A educação ambiental nas Escolas Municipais de Manaus (AM): um estudo de caso a partir da percepção dos discentes

Patrícia Auxiliadora Ribeiro de França, Maria da Glória Vitório Guimarães

Resumo


Este trabalho teve como ponto de partida encontrar resposta à seguinte problematização: até que ponto as escolas municipais têm contribuído para promover a educação ambiental? Em decorrência de tal pergunta, o trabalho teve como objetivo geral verificar se os projetos e ações em educação ambiental nas escolas municipais trazem resultados significativos que se traduzam em práticas pessoais no dia a dia dos seus discentes. Para tanto, foi realizado um estudo de caso, com pesquisa empírica do tipo descritiva, sobretudo na forma de trabalho de campo. Os principais resultados se mostraram concernentes com as abordagens de importantes autores da literatura sobre o assunto. Pode-se concluir que as ações de educação ambiental promovem mudanças de comportamento e despertam nos estudantes certo interesse para encontrar soluções para as problemáticas ambientais, todavia, para além do reconhecimento de valor e do interesse que os participantes têm sobre as questões ambientais, é necessário que as escolas avancem e busquem desenvolver novas ações.


Palavras-chave


Educação Ambiental Escolar; Percepção dos discentes; Escolas Municipais de Manaus

Texto completo:

PDF

Referências


BARROS, Ana Lúcia; ARAÚJO, Charles Silva; SOUZA, Frida da Silva; POZZETTI, Gislaine Regina; SILVA, João Marcelo; SILVA, José Roselito Carmelo da; COSTA, Maria José Alencar; ROMÃO, Rosicleide; TORRES, Ranna; PRADO, Thelma; GUIDA, Vânia Marília Lima; BARRETO, Waldenice. Agenda Ambiental Escolar. 2009. Disponível em: http://semed.manaus.am.gov.br/wp-content/uploads/2010/10/Revisada-18-de-maiode-2009.pdf. Acesso em: 7 de setembro de 2013.

BOCK, Ana Mercês Bahia; FURTADO, Odair; TEIXEIRA, Maria de Lourdes Trassi. Psicologias: uma introdução ao estudo de psicologia. 13ª ed. Reformada e ampliada - São Paulo: Saraiva, 2002.

BRASIL. Constituição 1988. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado. 1988.

BRASIL. Lei nº 9.795, de 27 de Abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Site da Presidência da República Federativa do Brasil. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9795.htm. Acesso em: 27 de agosto de 2013.

DIAS, G. F. Educação Ambiental: princípios e práticas. São Paulo, Gaia, 1992.

EFFTING, Tânia Regina. Educação Ambiental nas Escolas Públicas: Realidade e Desafios. Marechal Cândido Rondon, 2007. Monografia (Pós Graduação em “Latu Sensu” Planejamento Para o Desenvolvimento Sustentável) – Centro de Ciências Agrárias, Universidade Estadual do Oeste do Paraná – Campus de Marechal Cândido Rondon, 2007.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo Aurélio século XXI: o dicionário da língua portuguesa. 3ªed. Totalmente revista e ampliada – Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.

FERNANDES, Roosevelt S.; SOUZA, Valdir José de; PELISSARI, Vinicius Braga; FERNANDES, Sabrina T. Uso da percepção

ambiental como instrumento de gestão em aplicações ligadas às áreas educacional, social e ambiental. Disponível em: Acesso em: 3 de setembro de 2013.

GIESTA, Lílian Caporlíngua. Cartilha de Gestão Ambiental. 2009. Disponível em: http://www2.ufersa.edu.br/portal/view/uploads/

setores/241/Cartilha%20Gest%C3%A3o%20Ambiental.pdf. Acesso em: 6 de setembro de 2013.B

HENRIQUES, Ricardo; TRAJBER, Rachel; MELLO, Soraia; LIPAI, Eneida M.; CHAMUSCA, Adelaide. Educação Ambiental: aprendizes de sustentabilidade. Brasília, 2007.

KIST, Anna Christine Ferreira. Concepções e Práticas de Educação Ambiental: uma Análise a partir das Matrizes Teóricas e Epistemológicas Presentes em Escolas Estaduais de Ensino Fundamental de Santa Maria-RS. Santa Maria:

UFSM, 2010. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Geografia e Geociências, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2010. Disponível em: http://w3.ufsm.br/ppggeo/files/dissertacoes_06-11/Anna%20Cristine.pdf. Acesso em: 24 de agosto de 2013.

PENATTI, Fabio Eduardo; SILVA, Paulo Marcos. Coleta Seletiva como Processo de Implantação de Programas de Educação Ambiental em Empresas: Caso da Bioagri Laboratorios. In: 1o SIMPÓSIO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA DO ESTADO DE SÃO PAULO, 2008, Rio Claro. Anais... Rio Claro: UNESP, 2008. Disponível em: http://www.rc.unesp.br/igce/simpgeo/765-781fabio.pdf. Acesso em: 29 de outubro de 2010.

PRESTES, Maria Lucia de Mesquita. A pesquisa e a construção do conhecimento científico: do planejamento aos textos, da escola à academia. 3ª ed. São Paulo, Rêspel, 2007.

REIGOTA, Marcos. O que é educação ambiental. São Paulo: Brasiliense, 2009.

SILVA, Ludiana Ribeiro da; COSTA, Josilane Cordeiro; FERREIRA, Rayane Nôleto; ARAÚJO, Mariana Modanês; LIMA, Adda

Daniela Figueiredo. Tabuleiro ecológico: educação ambiental através da ludicidade. 2010. Disponível em: http://www2.unucseh.ueg.br/anais/edicao/edicao_vol05_n05/anais_iniciacaocientifica/geografia/spp_jic2010_geo_tabuleiro_ecologico_ludiana_josilane_rayane_mariana_adda.pdf. Acesso em: 8 de setembro de 2013.

ZUBEN, F. V. Meio Ambiente, Cidadania e Educação. Departamento de Multimeios. Uni-.




DOI: https://doi.org/10.5902/2236130812020

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.