Prevalência de acidentes de trabalho graves em idosos no município de Santa Maria, Rio Grande do Sul: evolução dos casos

Deise Iop Tavares, Gessica Bordim Viero Schlemer, Tamires Darós dos Santos, Sandra Beatriz Aires dos Santos, Julieser Costa dos Santos, Melissa Medeiros Braz

Resumo


Introdução: Os acidentes de trabalho são considerados a principal causa de agravo à saúde dos trabalhadores, causando grande impacto sobre a produtividade e sofrimento para a sociedade, repercutindo em elevados custos sociais e econômicos. Objetivo: Investigar a prevalência de casos notificados de acidentes de trabalho graves conforme sexo e faixa etária em idosos do município de Santa Maria, Rio Grande do Sul, retratando a evolução dos casos. Metodologia: Pesquisa descritiva utilizando dados secundários de uma fonte pública de pesquisa do Datasus, na opção “Acidente de trabalho grave”. Em “Linha” foi selecionado o “Município de notificação”, em “Coluna” a “Faixa etária” e em “Conteúdo” a “Frequência”. Como “Períodos disponíveis” foram selecionados isoladamente os anos de 2012 a 2017. Na “Faixa etária” foram selecionados os itens “60 a 69 anos”, “70 a 79 anos” e “80 anos e mais”. Em “Município de notificação” foi selecionada a cidade de “Santa Maria”. Na tabela de “Sexo” foram selecionados isoladamente os itens “Feminino”, “Masculino”, “Ignorado” e “Em branco”. Em “Evolução caso” os itens “Ignorado/Em branco”, “Cura”, “Incapacidade temporária”, “Incapacidade parcial permanente”, “Incapacidade total permanente”, “Óbito pelo acidente”, “Óbito por outras causas” e “Outra” sendo todos esses itens selecionados isoladamente. Resultados: Foram encontrados 66 casos de acidentes de trabalho em idosos. Destes, 61 foram em homens e se teve uma maior prevalência de idosos com 60 a 69 anos (58). Em relação a evolução do caso, 49 apresentaram incapacidade temporária e 3 tiveram óbito devido ao acidente de trabalho. Conclusão: Observa-se uma maior prevalência de casos notificados de acidentes de trabalho graves na faixa etária de 60 a 69 anos, sexo masculino e a incapacidade temporária provocada pelo acidente. Espera-se que com estes dados se tenha um maior conhecimento sobre os acidentes e seus agravos e se possam elaborar ações para evitá-los.


Palavras-chave


Idoso; Acidentes de trabalho; Prevalência

Texto completo:

PDF

Referências


Vilela RAG, Almeida IM, Mendes RWB. Da vigilância para prevenção de acidentes de trabalho: contribuição da ergonomia da atividade. Ciências da saúde coletiva. 2012; 17(10):2817-2830.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Diretoria de Pesquisas. Coordenação de Trabalho e Rendimento. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios: Síntese de Indicadores 2009. Rio de Janeiro, 2010.

Queiroz VS, Ramalho HMB. A escolha ocupacional dos idosos no mercado de trabalho: evidências para o Brasil. Economia (Selecta). 2009;10(4):817-848.

Campos JF, David HMSL. Custo humano no trabalho: avaliação de enfermeiros em terapia intensiva à luz da psicodinâmica do trabalho. Revista Baiana de Enfermagem. 2010;24(1,2,3):23-32.

Rede interagencial de informação para a saúde. Indicadores básicos para a saúde no Brasil: conceitos e aplicações. 2. ed. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde, 2008. 349 p.

Wikipedia. Santa Maria, Rio Grande do Sul. [Internet] 2017. [acesso em 14 jul 2018]. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Santa_Maria_(Rio_Grande_do_Sul).

Brasil. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Censo Demográfico 2010: sinopse. 2017. [acesso em 14 jul 2018]. Disponível em:

Santana VS, Araujo JBF, Silva M, et al. Mortalidade, anos potenciais de vida perdidos e incidência de acidentes de trabalho na Bahia, Brasil. Caderno de Saúde Pública. 2007;23(11):2643-2652.

Silva EN, Matias AO, Lima PJCF, et al. Morbidade e mortalidade por acidentes de trabalho em idosos no Brasil. Revista Baiana de Enfermagem. 2013;27(1):42-51.

Lima LM, Oliveira CC, Rodrigues KMR. Exposição ocupacional por material biológico no Hospital Santa Casa de Pelotas - 2004 a 2008. Esc. Anna Nery Rev. Enferm. 2011;15(1):96-102.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Diretoria de Pesquisas. Coordenação de Trabalho e Rendimento. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios: Síntese de Indicadores 2009. Rio de Janeiro, 2010.

Robazzi MLCC, Marziale MHP, Rodrigues RAP, et al. Acidentes e agravos à saúde dos idosos nos âmbitos de trabalho. Rev. enferm. UERJ. 2009;17(3):309-14.

Waldvoguel BC, Silva DWT. Os idosos e as mortes por acidentes do trabalho em São Paulo. XII Encontro Nacional de Estudos Populacionais — Brasil 500 Anos: Mudanças e Continuidades. Caxambu (MG): IBGE; 2000. p. 1-18.

Coutrim RME. Idosos trabalhadores: perdas e ganhos nas relações intergeracionais. Sociedade e Estado. 2006;21(2):367-390.

Organizacional Internacional do Trabalho [site de Internet]. Dia internacional da segurança e saúde no trabalho [citado em 25 fev 2008]. [acesso em 14 jul 2018]. Disponível em http://wwwilo-mirror.cornell.edu/public/portugue/region/eurpro/lisbon/html/hsst2005.htm.




DOI: https://doi.org/10.5902/2236583433812

Direitos autorais 2018 Saúde (Santa Maria)

______________________________________________________________

Peridiocidade: Fluxo Contínuo.


Qualis:


Interdisciplinar e Educação Física - B3

Ciências Ambientais, Enfermagem, Odontologia e Saúde Coletiva - B4

Medicina Veterinária - B5

Biotecnologia e Ciências Biológias II - C

  

 Licença Creative Commons 

Saúde (Santa Maria) ∴ revistasaude.ufsm@gmail.com

eISSN 2236-5834 ∴ DOI 10592/22365834

 

Acessos desde 08/08/2013.