Disposição final dos resíduos sólidos urbanos: diagnóstico da gestão do município de Santo Antônio de Goiás

Evaldo de Melo Ferreira, Karla Alcione da Silva Cruvinel, Eliabe Soares da Costa

Resumo


A gestão dos resíduos sólidos é a parte que envolve a política relacionada a esses. O gerenciamento são as ferramentas, a parte prática. No ano de 2010, o Brasil avançou na temática relacionada à gestão pública de resíduos sólidos urbanos e industriais. Foi instituída, por exemplo, a responsabilidade sobre o material gerado. Com a Lei de Nº12. 305, o gerador tornou-se responsável pelo que é descartado. De acordo com essa legislação, na gestão e gerenciamento de resíduos sólidos, deve ser observada a seguinte ordem de prioridade: não geração, redução, reutilização, reciclagem, tratamento dos resíduos sólidos e disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos. O presente trabalho foi desenvolvido no município de Santo Antônio de Goiás, GO, Brasil, com o objetivo de avaliar a área de disposição final dos resíduos do município. No levantamento da qualidade da área utilizada para disposição final dos resíduos sólidos, foi utilizado o método Índice de Qualidade de Aterro de Resíduos (IQR) preconizado pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB, 2011). Com o resultado pode-se concluir que a área está inadequada, obtendo nota igual a 3,7.


Palavras-chave


Vazadouros; Resíduos urbanos; Índice de Qualidade de Aterro de Resíduos (IQR)

Texto completo:

PDF

Referências


ABES – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL. Municípios mineiros se unem para acabar com os lixões. Disponível em: . Acesso em: 20 fev. 2014.

ABRELPE – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EMPRESAS DE LIMPEZA PUBLICA E RESÍDUOS ESPECIAIS. Panorama dos resíduos sólidos no Brasil-2012. São Paulo: ABRELPE, 2012. 116 p.

ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC Nº 306, de 7 de dezembro de 2004. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2004/res0306_07_12_2004.html. Acesso em: 26 fev. 2013.

ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR 8419: Apresentação de projetos de aterros sanitários de resíduos sólidos urbanos. Rio de Janeiro, 1992.

______. NBR 13896: Aterros de resíduos não perigosos-Critérios para projeto, implantação e operação. Rio de Janeiro, 1997.

BRASIL. Lei Nº 12.305, de 2 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm. Acesso em: 02 jan. 2014.

CETESB – COMPANHIA ESTADUAL DE SÃO PAULO. Inventário Estadual de Resíduos Sólidos Urbanos, 2011. 21 ed. São Paulo: CETESB, 2011. 110 p.

______. Resíduos urbanos, de serviços de saúde e da construção civil. Disponível em: http://www.cetesb.sp.gov.br/residuos-solidos/residuos-urbanos/2-residuos-urbanos. Acesso em: 01 mar. 2014.

CNM – Confederação Nacional dos Municípios. Resíduos Sólidos: Nova Demanda. Disponível em: http://geografia.uol.com.br/geografia/mapas-demografia/50/residuos-solidos-novas-demandas-de-acordo-com-aconfederacao-293243-1.asp. Acesso em: 27 fev. 2014.

CONAMA – Conselho Nacional do Meio Ambiente. Resolução Nº 307, de 05 de julho de 2002. Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil. Disponível em: http://www.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=307. Acesso em: 2 jan. 2014.

______. Resolução Nº 358, de 29 de abril de 2005. Dispõe sobre o tratamento e a disposição final dos resíduos dos serviços de saúde e dá outras providências. Disponível em: http://www.mma.gov.br/port/conama/res/res05/res35805.pdf. Acesso em: 02 jan. 2014.

______. Resolução Nº431, de 24 de maio de 2011. Altera o art. 3º da Resolução nº 307, de 5 de julho de 2002, do Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA, estabelecendo nova classificação para o gesso. Disponível em: http://www.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=649. Acesso em: 27 fev. 2014.

EMBRAPA – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Agência de Informação Embrapa, Bioma Cerrado, 2007. Latossolos. Disponível em: http://www.agencia.cnptia.embrapa.br/Agencia16/AG01/arvore/AG01_96_10112005101956.html. Acesso em: 06 mar. 2014.

______. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. 2 ed. Rio de Janeiro: EMBRAPA-SPI, 2006. 306 p.

GOIÁS. SEMARH – SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO ESTADO DE GOIÁS. Relatório de Vistoria na Área de Disposição Final dos Resíduos Sólidos Urbanos do Município de Santo Antônio de Goiás, 2011.

______. ______. Instrução Normativa nº 11 de 2013-Aterro Sanitário Simplificado. Disponível em: http://www.semarh.goias.gov.br/site/uploads/files/legislacao_semarh/instrucoes_normativas/instruins_normativa_n_011-2013.pdf. Acesso em 05 fev. 2014.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Goiás-Santo Antônio de Goiás-infográficos: dados gerais do município. Disponível em: http://www.cidades.ibge.gov.br/painel/painel.php?lang=&codmun=521973&search=goias%7Csanto-antonio-de-goias%7Cinfograficos:-dados-gerais-do-municipio. Acesso em: 20 dez. 2013.

IFWIS – Idaho Fish and Wildlife Information System (IFWIS). ArcMap 10.1 - Edit the Service Layer Credit. Disponível em: http://fishandgame.idaho.gov/ifwis/portal/taxonomy/term/453. Acesso em: 6 mar. 2014.

JACOBI, P. R & BESSEN, G. R. Gestão de resíduos sólidos em São Paulo: desafios da sustentabilidade. Estudos Avançados, São Paulo, vol. 25, n. 71, p. 135-158, jan./abr. 2011.

LIMA, A. S & CABRAL, A. E. B. Caracterização e classificação dos resíduos de construção civil da cidade de Fortaleza (CE). Engenharia Sanitária e Ambiental, Rio de Janeiro, vol. 18, n. 2, p. 169-176, abr./jun. 2013.

MMA-MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Inclusão social de catadores. Disponível em: http://www.mma.gov.br/responsabilidade-socioambiental/a3p/eixos-tematicos/gestão-adequada-dos-resíduos/item/9341. Acesso em: 20 fev. 2014.

SANTO ANTÔNIO DE GOIÁS. Plano municipal de gestão integrada de resíduos sólidos. Santo Antônio de Goiás: Innove Consultoria Ambiental, 2013. 80 p.

SIEG – Sistema Estadual de Geoinformação de Goiás. Download de Arquivos SIG (Shapefile). Base de dados de 2004. Disponível em: http://www.sieg.go.gov.br/. Acesso em: 06 mar. 2014.

SIMONETTO, E. O & LÖBLER, M. L. Simulação baseada em system dynamics para avaliação de cenários sobre geração e disposição de resíduos sólidos urbanos. Produção, Santa Maria, vol.-, n.-, p. 0-0, ahead of print Epub, jul. 2013.




DOI: https://doi.org/10.5902/2236130813520

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.