Avanços e retrocessos da enfermagem obstétrica no Brasil

Chalana Duarte de Sena, Tialla Cardeal Simão Santos, Cássia Menaia França Carvalho, Aline Costa de Moraes Sá, Gilvânia Patrícia do Nascimento Paixão

Resumo


Objetivos: descrever a trajetória da enfermagem obstétrica no Brasil ao longo das décadas por meio de uma revisão da literatura. Métodos: revisão da literatura narrativa. Resultados: a partir do recente conceito de humanização no processo do partejar, o trabalho do enfermeiro obstetra tornou-se mais requisitado, já que foram percebidos, no decorrer dos anos, graves problemas com a medicalização excessiva e desnecessária no parto, o que exigiu modificações urgentes nesse modelo de assistência, principalmente no de baixo risco, assim como mudanças na formulação e implementação de políticas públicas voltadas ao contexto obstétrico. Conclusão: após a análise do percurso da enfermagem no campo da obstetrícia, observa-se um avanço considerável nessa área de atuação do enfermeiro no Brasil, sendo confirmado principalmente pela criação da lei do exercício profissional e pelos programas nacionais que incentivam a inserção de enfermeiros obstetras em várias áreas da saúde.


Palavras-chave


História da enfermagem; Enfermagem obstétrica; Saúde da mulher

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5902/217976923365



Licença Creative Commons
Este site está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.