Caracterização dos trabalhadores da enfermagem afastados por distúrbios osteomusculares em hospital universitário

Yuri Marques Souza, Daiane Dal Pai, Larissa Martini Junqueira, Andréia Barcellos Teixeira Macedo, Juliana Petri Tavares, Eunice Beatriz Martin Chaves

Resumo


Objetivo: descrever características sociodemográficas e ocupacionais de trabalhadores da equipe de enfermagem afastados por distúrbios osteomusculares em hospital universitário e sua associação com o tempo de afastamento. Método: estudo quantitativo retrospectivo, transversal e analítico. Os dados foram coletados nos prontuários de trabalhadores afastados no período de 2012 a 2017, e analisados por meio da estatística descritiva e analítica.  Resultados: de 2.761 afastamentos registrados, 449 se referiam a distúrbios osteomusculares (16,26%), o maior percentual por dorsalgia (41,5%) e 78 trabalhadores apresentaram diagnóstico psiquiátrico, principalmente depressão (43,4%). Identificou-se no grupo com maior tempo de afastamento (> de 15 dias) o predomínio da categoria de auxiliares e técnicos de enfermagem (p=0,006), trabalhadores com menor mediana de idade (p=0,021) e de maior escolaridade (p=0,035). Conclusão: o elevado número de afastamentos por distúrbios osteomusculares, por vezes associado a outras comorbidades, exige acompanhamento e medidas preventivas nos locais de trabalho.

Palavras-chave


Dor musculoesquelética; Transtornos traumáticos cumulativos; Saúde do Trabalhador; Licença médica; Enfermagem

Referências


Lida I, Guimarães LBM. Ergonomia: projeto e produção. São Paulo (SP): Blucher; 2016.

Sousa BVN, Silva DLS, Ferreira MS, Santana RR, Cunha WC, Brito CO. Lesões por esforço repetitivo em profissionais de enfermagem: revisão sistemática. Rev Bras Saúde Func [Internet]. 2016 [acesso em 2019 jan 23];1(3). Disponível em: http://www.seer-adventista.com.br/ojs/index.php/RBSF/article/view/758/646

Shoji S, Souza NVDO, Farias SNP. Impacto do ambiente laboral no processo saúde doença dos trabalhadores de enfermagem de uma unidade ambulatorial especializada. REME Rev Min Enferm [Internet]. 2015 [acesso em 2018 jun 20];19(1):43-8. Disponível em: http://www.reme.org.br/artigo/detalhes/984 doi:10.5935/1415-2762.20150004

Lourenção LG, Sanches NF, Todesco TN, Soler ZASG. Queixas de distúrbios osteomusculares em aprimorandos e aperfeiçoandos atuantes em um hospital de ensino. Rev Enferm UFPE On Line [Internet]. 2017 [acesso em 2017 jul 07];11(1):383-92. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/11919/14412 doi:10.5205/1981-8963-v11i1a11919p383-392-2017

Paula AA, Sanchez MCO, Pereira MJ. Lesões por esforço repetitivo/distúrbio osteomuscular relacionado ao trabalho: contribuições para a prevenção em trabalhadores de enfermagem. Acc Cietna (Chiclayo) [Internet]. 2016 [acesso em 2017 jul 07];3(2):11. Disponível em: http://revistas.usat.edu.pe/index.php/cietna/article/view/42

Ferreira JM. Relação dos fatores de risco ligados ao trabalho interativo usando computador e telefone com a etiopatogenia dos distúrbios osteomusculares de região cervical, ombros e membros superiores [tese]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 1997. 109 p.

Vidor CR, Mahmud MAI, Farias LF, Silva CA, Ferrari JN, Comel JC, et al. Prevalência de dor osteomuscular em profissionais de enfermagem de equipes de cirurgia em um hospital universitário. Acta Fisiátrica [Internet]. 2014 [acesso em 2017 jun 09];21(1):6-10. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/actafisiatrica/article/view/103819/102290 doi:10.5935/0104-7795.20140002

Merisalu E, Animägi L, Oha K, Freimann T, Sirk T. Job-specific factors and prevalence of multiple and disabling musculoskeletal pain among office workers, nurses and caregivers in Estonia. Proc Latv Acad Sci B [Internet]. 2016 [acesso em 2017 jun 20];70(5):286-93. Disponível em: https://content.sciendo.com/view/journals/prolas/70/5/article-p286.xml doi:https://doi.org/10.1515/prolas-2016-0044

Arvidsson I, Simonsen JG, Dahlqvist C, Axmon A, Karlson B, Björk J, et al. Cross-sectional associations between occupational factors and musculoskeletal pain in women teachers, nurses and sonographers. BMC Musculoskeletal Disord [Internet]. 2016 [acesso em 2017 jun 20];17(35):1-15. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4717636/ doi: 10.1186/s12891-016-0883-4

Akbari H, Akbari H, Gholami-Fesharaki M, Hosseinabadi, MB. Assessing the risk of manual handling of patients and its relationship with the prevalence of musculoskeletal disorders among nursing staff: Performance evaluation of the MAPO and PTAI methods. Iran Red Crescent Med J [Internet]. 2017 [acesso em 2017 jun 20];19(2):1-8. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/307899285_Assessing_the_Risk_of_Manual_Handling_of_Patients_and_Its_Relationship_with_the_Prevalence_of_Musculoskeletal_Disorders_Among_Nursing_Staff_Performance_Evaluation_of_the_MAPO_and_PTAI_Methods

Marques D. O absenteísmo-doença da equipe de enfermagem de um hospital universitário [dissertação]. Goiânia: Universidade Federal de Goiás; 2014.

Santos LSF, Hansel CG, Camacho ACLF, Oliveira BGRB, Shiraishi R. Evidências de absenteísmo na enfermagem: revisão integrativa. Rev Enferm UFPE On Line [Internet]. 2014 [acesso em 2017 jul 19];8(10): 3483-91. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/10081/10526 doi:10.5205/reuol.6039-55477-1-ED.081020128

Guimaraes ALO, Felli VEA. Notificação de problemas de saúde em trabalhadores de enfermagem de hospitais universitário. Rev Bras Enferm [Internet]. 2016 [acesso em 2018 jun 11];69(3):507-14. Disponível em:http://www.scielo.br/pdf/reben/v69n3/0034-7167-reben-69-03-0507.pdf doi:http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167.2016690313i

Prestes FC. Absenteísmo-doença em trabalhadores de enfermagem de um hospital universitário: estudo de métodos mistos [tese]. Santa Maria: Universidade Federal de Santa Maria; 2017. 199 p.

Almeida CGSTG, Fernandes RCP. Distúrbios músculoesqueléticos em extremidades superiores distais entre homens e mulheres: resultados de estudo na indústria. Rev Bras Saúde Ocup [Internet]. 2017 [acesso em 2019 nov 15];42:e3. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0303-76572017000100202&lng=en doi:http://dx.doi.org/10.1590/2317-6369000125515

Maciel Júnior EG, Trombini-Souza F, Maduro PA, Mesquita FOS, Silva TFA. Self-reported musculoskeletal disorders by the nursing team in a university hospital. BrJP [Internet]. 2019 jun [acesso em 2019 nov 18];2(2):155-8. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2595-31922019000200155&lng=en doi: http://dx.doi.org/10.5935/2595-0118.20190028

Assunção AA, Abreu MNS. Fatores associados a distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho autorreferidos em adultos brasileiros. Rev Saúde Pública. 2017;51 Supl 1:10s.

Oliveira VC, Almeida RJ. Aspectos que determinam as doenças osteomusculares em profissionais de enfermagem e seus impactos psicossociais. J Health Sci [Internet]. 2017 [acesso em 2018 jun 20];19(2):130-5. Disponível em: http://www.pgsskroton.com.br/seer/index.php/JHealthSci/article/view/4272/3565

Quadros DV, Magalhães AMM, Mantovani VM, Rosa DS, Echer IC. Análise de indicadores gerenciais e assistenciais após adequação de pessoal de enfermagem. Rev Bras Enferm [Internet]. 2016 ago [acesso em 2019 out 31];69(4):684-90. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672016000400684&lng=pt doi:http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167.2016690410i

Silva RF, Silva SF, Almeida NM, Barbosa TC, Quaresma FRP, Maciel ES. Presença de distúrbios osteomusculares em enfermeiros de unidades de pronto atendimento. Rev Enferm Atenção Saúde. [Internet]. 2017 [acesso em 2018 jun 15];6(2):2-11. Disponível em: http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/enfer/article/view/2081/pdf

Davis KG, Kotowski SE. Prevalence of musculoskeletal disorders for nurses in hospitals, long-term care facilities, and home health care: a comprehensive review. Human Factors [Internet]. 2015 [acesso em 2018 jun 04];57:754-92. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25899249 doi:10.1177/0018720815581933

Borges TP, Kurebayashi LFS, Silva MJP. Occupational low back pain in nursing workers: massage versus pain. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2014 ago [acesso em 2019 out 31];48(4):670-6. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342014000400670&lng=en doi:http://dx.doi.org/10.1590/S0080-623420140000400014

Freimann T, Pääsuke M, Merisalu E. Work-related psychosocial factors and mental health problems associated with musculoskeletal pain in nurses: a cross-sectional study. Pain Res Manag [Internet]. 2016 [acesso em 2018 jun 04];2016:9361016. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/27885319 doi:10.1155/2016/9361016

Duque RH, Campos VR, Campanha JA, Cristo VV, Andrade CVC, Gavi MBRO. Dor crônica musculoesquelética é fator de risco para distúrbios psiquiátricos e suicídio. Rev Bras Reumatol [Internet]. 2017 [acesso em 2019 nov 2019];57(Supl 1):S405–S406. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0482500417308549




DOI: https://doi.org/10.5902/2179769236767

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Este site está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.