Autonomia do idoso: escala de avaliação de capacidade de decisão

Anelise Crippa, Irenio Gomes, Newton Terra

Resumo


Objetivou-se, através deste trabalho, criar e validar um instrumento capaz de auxiliar os juízes nas demandas relacionadas com a interdição, permitindo uma avaliação uniforme entre os casos. Para tanto, foi desenvolvido um construto com 30 questões, passando pela avaliação de expert’s. Surge, assim, a ESCADE – Escala de Avaliação de Capacidade de Decisão, com 18 questõesfinais, com confiabilidade e validade adequadas, com alfa de Cronbach de 0,814, dividido em quatro domínios: atividade diária, gestão financeira, autogestão e bem-estar. Conclui-se, assim, que se está diante de um questionário auxiliar, que busca instrumentalizar as análises judiciais, com pertinência e eficácia para tal tarefa, sendo ainda pertinente ressaltar a viabilidade de identificar, através dos domínios apresentados, a área de maior dificuldade apresentada pelo possível interdito, o que pode ensejar seu uso, também, na tomada de decisão apoiada.


Palavras-chave


Autonomia; Idoso; Gerontologia

Texto completo:

PDF

Referências


Instuto Brasileiro de Gerografia Estatística (IBGE). Projeção da população do Brasil e das Unidades da Federação. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/apps/populacao/projecao/. Acesso em: 13 nov 2016.

Madaleno H. Curso de Direito de Família. Rio de Janeiro: Forense, 2013.

Tartuce F. Direito Civil: direito de família. Rio de Janeiro: Forense, 2016.

Amorim AMA. Manual de direitos das famílias. Curitiba: Juruá, 2016.

Brasil. Lei nº Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002. Institui o Código Civil. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/L10406.htm. Acesso em 15 nov 2016.

Brasil. Lei nº 13.105, de 16 de março de 2015. Código de Processo Civil. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13105.htm. Acesso em 15 nov 2016.

Brasil. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/Lei/L13146.htm. Acesso em 15 nov 2016.

Yesavage JA, Brink TL. Development and validation of a geriatric depression screening scale: a preliminary report. Journal of Psychiatric Research 1983; 17(1): 37-49.

Loureiro F, Finger G, Gomes I. Tradução e adaptação cultural para o português brasileiro do instrumento para rastreio cognitivo Vellore. Pajar 2015;3(2):47-52.

RIZZARDO, Arnaldo. Os deficientes e a tomada de decisão apoiada. GenJurídico 2015. Disponível em: http://genjuridico.com.br/2015/10/21/os-deficientes-e-a-tomada-de-decisao-apoiada/. Acesso em 24 out 2016.

PASQUALI, Luiz et al. Instrumentação psicológica: fundamentos e práticas. Porto Alegre: Artmed, 2010.

STREINER, David L.; NORMARN, Geoffrey R. Health measurement scales. 4rd ed4. Oxford: Oxford; 2008.

Rosa BA, Rodrigues RCM, Gallani MCBJ, Spana TM, Pereira CGS. Estressores em unidade de terapia intensiva: versão brasileira do The enviromental stressor questionaire. Rev Esc Enferm USP 2010; 44(3):627-3.

MARTINS, Gilberto de; THEÓPHILO, Carlos Renato. Metodologia da Investigação Científica para Ciências Sociais Aplicadas. São Paulo: Atlas, 2009.




DOI: https://doi.org/10.5902/2236583426219

Direitos autorais 2018 Saúde (Santa Maria)

______________________________________________________________

Peridiocidade: Fluxo Contínuo.


Qualis:


Interdisciplinar e Educação Física - B3

Ciências Ambientais, Enfermagem, Odontologia e Saúde Coletiva - B4

Medicina Veterinária - B5

Biotecnologia e Ciências Biológias II - C

  

 Licença Creative Commons 

Saúde (Santa Maria) ∴ revistasaude.ufsm@gmail.com

eISSN 2236-5834 ∴ DOI 10592/22365834

 

Acessos desde 08/08/2013.