Os princípios cooperativistas e a identidade do movimento cooperativista em xeque

Airton Cardoso Cançado, Maria de Fátima Arruda Souza, José Roberto Pereira

Resumo


Este texto contribui na discussão sobre o atual dilema das cooperativas: manter a identidade do movimento ou buscar formas mais competitivas para se desenvolver. A abordagem proposta parte de um estudo “cross case” sobre a prática de princípios cooperativistas em quatro cooperativas de crédito do estado do Tocantins no Brasil de modo a subsidiar o debate. Ao final são apresentados alguns pontos para o avanço do debate.


Palavras-chave


Cooperativismo; Princípios Cooperativistas; Identidade Cooperativista.

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, P. C. Prática dos princípios cooperativistas: um estudo de caso em Palmas-TO. TCC (Graduação em Administração). Palmas: UFT, 2011.

BERTUOL, R. A prática dos princípios cooperativistas: um estudo de caso no Tocantins. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional). Palmas: UFT, 2012.

CANÇADO, A. C.; A. S. RIGO ; J. R. PEREIRA; M. C. H. GONTIJO. (2012). Movimento e Princípios Cooperativistas: Evolução e Reflexões para Novos Estudos. In CANÇADO, A. C.; F. G. TENÓRIO ; J. T. SILVA JR (orgs.). Gestão Social: aspectos teóricos e aplicações. Ijuí: UNIJUÍ, 2012a.

CANÇADO, A. C.; RIGO, A. S.; SILVA JR, J. T.; SOUZA, M. F. A. Beyond Mimicry: a critique of “Social Responsibility” in Co-operatives. In BRASSARD, M.-J.; Molina, E. (orgs.) (2012). The Amazing Power of Cooperatives. Texts selected from the international call for paper proposals, Québec, International Summit of Cooperatives, 2012b.

ICA – INTERNATIONAL CO-OPERATIVE ALIANCE. Co-operative identity, values & principles. Disponível em < http://ica.coop/en/what-co-op/co-operative-identity-values-principles > Acesso 24 jan. 2014.

JESUS, W. L. Princípios cooperativistas: analisando sua aplicação na cooperativa de crédito Sicredi – Araguaia Tocantins em Palmas – TO. TCC (Graduação em Administração). Palmas: UFT: 2011.

LÜCHMANN, L. H. H. A representação no interior das experiências de participação. Lua Nova, n.70, p. 139-170, 2007.

MEINEN, Ê.; DOMINGUES, J. N.; DOMINGUES, J. A. S. Cooperativas de Crédito no Direito Brasileiro. Porto Alegre: Sagra Luzzatto, 2002.

OCB – Organização e SINDICATO DAS COOPERATIVAS BRASILEIRAS. Movimento livre da influência do Estado. Disponível em < http://www.ocb.org.br/site/cooperativismo/evolucao_no_brasil.asp > Acesso 24 jan. 2014a.

OCB – Organização e SINDICATO DAS COOPERATIVAS BRASILEIRAS. Áreas de atuação prioritárias. Disponível em < http://www.ocb.org.br/site/sescoop/atuacao.asp > Acesso 24 jan. 2014b.

PAGNUSSATT, A. Guia do cooperativismo de crédito – organização governança e políticas corporativas. Porto Alegre: Sagra Luzzatto, 2004.

PEREIRA, J. R. et al. Organização da sociedade através das cooperativas de trabalho: abordagem dos problemas e perspectivas. Relatório final de pesquisa – FAPEMIG. Viçosa: UFV, 2002.

PINHEIRO, M. A. H. Cooperativas de Crédito – História da evolução normativa no Brasil. 3. Ed. Brasília, 2005.

SCHNEIDER, J. O. Democracia, participação e autonomia cooperativa. 2. ed. São Leopoldo: UNISINOS, 1999. 496 p.

SILVA, F. R. Prática dos princípios cooperativistas: um estudo de caso em uma cooperativa de crédito do Tocantins. TCC (Graduação em Administração). Palmas: UFT, 2011.




DOI: https://doi.org/10.5902/2359043216279

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. 

     

   

   

 

ISSN Eletrônico: 2359-0432

ISSN Impresso: 2446-7103