Cartografia: uma outra forma de pesquisar

Luciano Bedin da Costa

Resumo


Este artigo apresenta pistas introdutórias acerca do uso da cartografia no universo de uma pesquisa. Pensa a cartografia enquanto um outro modo ou maneira de pesquisar. Problematiza o fato de ser uma prática singular e suja de pesquisa, com ênfase no processo e não em objetivos a priori. Ao entender a cartografia enquanto criação de mundos, conclui que todo cartógrafo é um artista.


Palavras-chave


Cartografia; Pesquisa; Metodologia

Texto completo:

PDF

Referências


DELEUZE, G. PARNET, C. Diálogos. São Paulo: Escuta, 1998.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Felix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. vol. 1. São Paulo: Ed. 34, 1995a.

_______. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. vol. 2.São Paulo: Ed. 34, 1995b.

_______. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. vol. 3. São Paulo: Ed. 34, 1996.

_______. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. vol. 4. São Paulo: Ed. 34, 1997a.

_______. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. vol. 5. São Paulo: Ed. 34, 1997b.

DELEUZE, G. PARNET, C. O Abecedário de Gilles Deleuze. Entrevista em vídeo. França, 1988.

KASTRUP. Virginia. PASSOS, Eduardo. ESCÓSSIA, Liliana. Pistas do método da cartografia: pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Editora Sulina, 2009.

NIETZSCHE, Friedrich. Assim falava Zaratustra. Rio de Janeiro: Clássicos de Ouro, 1966.

PUCHEU, Alberto. A fronteira desguarnecida: poesia reunida 1993 – 2007. Rio de Janeiro: Beco do Azougue, 2007.

SANTOS, Boaventura dos. Um discurso sobre as ciências. Porto: Afrontamento, 2002.




DOI: https://doi.org/10.5902/1983734815111

 
 
 
DOI: Digital Object Identifier 10.5902/19837348

Qualis B1

Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 (CC BY 4.0).

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 (CC BY 4.0).

Acessos a partir de 17/09/2015

CopySpider - Software Anti-plagio