EFEITO DO SUBSTRATO BOVINO NA GERMINAÇÃO DE PIMENTA BIQUINHO (CAPSICUM CHINENSE) IRRIGADO COM ÁGUA RESIDUÁRIA

Viviane Farias Silva, Elka Costa Santos Nascimento, Leandro Oliveira Andrade, José Geraldo Vasconcelos Baracuhy, Vera Lucia Antunes Lima

Resumo


http://dx.doi.org/10.5902/2236130814844

O semiárido brasileiro caracterizado pela seca prolongada e chuvas más distribuídas, reduzindo a qualidade e quantidade de água disponível. Nesse contexto, a presente pesquisa  realizada em ambiente protegido na Universidade Federal de Campina Grande objetivando-se analisar a germinação da pimenta biquinho com substrato bovino irrigado com diferentes níveis de água residuária tratada. Os tratamentos corresponderam a 5 níveis de água (N) utilizando-se água de abastecimento  e residuária proveniente do reator anaeróbico de fluxo ascendente (UASB)  baseada na necessidade hídrica (NH) da cultura, sendo elas: 100 % da NH (N5), 80 % da NH (N4), 60 % da NH (N3),  40 % da NH (N2) e 20 % da NH (N1).Foram avaliados a porcentagem de germinação (PG), o índice de velocidade de germinação (IVG), a velocidade média (Vm) e o tempo médio (Tm) de germinação da pimenta biquinho ( BRS Moema). A porcentagem de germinação para a água de abastecimento teve média de 42,3 % e 46,5 % para residuária. Para os níveis de água aplicados a velocidade média de germinação da pimenta biquinho variou de 0,086 a 0,089. A germinação da pimenta teve melhores resultados com o uso da água residuária.O reuso de água em regiões semiáridas é uma alternativa viável reduzindo os custos e disponibilizando nutrientes a cultura.


Palavras-chave


BRS Moema, níveis de água, substrato orgânico.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236130814844

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.