Cuidados paliativos: percepção de cuidadores familiares de idosos em tratamento oncológico

Denize Alves de Almeida, Sandramar de Lima Silveira, Wallisete de Almeida Godinho Rosa, Mariana Gondim Mariutti Zeferino, Nariman de Felicio Bortucan Lenza

Resumo


Objetivo: Investigar a percepção acerca de cuidados paliativos de cuidadores familiares de idosos em tratamento oncológico cadastrados em uma Associação de Combate ao Câncer. Metodologia: Pesquisa de campo, descritiva, do tipo transversal, de abordagem qualitativa, por meio de entrevistas semiestruturadas, que foram transcritas e categorizadas. Resultados: foram identificadas seis categorias que demonstram que os cuidadores apesar de não terem muito conhecimento acerca de cuidados paliativos, os praticam em dimensões variadas, seja oferecendo uma alimentação saudável, realizando higiene adequada, buscando o alívio da dor e mantendo atenção e cuidado quanto a medicação prescrita. Alguns referem que se sentem desamparados e sobrecarregados ao oferecer os cuidados necessários ao familiar com câncer, além de enfrentar limitações físicas. A enfermagem tem papel fundamental nos cuidados paliativos e na atenção aos cuidadores, no sentido de traçar estratégias de ensino e capacitação desses para que possam aprimorar o ato de cuidar e se sintam mais amparados.

 Cuidados Paliativos; Neoplasias; Idoso 


Palavras-chave


Cuidados Paliativos; Neoplasias; Idoso

Texto completo:

PDF

Referências


Ministério da Saúde (BR). Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Estimativa 2016/2017: incidência de câncer no Brasil. 2015. Disponível em: . Acesso em: 02 jan. 2016.

ANCP - Academia Nacional de Cuidados Paliativos. Manual de Cuidados paliativos. 2009. Rio de janeiro: p. 338.

Ministério da Saúde (BR). Bases do tratamento do câncer. Disponível em: Acesso em: 30 de setembro de 2015.

Kovács, M. Educação para a morte: temas e reflexões. São Paulo: casa do psicólogo, 2003 a. In: Santo, F. Cuidados Paliativos: discutindo a vida, a morte e o morrer. São Paulo: Atheneu, p. 46, 2009.

Campolina AG, Adami F, Santos JLF, Lebrão ML. A transição de saúde e as mudanças na expectativa de vida saudável da população de doenças crônicas. Caderno de saúde pública. 2013;29 (6): 1217- 1229.

Soares LC, Santana MG, Muniz RM. O fenômeno do câncer na vida de idoso. Cienc cuid saúde. 2010 out/dez; 9 (4): 660-667.

Monteiro DR, Kruse MHL, Almeida MA. Avaliação do instrumento Edmonton Symptom Assessment System em cuidados paliativos. 2010 dez; 31 (4): 785–793.

Lenza NFB. Primeiro ano de pós-operatório: significado para a pessoa com estoma intestinal por câncer colorretal. Tese (Doutorado). Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (USP). 2016; f. 201.

Rocha LS, Beuter M, Neves ET, Leite MT, Brondani CM, Perlini NMOG. O cuidado de si de idosos que convivem com câncer em tratamento ambulatorial. 2014 jan/mar; 23 (1): 29-37.

Fratezi FR, Gutierrez BAO. Cuidador familiar do idoso em cuidados paliativos: o processo de morrer no domicílio. Ciência & saúde coletiva.2011. 16 (7): 3241-3248.

Floriani CA, Schramm FR. Cuidador do idoso com câncer avançado: um ator vulnerado. Caderno de saúde pública. 2006 mar;22 (3): 527-534.

Brasil. Conselho Nacional de Saúde. Resolução n° 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília: Diário Oficial da União, 2013.

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12 ed. 2010: p. 412.

Bardin L. Análise de conteúdo. 70 ed Lisboa; 1979.

Waitzberg DL, Nardi LD, Horie LM. Desnutrição em câncer. 2011 out/nov; 2 (8):62.

Silva EP, Sudigursky D. Concepção sobre cuidados paliativos: revisão bibliográfica. 2008; 21 (3): 504-508.

Araújo ZS, Araújo CZS, Souto AKBA, Oliveira MS. Cuidador principal de paciente oncológico fora de possibilidade de cura, repercussões deste encargo. Revista brasileira de enfermagem.2009jan/fev; 62 (1): 32-37.

Azman S. Quem cuida do cuidador? 2011 out/nov; 2 (8): 62.

Silva MM, Moreira MC, Leite JL, Erdmann AL. Análise do cuidado de enfermagem e da participação dos familiares na atenção paliativa oncológica. Texto contexto enfermagem. 2012 jul/set; 21 (3): 658- 666.

Teixeira JJV, Lefévre F. Significado da intervenção médica e da fé religiosa para o paciente idoso com câncer. Ciência & saúde coletiva. 2008; 13(4):1247-1256.

Silva RCF, Hortale VA. Cuidados paliativos oncológicos: elementos para o debate de diretrizes nesta área. Caderna de saúde pública. 2006 out; 22 (10): 2055-2066.

Borges ADVS, Silva EF, Toniollo PB, Mazer SM, Valelr ERM, Santos MA. Percepção de morte pelo paciente oncológico ao longo do desenvolvimento. Psicologia em estudo. 2006mai/ago; 11 (2): 361-369.




DOI: https://doi.org/10.5902/2236583425787

Direitos autorais 2017 Saúde (Santa Maria)

______________________________________________________________

Peridiocidade: Fluxo Contínuo.


Qualis:


Interdisciplinar e Educação Física - B3

Ciências Ambientais, Enfermagem, Odontologia e Saúde Coletiva - B4

Medicina Veterinária - B5

Biotecnologia e Ciências Biológias II - C

  

 Licença Creative Commons 

Saúde (Santa Maria) ∴ revistasaude.ufsm@gmail.com

eISSN 2236-5834 ∴ DOI 10592/22365834

 

Acessos desde 08/08/2013.