Uso de intervenção musical em pacientes internados em unidade de terapia intensiva: estudo piloto

Lara Adrianne Garcia Paiano, Luciana Magnani Fernandes

Resumo


Doi: 10.5902/2179769213015

Objetivo: investigar as alterações geradas sobre os sinais vitais e nível de consciência com a aplicação da intervenção musical através da audição em pacientes sedados e não sedados, com trauma crânio encefálico, em uma unidade de terapia intensiva de um hospital de ensino. Método: estudo piloto quase-experimental, quantitativo. Participaram 10 pacientes, que receberam 20 sessões de intervenção musical. Para o tratamento dos dados foram utilizados os testes T-Student e ANOVA. As variáveis avaliadas foram: nível de consciência, frequência respiratória e cardíaca, pressão arterial e temperatura. Resultados: não houve alterações significativas nas variáveis aferidas. Observou-se através das médias, alterações dos parâmetros e no grupo de pacientes não sedados houve maior variabilidade das médias. Conclusão: a música pode ser utilizada como um estímulo a pacientes hospitalizados, podendo ser utilizado como recurso terapêutico e proporcionar um cuidado integral, individualizado e mais humanizado.


Palavras-chave


Música; Enfermagem; Unidades de Terapia Intensiva.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5902/2179769213015



Licença Creative Commons
Este site está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.