Perspectiva de familiares acerca da Atenção Multiprofissional em UTI

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5902/2236583441733

Palavras-chave:

Unidade de Terapia Intensiva, Equipe de Assistência ao Paciente, Humanização da Assistência.

Resumo

Introdução: O atendimento multiprofissional centrado na integralidade do cuidado é prática prevista nas ações assistenciais, sendo imprescindível a orientação segundo a Política Nacional de Humanização (PNH). Objetivo: identificar as percepções de familiares acerca da atenção multiprofissional em Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Método: Estudo com abordagem qualitativa, do tipo exploratório-descritivo. Foi realizado em uma instituição pública. A coleta de dados ocorreu por meio de uma entrevista semiestruturada e posteriormente analisadas pela técnica da análise de conteúdo. Resultados: Participaram 12 familiares. A análise das entrevistas possibilitou a criação das categorias: Comunicação como importante prática no cuidado e Atuação Multiprofissional em UTI. Os familiares perceberam como ponto positivo no atendimento a disponibilidade da equipe para esclarecimentos, consideraram que o horário de visita está adequado e identificaram a atuação da equipe multiprofissional no atendimento em UTI.  Conclusão: O cuidado durante a hospitalização deve prever uma visão holística e valorização do trinômio paciente-equipe-família.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Danieli Brum de Souza, Secretaria Municipal de Saúde, Santa Maria, RS

Possui graduação em Psicologia pelo Centro Universitário Franciscano (2005). Servidora Pública Municipal da Secretaria de Saúde e Assistência Social, na cidade de Santa Maria, RS, Brasil.

Rosângela Marion da Silva, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS

Enfermeira, Professor adjuntom, Departamento de Enfermagem

Jonatan Valmor Pieniz Ferreira, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS

Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Federal de Santa Maria (2014).

Vanessa Leal Soria, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS

Possui graduação em Odontologia pela Universidade Federal de Santa Maria (2013).

Maiara Leal da Trindade, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS

Graduanda de Enfermagem pela Universidade Federal de Santa Maria.

Cintia Maria Lovato Flores, Universidade Federal de Santa Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS

Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS

Referências

Brasil. Ministério da Saúde. Humaniza SUS: Política Nacional de Humanização: a humanização como eixo norteador das práticas de atenção e gestão em todas as instâncias do SUS. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2004.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 1.071, de 04 de julho de 2005. Política Nacional de Atenção ao Paciente Crítico. Diário Oficial da República Federativa do Brasil; 2005.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 895, de 31 de março de 2017. Institui o cuidado progressivo ao paciente crítico ou grave com os critérios de elegibilidade para admissão e alta, de classificação e de habilitação de leitos de Terapia Intensiva adulto, pediátrico, UCO, queimados e Cuidados Intermediários, adulto e pediátrico no âmbito do Sistema Único de Saúde – SUS. Diário Oficial da República Federativa do Brasil; 2017.

Poerschke SSMB, Salbego C, Gomes EM et al. Atuação da Enfermagem Frente aos Sentimentos dos Familiares de Pacientes em Terapia Intensiva. Rev Fund Care Online. 2019; 11(3):771-779.

Kotz M, Frizon G, Silva OM, Toniollo CL, Ascari RA. Tecnologias, humanização e o cuidado de enfermagem na unidade de terapia intensiva: uma revisão bibliográfica.2014;18(3):50-55.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. Humaniza SUS: visita aberta e direito a acompanhante/Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. – 2. ed. – Brasília: Ministério da Saúde; 2007.

Brasil. Ministério da Saúde. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Brasília (DF): Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Saúde; 2012

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 14ª ed. São Paulo (SP): Hucitec; 2014

Evangelista VC, et al. Multidisciplinary team of intensive therapy: humanization and fragmentation of the work process. Revista Brasileira de Enfermagem. 2016: 69(6)40-44.

Araújo JA, Leitão EMP. A psicologia médica no centro de tratamento intensivo no Hospital Universitário Pedro Ernesto. Rev. HUPE. 2013;12(3):130-137.

Santos DCL, Silva MM, Moreira MC, Zepeda KGM, Gaspar RB. Planejamento da assistência ao paciente em cuidados paliativos na terapia intensiva oncológica. Acta Paul Enferm. 2017; 30(3):295-300.

Sanches RCN, Gerhardt PC, Rêgo AC, Carreira L, Pupulim JSL, Radovanovic CAT. Percepções de profissionais de saúde sobre a humanização em unidade de terapia intensiva adulto Esc Anna Nery. 2016;20(1):48-54.

Buffoli M, Bellini E, Dellovo M, Gola M, Nachiero D, Rebecchi A, Capolongo S. Humanization and soft qualities in emergency rooms. Ann Ist Super Sanita. 2016;52(1):40-7.

Michelan VCA, Spiri WC. Perception of nursing workers humanization under intensive therapy. Rev Bras Enferm. 2018;71(2):372-8.

Sousa KHJ, Damasceno CKCS, Almeida CAPL, Magalhães JM, Ferreira MA. Humanização nos serviços de urgência e emergência: contribuições para o cuidado de enfermagem. Rev. Gaúcha Enferm. [Internet]. 2019; 40.

Gaetti-Jardim E, et al. “Atenção odontológica a pacientes hospitalizados: revisão da literatura e proposta de protocolo de higiene oral.” Revista de Atenção à Saúde (antiga Rev. Bras. Ciên. Saúde). 2013;11(35).

Araújo Neto JD, Silva ISP, Zanin LE, Andrade AP, Moraes KM. Profissionais de saúde da unidade de terapia intensiva: percepção dos fatores restritivos da atuação multiprofissional. Rev. Bras. Promoç. Saúde. 2016 Jan/Mar; 29(1):43-50.

Evangelista V. Percepção da equipe multiprofissional sobre o cuidado humanizado nas unidades de terapia intensiva de um hospital escola [dissertação]. São Paulo (SP): Faculdade de Medicina de Botucatu, Universidade Estadual Paulista; 2013.

Eugenio CS, Beck Filho MC, Souza EN. Visita aberta em uti adulto: utopia ou realidade. Rev. Enferm. UFSM 2017; 7(3):539-49.

Downloads

Publicado

2020-10-26

Como Citar

Souza, D. B. de, Silva, R. M. da, Ferreira, J. V. P., Soria, V. L., Trindade, M. L. da, & Flores, C. M. L. (2020). Perspectiva de familiares acerca da Atenção Multiprofissional em UTI. Saúde (Santa Maria), 46(2). https://doi.org/10.5902/2236583441733

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)