantemente buscam proteção, crescimento e cooperação. E, cada vez mais, <br />essas organizações necessitam de uma gestão estratégica profissionalizada e de métricas de acompanhamento <br />de valor. O presente estudo tem como objetivo verificar a existência de uma relação entre os resultados <br />econômico-financeiros e contábeis das Cooperativas de Saúde Unimed Nível Singular, Prestadoras de Serviços <br />de Saúde e Ativas, por meio do uso da gestão estratégica. Para isso, utilizou-se a pesquisa quantitativa e a <br />pesquisa exploratória nos relatórios gerenciais das Cooperativas e o mapeamento de uso, ou não, da gestão <br />estratégica pelas unidades singulares. Além disso, foram obtidos dados secundários publicados pela ANS <br />(Agência Nacional de Saúde) referentes às demonstrações contábeis das operadoras, e realizados testes <br />estatísticos, pesquisa senso, hipóteses a serem testadas, correlação de indicadores, testes de validação e <br />significância do modelo e da regressão logística binária com o objetivo de analisar a relação da utilização de <br />gestão estratégica nos resultados econômico-financeiros e contábeis das cooperativas. Os resultados obtidos <br />indicam que o uso da gestão estratégica influencia nos resultados econômico-financeiros e contábeis, <br />sobretudo nas singulares, classificadas como grande porte (operadoras com mais de 100 mil clientes).</p> Rômulo Henrique Reis Leite Wellington Edir Simões Matheus Alberto Rodrigues Silva Eduardo de Paula e Silva Chaves Copyright (c) 2021 Rômulo Henrique Reis Leite https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-05-09 2022-05-09 9 17 e8 e8 10.5902/2359043264619 Clima organizacional em cooperativas de crédito: validação de versão reduzida https://periodicos.ufsm.br/rgc/article/view/63184 <h5>O clima organizacional tem sido uma das variáveis mais investigadas e relaciona-se diretamente com o estudo <br />das percepções construídas pelos indivíduos sobre o seu trabalho (MENEZES; GOMES, 2010). As organizações, <br />por vezes, optam por estratégias que as diferenciem dentro de seu nicho de mercado, podendo apoiar-se na <br />construção de ambientes de trabalho propícios para a diferenciação desejada. Devido a importância do tema <br />Clima Organizacional e às especificidades inerentes às sociedades cooperativas, bem como, a necessidade de <br />escalas que possam ser práticas em sua aplicação e análise, esse estudo propõe validar uma escala reduzida <br />de clima organizacional para cooperativas de crédito. O instrumento utilizado foi traduzido e adaptado <br />transculturalmente para a realidade das cooperativas de crédito brasileiras. Participaram da pesquisa 381 <br />colaboradores de três cooperativas de crédito do Rio Grande do Sul. Após a análise fatorial exploratória, <br />validou-se uma escala de 12 itens para as cooperativas de crédito.</h5> Marcia Helena dos Santos Bento Lúcia Rejane da Rosa Gama Madruga Jaime Peixoto Stecca Vania de Fátima Barros Estivalete Copyright (c) 2021 Marcia Helena dos Santos Bento, Lúcia Rejane da Rosa Gama Madruga, Jaime Peixoto Stecca, Vania de Fátima Barros Estivalete https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-05-09 2022-05-09 9 17 e7 e7 10.5902/2359043263184 Diagnóstico da capacidade produtiva e organizativa das mulheres costureiras do projeto Sacramenta Socioambiental: aspectos fundamentais para a formação de uma cooperativa https://periodicos.ufsm.br/rgc/article/view/67356 <p>A pesquisa tem por objetivo diagnosticar a capacidade produtiva e organizativa das mulheres costureiras que participam do projeto Sacramenta Socioambiental, em Belém do Pará, de modo a identificar aspectos essenciais para a formação futura de uma cooperativa. A pesquisa adota abordagem qualitativa e a técnica do estudo de caso. Utiliza-se a análise de conteúdo de Bardin com ênfase temática para análise dos dados. Os resultados da pesquisa mostram o nível de capacidade de organização (3,9), inovação (3,92), produção (4,17) e o envolvimento organizativo (4,19) das mulheres e ainda a capacidade produtiva do grupo é bastante representativa para reforçar o potencial da futura cooperativa, onde foi possível identificar um espaço disponível de 157,704 m², 60 máquinas de costura em bom estado e uma capacidade de produzir aproximadamente 31.375,68 peças de baixa e média complexidade. Incentiva-se que futuras pesquisas sejam realizadas para investigar o segmento de cooperativas de costureiras, estudando alternativas de produção como <em>upcycling</em> ou outros.</p> Otávio Luiz de Castro Romano Junior Bruno Rafael Dias de Lucena Copyright (c) 2021 Otávio Luiz de Castro Romano Junior., Bruno Rafael Dias de Lucena https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-05-09 2022-05-09 9 17 e6 e6 10.5902/2359043267356 O entendimento sobre cooperativismo pelos associados em uma cooperativa de crédito https://periodicos.ufsm.br/rgc/article/view/64423 <p>Este artigo objetiva compreender as noções de cooperativismo de um grupo de associados de uma agência de uma cooperativa de crédito. A partir de uma aplicação de questionário junto aos cooperados foi possível refletir e propor concepções em torno do cooperativismo na vida dos associados. Os resultados indicam que existe uma lacuna de conhecimento sobre o cooperativismo e seus princípios por parte dos associados. Ao final indicam-se sugestões possíveis à cooperativa para que possa ser desenvolvida uma cultura da cooperação e maiores conhecimentos sobre a cooperativa e o cooperativismo.</p> Salete Nied Deivid Ilecki Forgiarini Cinara Neumann Alves Copyright (c) 2021 Salete Nied, Deivid Ilecki Forgiarini https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-04-29 2022-04-29 9 17 e5 e5 10.5902/2359043264423 A educação cooperativista em modelo de tradução e controle da estratégia: estudo de caso em uma cooperativa agroindustrial https://periodicos.ufsm.br/rgc/article/view/63544 <p>Este artigo trata da inserção da educação cooperativista como um fator crítico de sucesso em modelo de tradução e controle da estratégia em cooperativas agroindustriais, no contexto da realidade do Paraná - Brasil e, mais especificamente, de uma cooperativa agroindustrial paranaense. Partindo da base teórica sobre tradução e controle da estratégia e sobre movimento e educação cooperativista, foram realizadas entrevistas com especialistas em cooperativismo, seguidas de estudo de caso instrumental em uma cooperativa agroindustrial paranaense. São discutidas no artigo diversas interações que a educação cooperativista mantém, direta ou indiretamente, com outras categorias de análise do modelo de tradução e controle da estratégia em cooperativas agroindustriais, como a doutrina cooperativista, a missão da cooperativa, o equilíbrio entre a cooperativa e os associados, a cultura organizacional da cooperativa, o comprometimento, a fidelidade, a produção entregue na cooperativa e as sobras financeiras. Conclui-se que modelo dessa natureza deve considerar a educação cooperativista como um fator crítico de sucesso, relacionado à alavanca de controle do Planejamento, que conceba, programe e execute ações educacionais e de conscientização para conciliar a doutrina cooperativista com a cultura organizacional da cooperativa.</p> Reginaldo Ferreira Barreiros Roberto Max Protil Vilmar Rodrigues Moreira Luiz Carlos Duclós Copyright (c) 2021 Reginaldo FERREIRA Barreiros, Roberto Max Protil, Vilmar Rodrigues Moreira, Luiz Carlos Duclós https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-04-29 2022-04-29 9 17 e4 e4 10.5902/2359043263544 Panorama atual do cooperativismo brasileiro: uma análise documental e de conteúdo a partir da Resolução n.° 56/2019 https://periodicos.ufsm.br/rgc/article/view/62644 Em 2019, a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) publicou a Resolução nº 56, que regulamenta a reorganização e a nova classificação dos ramos do cooperativismo, modificando a estrutura atual de treze para sete ramos diferentes. Ciente da relevância da referida Resolução para as cooperativas brasileiras, essa pesquisa tem como objetivo analisar o panorama atual do cooperativismo brasileiro, através de uma análise documental e de conteúdo do censo das cooperativas do ano de 2018, considerando dados sociais e econômico-financeiros e os diferentes ramos de atividades. Os resultados permitem concluir que as atividades com dados menos expressivos no cenário socioeconômico foram incluídas em outras mais robustas, como os antigos ramos de produção, de mineral e especial que se juntaram às atividades do ramo de trabalho, formando o novo ramo denominado: produção de bens e serviços. Os ramos agropecuário, crédito e saúde apresentam resultados mais significativos para a economia nacional, não sendo afetados pela reorganização. Dessa forma, identifica-se que a reorganização proposta visa trazer maior representatividade às atividades com dados menos expressivos, em termos sociais e econômicos.<h5> </h5> Flávia Mônaco Vieira Vando Vieira Batista dos Santos Vanessa Martins Pires Copyright (c) 2021 Flávia Mônaco Vieira, Vando Vieira Batista dos Santos, Vanessa Martins Pires https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-05-25 2022-05-25 9 17 e3 e3 10.5902/2359043262644 Comparativo dos níveis de execução e de importância atribuída às funções da controladoria em cooperativa agropecuária https://periodicos.ufsm.br/rgc/article/view/63483 <p>O artigo objetivou conhecer quais as funções de Controladoria são executadas em uma cooperativa agropecuária sediada no oeste catarinense para identificar o nível de execução destas e a importância atribuída às mesmas pelo Controller e por gestores da entidade. Foi utilizada metodologia classificável como descritiva, qualitativa e no formato de estudo de caso. Quanto aos resultados, numa escala de “1” a “5” o nível de execução das funções atingiu Ranking Médio (RM) superior a “4”, enquanto o grau de importância apontado pelo Controller foi idêntico ao da execução em apenas três funções. Nas demais, o RM da execução ficou abaixo da importância atribuída, especialmente no caso da função “Finanças”. Ao comparar a opinião do Controller com os demais gestores, divergências foram constatadas. Outro achado do estudo refere-se à existência de diferenças de percepção sobre a importância das funções abrangidas quanto à graduação dos respondentes e quanto ao cargo que ocupam.</p> Eder Luis Heberle Rodney Wernke Antonio Zanin Copyright (c) 2021 Eder Luis Heberle, Rodney Wernke, Antonio Zanin https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-04-29 2022-04-29 9 17 e2 e2 10.5902/2359043263483 Produtores rurais cooperados: conhecimentos contábil e fiscal e as fontes de assessoramento contábil https://periodicos.ufsm.br/rgc/article/view/61382 <p>Este estudo analisa a associação entre a utilização do profissional contábil ou de outras fontes de assessoramento diante dos conhecimentos contábil e fiscal de produtores rurais cooperados. Para atingir esse objetivo adotou-se uma metodologia quantitativa, descritiva e de levantamento. A coleta de dados contemplou um questionário aplicado a 55 produtores rurais gaúchos associados de cooperativas rurais. Os dados foram analisados por meio de estatística descritiva e correlação. Os resultados apontam que para assuntos fiscais, contábeis ou financeiros os produtores utilizam, de modo geral, o sindicato que participam seguido do profissional contábil, evidenciando oportunidade de atuação para as cooperativas. Auferiram-se associações significativas positivas entre os conhecimentos contábil e fiscal e entre a utilização do profissional contábil. Para as associações com o perfil evidenciaram-se associações significativas entre escolaridade e conhecimentos contábeis, fiscal, utilização do profissional contábil e preparação para nota fiscal eletrônica.</p> Lizana Ilha da Silva Cristiane Krüger Copyright (c) 2021 Lizana Ilha da Silva, Cristiane Krüger https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-05-09 2022-05-09 9 17 e1 e1 10.5902/2359043261382 Percepção de auditores sobre o risco operacional em cooperativas de crédito brasileiras https://periodicos.ufsm.br/rgc/article/view/63558 <p>O objetivo deste estudo foi verificar como os auditores percebem as questões ligadas ao risco operacional em cooperativas de crédito e se os controles internos utilizados por essas organizações são efetivos para a gestão e a mitigação do risco operacional. Os resultados foram levantados mediante a aplicação de questionário composto por 12 perguntas aos auditores da área técnica de uma Entidade de Auditoria Cooperativa. Os auditores indicaram que as maiores fraudes ocorrem internamente, mencionaram as falhas dos processos, e incidência de demandas judiciais. Quanto ao grau de incidência, infere-se que todos os tipos de riscos ocorrem com frequência similar nas cooperativas. Foram indicadas que as falhas no processo de mapeamento e a identificação dos riscos pelas cooperativas são as principais causas das perdas operacionais, seguida da ausência de divulgação adequada sobre os processos de gerenciamento de riscos. <strong><em></em></strong></p> Letícia Matos Duarte Valéria Gama Fully Bressan Karla Luisa Costa Sabino Ewerton Alex Avelar Copyright (c) 2021 Letícia Matos Duarte, Valéria Gama Fully Bressan, Karla Luisa Costa Sabino, Ewerton Alex Avelar https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-07-05 2022-07-05 9 17 e17 e17 10.5902/2359043263558 A educação cooperativista na visão do cooperado: O caso da cooperativa agroindustrial C. Vale https://periodicos.ufsm.br/rgc/article/view/63550 <p>Por ser o cooperativismo um dos modelos de organização que promove o desenvolvimento econômico e social, estudos voltados ao aumento de seu desempenho e a redução de seus problemas são cada vez mais importantes. Nesse sentido, compreender aspectos voltados a programas de educação cooperativa, que contribuem para a capacitação, participação e permanência de seus cooperados mostram-se relevantes. Assim, o objetivo desta pesquisa é analisar a percepção dos cooperados sobre a educação cooperativista existente na Cooperativa Agroindustrial C.Vale. Essa cooperativa está localizada na microrregião de Toledo, mesorregião Oeste Paranaense. Trata-se de uma cooperativa agroindustrial, com sede no município de Palotina, que possui 150 unidades de negócios, aproximadamente 21.800 cooperados e cerca de 10.500 funcionários. A metodologia utilizada foi um estudo de caso, a partir de dados primários na sede e nas unidades de atendimento da cooperativa. Os principais resultados demonstram que o programa de educação cooperativista é percebido como positivo pela maioria dos cooperados, necessitando este, contudo de reflexões e constante avaliação.</p> Daiane Franciele Staback Carla Maria Schmidt EDNILSE MARIA WILLERS Copyright (c) 2021 Daiane Franciele Staback https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-07-05 2022-07-05 9 17 e16 e16 10.5902/2359043263550 Economia solidária e pensamento resiliente – Análise de histórico e ações do Projeto Esperança/Cooesperança https://periodicos.ufsm.br/rgc/article/view/63589 <p>O presente trabalho apresenta uma reflexão a respeito da Economia Solidária (ES), desde a atuação do Projeto Esperança/Cooesperança, analisando-o sob as características do Pensamento Resiliente (SIMONSEN, 2012), para isso, realizamos um debate a respeito das definições teóricas da ES; apresentamos um histórico, desde seu surgimento como movimento social nos anos 80 até sua institucionalização como política pública nos governos de Lula e Dilma entre 2001 e 2016; bem como sua perda de relevância política diante da extinção da SENAES. No mesmo sentido, diante das limitações percebidas nas intempéries pelos quais passaram as organizações de ES, propomos o Pensamento Resiliente e os Sistemas de Governança Policêntricos (SGP) como possibilidades de análise da resiliência do projeto frente a essas mudanças e como proposta para a manutenção da autogestão dessas iniciativas. Em nossas considerações finais apontamos a relevância da ES como elemento de geração de emprego e renda para as comunidades vulneráveis, apresentamos a importância do financiamento público para os Empreendimentos sociais e destacamos o pensamento resiliente como possibilidade de aprendizagem diante dos desafios.<strong></strong></p> Bernardo Rodrigues da Silva Maurício Machado Sena Gisele Martins Guimarães Copyright (c) 2021 Bernardo Rodrigues da Silva, Maurício Machado Sena, Gisele Martins Guimarães https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-07-05 2022-07-05 9 17 e15 e15 10.5902/2359043263589 Procura por crédito em cooperativas e bancos comerciais brasileiros: ela se relaciona com a atividade econômica? https://periodicos.ufsm.br/rgc/article/view/68244 <p>Transações entre cooperativas de crédito e membros costumam se pautar pela confiança e proximidade, o que tornaria as cooperativas robustas contra recessões econômicas. Neste trabalho, a procura por crédito em cooperativas e bancos comerciais brasileiros no período entre 2000 e 2019 foi comparada. Análises sobre as séries temporais da variação das operações de crédito investigaram suas tendências, quebras estruturais foram associadas à atividade econômica, e modelos lineares multivariados testaram a sensibilidade da procura por crédito à economia brasileira. Os resultados apontam que a procura por crédito nas cooperativas brasileiras não é robusta contra recessões e também não é menos sensível a atividade econômica do que nos bancos. Indivíduos parecem ser indiferentes quanto a cooperativas e bancos em recessões. Por fim, é possível associar o crescimento da procura por crédito em cooperativas a expansão para novas localidades, sugerindo desafios aos gestores quando as opções de expansão a novos mercados se exaurirem.</p> Bruno José Canassa Fabiano Guasti Lima Davi Rogério de Moura Costa Copyright (c) 2021 Bruno José Canassa, Fabiano Guasti Lima, Davi Rogério de Moura Costa https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-07-05 2022-07-05 9 17 e18 e18