LIXO - PROBLEMÁTICA SOCIOESPACIAL E GERENCIAMENTO INTEGRADO: A EXPERIÊNCIA DE SERRA AZUL (SP)

Elias Antônio Vieira

Abstract


http://dx.doi.org/10.5902/223611703946

Na presente investigação foram utilizadas teorias e conceitos que permitiram conhecer a característica, classificação, problemática e estratégias de manejo de tipologias de lixo. Constatou-se que o método de gerenciamento predominante no mundo, e sobretudo no Brasil, destina o lixo bruto no solo, causando, muitas vezes, danos socioespaciais, apesar de o potencial de serventia dos componentes do lixo extrapolar o de inutilidade. Os procedimentos metodológicos da pesquisa se constituíram do plano de comunicação social e educação ambiental; descarte e separação domiciliar em lixo úmido e lixo seco pela fonte geradora; coleta seletiva domiciliar e; construção e operação de experimento piloto de processamento de lixo, com atividades de separação e compostagem do lixo úmido e separação dos componentes do lixo seco, de acordo com a classificação industrial para reciclagem. Entre os resultados obtidos se destacou a adesão média de 79,6% das fontes geradoras à separação domiciliar; redução de 70,06% da destinação do lixo bruto no solo; o baixo custo de coleta seletiva e operação de experimento piloto em comparação com a literatura; melhoria das condições de trabalho e socioeconômicas dos catadores de lixo e; potencial de gerar ocupação e renda.


References


ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Referência

bibliográfica. NBR. 10.004. Rio de Janeiro, 1987.

ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023 informação e documentação: referências - elaboração. Rio de Janeiro, 2002.

ABRELPE - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EMPRESAS DE LIMPEZA PÚBLICA E RESÍDUOS ESPECIAIS. Código propõe novas regras para o lixo de Porto Alegre. Disponível em: . Acesso em: 28 nov. 2003.

ACIRP - ASSOCIAÇÃO COMERCIAL E INDUSTRIAL DE RIBEIRÃO PRETO. Indicadores econômicos. Valor médio do dólar. Disponível em:

. Acesso em: 12 dez. 2005.

ACSELRAD, H. Sentidos da sustentabilidade urbana. In: _____, A duração das cidades. Rio de Janeiro: DP&A, 2001. p. 28-55.

ALGOSOBRE vestibular. Economia de transição. Disponível em

. Acesso em: 19 jan. 2006.

ALMEIDA, F. O bom negócio da sustentabilidade. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2002.

ALVIM, C. E.; CUNHA, M. E. G.; CARVALHO, M. A. S.; ROSELLI, M. L.; MATIOLI, A. C. B. Projeto de aterro de resíduos sólidos - aterro sanitário de Batatais. Campinas: Eko Sane, 1996.

AMABIS, J. M.; MARTHO, G. R. O Problema do lixo urbano. Fundamentos da biologia moderna. São Paulo: Moderna, 1990.

ANDRADE, M. M. Introdução à metodologia do trabalho científico. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2001.

ANUÁRIO estatístico do setor de fertilizantes. Mercado mundial de fertilizantes. Revista da Associação nacional para difusão de adubos. São Paulo, ANDA, 2005.

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DE MINAS GERAIS. Lixões em Minas Gerais. Disponível em: . Acesso em: 12 dez.2005.

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE SÃO PAULO. Constituição da República Federativa do Brasil, Constituição do Estado de São Paulo, Declaração Universal dos Direitos Humanos. São Paulo, Imprensa Oficial, 2001.

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE SÃO PAULO. O estado dos municípios 1997 - 2000: índice paulista de responsabilidade social. São Paulo: Imprensa Oficial, 2003.

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE SÃO PAULO. Fórum legislativo de desenvolvimento econômico sustentado: reflexões e perspectivas para o desenvolvimento paulista. São Paulo: Imprensa Oficial, 2004.

ASSIS, J. F. Avaliação do uso de aterros como alternativa para disposição de resíduos sólidos domiciliares e industriais. São Carlos: EESC / USP, 1999.

ASSIS, R. L.; AREZZO, D. C.; DE-POLLI, H. Caracterização dos agricultores orgânicos fluminenses e análise de suas experiências. Geografia. Rio Claro: AGETEO, 1995. p. 153-160.

BALDOCHI, V. M. Z. Resíduos sólidos urbanos: aspectos básicos das transformações de compostos orgânicos em sistemas anaeróbios mesofílicos com elevada concentração de sólidos totais.1997. 166 p.Tese (Doutorado em Engenharia). Escola de Engenharia de São

Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos, 1997.

BALLESTERO, S. D.; FORTES NETO, P.; SILVA, F. C.; FORTES, N. L. P.; CARNIELLI, A. M.; SANTOS, V. R. C. Avaliação do composto de lixo urbano para uso agrícola: índice de produção de CO ² e maturidade. Campinas: Embrapa, 2000.

BARROS, A. J. P.; LEHFELD, N. A. S. Projeto de pesquisa: propostas metodológicas. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 1990.

BARROS, C. M. Novos marcos jurídicos para as relações trabalhistas. O Novo Paradigma do Emprego e o Futuro das Relações Trabalhistas. São Paulo: Adenauer, 1998. p. 27-42.

BERRÍOS, M. B. R. O lixo domiciliar de Rio Claro e a organização do espaço.1986. 196 p. Dissertação (Mestrado em Geografia). IGCE / Universidade Estadual Paulista. Rio Claro, 1986.

BERRÍOS, M. B. R. Resíduos sólidos urbanos e impacto ambiental na sua disposição final. In: SIMPÓSIO DE GEOGRAFIA FÍSICA APLICADA, 11., 1991. Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: UFRS, 1991.

BERRÍOS, M. B. R. Técnicas de amostragem de resíduos sólidos. In: MAIA, N.; MARTOS, H. (Org.). Indicadores ambientais. Sorocaba: os autores, 1997.

BERRÍOS, M. B. R. Poluição do rio Corumbataí por resíduos sólidos. Rio Claro: IGCE / UNESP, 1997a.

BERRÍOS, M. B. R. O lixo nosso de cada dia. In: CAMPOS, J. O.; BRAGA, R.; CARVALHO, P. F. (Org.). Manejo de resíduos: pressuposto para a gestão ambiental. Rio Claro: LPM /DEPLAN / IGCE / UNESP, 2002.

BIDONE, F. R. A.; POVINELLI, J. Conceitos básicos de resíduos sólidos. São Carlos: EESC / USP, 1999.

BLAUTH, P. Rotulagem ambiental e consciência ecológica. In: Debates sócio-ambientais. Ano II. n.º 5. out. 1996 / jan. 1997. Disponível em:

. Acesso em: 03 nov. 2001.

BOUCHERAT, J. C. Prospective et politique em Île-de-France. Futuribles: analyse et prospective. nº 269. Paris, França, nov. 2001.

BRAGA, R. Política urbana e gestão ambiental: considerações sobre o plano diretor e o zoneamento urbano. In: CARVALHO, P. F.; BRAGA, R. (Org.). Perspectivas de gestão ambiental em cidades médias. Rio Claro: LPM / DEPLAN / IGCE / UNESP, 2001.

BRANCO, S. M.; ROCHA, A. A. Elementos de ciências do ambiente. São Paulo: Cetesb /Ascetesb, 1987.

BRANDSMA, E. H.; EPPEL, J. Produção e consumo sustentáveis. In: RIBEMBOIN, J. (Org.). Mudando os padrões de produção e consumo. Brasília: Ibama, 1997.

BRANTNER, K. A. Abordagem integrada recorre à reciclagem e disposição em aterro sanitário. Revista Worldwside Waste Management. Disponível em . Acesso em: 05 dez. 2005.

BROWN, L. Nova Iorque: capital mundial do lixo. Disponível em:

. Acesso em: 02 set. 2003.

CALDERONI, S. Os bilhões perdidos no lixo. São Paulo: Humanitas / FFLCH / USP, 2003.

CAMPOS, J. O. Resíduos industriais: um olhar no futuro. In: CAMPOS, J.O.; BRAGA, Roberto; CARVALHO, Pompeu F. (Org.). Manejo de resíduos: pressuposto para a gestão ambiental. Rio Claro: DEPLAN / IGCE / UNESP, 2002.

CARVALHO, P. C. T. Compostagem. In: Biossólidos na agricultura. TSUTIYA, M. T.; COMPARINI, J. B.; ALEM SOBRINHO, P.; HESPANHOL, I.; CARVALHO, P. C. T; MELFI, A. J.; MELO, W. J.; MARQUES, M. O. (Ed.) São Paulo: SABESP, 2001.

CASTELS, M. A questão urbana. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2000.

CATÓLICO, Brasil. Brasil - país do desperdício. Disponível em:

. Acesso em: 20 ago. 2005.

CAVINATTO, V. M. Saneamento básico: fonte de saúde e bem estar. São Paulo: Moderna, 1992.

CEMPRE - COMPROMISSO EMPRESARIAL PARA A RECICLAGEM. Pesquisa Ciclosoft. Disponível em: . Acesso em 28 de maio de 2005.

CEMPRE - COMPROMISSO EMPRESARIAL PARA A RECICLAGEM. Destino dos resíduos sólidos urbanos. Disponível em:

. Acesso em: 22 mar.2006.

CEMPRE - COMPROMISSO EMPRESARIAL PARA A RECICLAGEM. O que é lixo classe 1? Disponível em:. Acesso em: 22 mar. 2006a.

CEMPRE - COMPROMISSO EMPRESARIAL PARA A RECICLAGEM. Preço do material reciclável. Disponível em . Acesso em: 22 mar. 2006b.

CETESB - Companhia de Tecnologia de Saneamento. Inventário estadual de resíduos sólidos domiciliares. São Paulo: CETESB, 2005.

CIDADANIA na Internet. Projeto de Lei regulamenta a profissão de catador de lixo. Disponível em: . Acesso em: 14 set. 2005.

COELHO, M. A. Geografia do Brasil. São Paulo: Moderna, 1987.

CONAMA - CONSELHO NACIONAL DE MEIO AMBIENTE. Resoluções CONAMA - 1984 / 86. 2.ed. Brasília: SEMA, 1988.

CORRÊA, R. L. Espaço, um conceito-chave da geografia. In: CASTRO, I. E.; GOMES, P. C. C.; CORRÊA, R. L. (Org.) Geografia: conceitos e temas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1995.

CORTEZ, A. T. C. A gestão de resíduos sólidos domiciliares: coleta seletiva e reciclagem – a experiência em Rio Claro / SP. 2002. 151 f. Tese (Livre docência em Recursos Naturais). Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2002.

CORTEZ, A. T. C. Coleta seletiva e reciclagem de resíduos urbanos.In: CAMPOS, J. O.; BRAGA, R.; CARVALHO, P. F. (Org.). Manejo de resíduos: pressuposto para a gestão ambiental. Rio Claro: LPM / DEPLAN / IGCE / UNESP, 2002a.

CORTEZ, A. T. C. Imprecisão de dados estatísticos sobre lixo (mensagem pessoal). Mensagem recebida por em 18 mar. 2006.

CORUMBATAÍ (Município). Prefeitura de Corumbataí. Dados sobre a coleta seletiva. Corumbataí, 2003.

COSTA, A. C. F.; SATTLER, M. A. Caracterização dos resíduos sólidos domiciliares de Porto Alegre: descrição dos aspectos mais relevantes. In: FRANKENBERG, C. L. C; RODRIGUES, M. T. R.; CANTELLI, M. (Coord.) Gerenciamento de resíduos e certificação ambiental. Porto Alegre: Edipucrs, 2000. p. 317-330.

COSTA, F. A. P. L. Ecologia urbana. Disponível em: . Acesso em: 13 nov. 2005.

COSTA, L. Fórum estadual “lixo e cidadania”. Disponível em:

. Acesso em: 13 nov. 2005.

DAERP - DEPARTAMENTO DE ÁGUA E ESGOTOS DE RIBEIRÃO PRETO. Programa lixo útil (folheto). Ribeirão Preto: DAERP, 2003.

D’ALMEIDA, M. L.; VILHENA, A. (Coord.). Lixo municipal: manual de gerenciamento integrado. São Paulo: IPT / CEMPRE, 2000.

DANIEL, É. Departamento de limpeza urbana. Usina de compostagem e reciclagem Antoine Laurent Lavoisieur. Operação da central de triagem. Franca, SP, 2001.

DASHEFSKY, H. S. Dicionário de ciência ambiental. Tradução: Álvaro Martins. São Paulo: Gaia, 1997.

ECO, U. Como se faz uma tese. São Paulo: Perspectiva, 1994. 11. ed.

ECOLOGISTAS en accion: basuras domésticas: reducir, reutilizar y reciclar. Las basuras domésticas: um gran problema com fáciles soluciones: reducir, reutilizar, reciclar, recuperar. Disponível em: . Acesso em: 29 abr. 2005.

FACHIN, O. Fundamentos de metodologia. São Paulo: Saraiva, 2001.

FERREIRA, A. B. H. Novo Aurélio Século XXI: o dicionário da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.

FIALCOFF, D. É lixo demais. Porto Alegre, agosto de [1998?]. Disponível em:

. Acesso em: 03 nov. 2001.

FIRTH, R. Organização social e estrutura social. In: CARDOSO, F. H. (Org.). Homem e sociedade. São Paulo: Nacional, 1972.

FLAUZINO, P. L. Planilha para determinação da composição física do lixo domiciliar. Serra Azul: CMA, 2004.

FLAUZINO, P. L. Planilha de controle de gastos de materiais - ECOLIXO. Serra Azul: CMA, 2005.

FRANCISCO, J.; CARVALHO, P. F. Desconstrução do lugar: o aterro da praia da frente do centro histórico de São Sebastião, SP. In: GERARDI, L. H. O. (Org.). Ambientes: estudos de geografia. Rio Claro: UNESP / AGETEO, 2003. p. 105-119.

FREITAS, C. G. L; BRAGA, T. O.; BITAR, O. Y.; FARAH, F. Habitação e meio ambiente: abordagem integrada em empreendimentos de interesse social. São Paulo: IPT, 2001.

GARCIA, E. O mito da embalagem ideal. Disponível em: . Acesso em: 18 jun. 2005.

GIANSANTI. R. O desafio do desenvolvimento sustentável. São Paulo: Atual, 1998.

GODET, M. Prospective et dynamique des territories. Futuribles: analyse et prospective. nº 269. Paris, França, nov. 2001.

GRIMBERG, E.; TUSZEL, L.; GOLDFARB, Y. Estudo sobre as cooperativas das centrais de triagem do programa coleta seletiva solidária (São Paulo). In: SEMINÁRIO NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS: PROJETOS SÓCIO-ECONÔMICOS. 7. 2004. São Paulo, SP.

Resumos. São Paulo: Abes, 2004. 1 CD-ROM.

GROSSI, M. G. L. Avaliação do nível de concentração de alguns metais pesados em resíduos ou produtos resultantes da disposição ou tratamento de resíduo sólido municipal.123 f. Dissertação (Mestrado em Química Analítica). Universidade de São Paulo, São Paulo, 1989.

GUIMARÃES, A.; GONZALES, D. Usina da Vila Leopoldina vai ser desativada. O Estado de S. Paulo. São Paulo, 07 de maio de 2004. p.14.

HARVEY, D. A produção capitalista do espaço. Coordenação: Antonio Robert de Moraes. Tradução de Carlos Szalak. São Paulo: Anablume, 2005.

HIRATA, R. C. A.; BASTOS, C. R. A.; ROCHA, G. A. Mapeamento da vulnerabilidade e risco de poluição das águas subterrâneas no estado de São Paulo. São Paulo: SMA / IG / CETESB / DAEE, 1997.

HOLLAND, R. Eu e contexto social. Rio de Janeiro: Zahar, 1979.

IEZZI, G.; DOLCE, O.; MACHADO, A. Matemática e realidade. São Paulo: Atual, 1987.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Documento cartográfico. Carta topográfica - folha SF. 23-V-C-1-4 MI-2637-4. 2. ed. Escala 1:50.000. Rio de Janeiro, 1982.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo 1991. Rio de Janeiro: IBGE, 1991.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo 2000. Rio de Janeiro:IBGE, 2000.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa Nacional de Saneamento Básico. Rio de Janeiro: IBGE, 2000a.

IDEC - Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor. Consumo sustentável. Tradução de Admond Bem Meir. São Paulo: SMA / IDEC, 1998.

JORNAL DA TARDE. Para reduzir a informalidade. Jornal da Tarde. São Paulo, 08 set. 2004. p.52.

JORNAL DA ORLA. Retrato do desperdício no país do [Programa] Fome Zero. Jornal da Orla. Disponível em: . Acesso em: 20 ago. 2005.

JORNAL DO MEIO AMBIENTE. Tráfico ilegal de lixo. Jornal do Meio Ambiente. Disponível em: . Acesso em: 09 out. 2005a.

KASMIER, L. J. Princípios de gerência: uma revisão programada. Tradução de Reginaldo Demétrio de Souza. Rio de Janeiro: Americana, 1973.

KIEHL, E. J. Fertilizantes orgânicos. Piracicaba: E.J. Kiehl, 1985.

KIEHL, E. J. Manual de compostagem. Piracicaba: E.J. Kiehl, 1998.

KIEHL, E. J. Adubação orgânica. 500 perguntas & respostas. Piracicaba: E.J. Kiehl, 2005.

LEÃO, A. L. Geração de resíduos sólidos urbanos e de impacto ambiental. In: MAIA, N.; MARTOS, H. (Org.). Indicadores ambientais. Sorocaba: os autores, 1997.

LEFÉBVRE, H. O direito à cidade. Tradução: Rubens Eduardo Frias. São Paulo: Centauro, 2001.

LEITE, T. M. C.; CORTEZ, A. T. C. Análise do mercado brasileiro de reciclagem de resíduos sólidos urbanos e experiências de coleta seletiva em alguns municípios paulistas. In: GERARDI, L. H. O.; MENDES, I. A. (Org.) Do natural, do social e de suas interações:

visões geográficas. Rio Claro: UNESP / AGETEO, 2002. p. 189-198.

LEITE, T. M. C. Entraves espaciais: análise de brownfields representados por aterros de resíduos sólidos urbanos desativados no município de São Paulo / SP. 2004. 116 p. Exame de Qualificação (Doutorado). Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2004.

LEME (Município). Prefeitura de Leme. Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social. Programa de coleta seletiva (folheto de divulgação). Leme (Município), [2003?].

LEONE, J. C. N. Departamento de resíduos sólidos. Central de Triagem e Reciclagem. Dados estatísticos dos recicláveis. Ribeirão Preto, 2001.

LIMA, V. J. Departamento de Limpeza Urbana. Dados do tratamento de lixo da Usina Leopoldina (São Paulo, SP). São Paulo, 2001.

LUZ, N. F. Embalagem e logística. Disponível em:. Acesso em: 05 de maio de 2005.

MAGERA, M. Os empresários do lixo: um paradoxo da modernidade. Campinas: Átomo, 2003.

MARQUES, A. L. P.; NASCIMENTO, N.; WEYRAUCH, W. Tratamento biológico dos resíduos domiciliares orgânicos. Guaratinguetá: DME / UNESP, 2000.

MARX, K. O pensamento vivo de Marx. Coordenação de M. Claret. Pesquisa de texto e tradução de J. G. Simões Jr. Rio de Janeiro: Tecnoprint, 1985.

MARX, K. O Capital: crítica da economia política. v. 1-3. 2.ed. Coordenação e revisão de P. Singer. Tradução R. Barbosa e F. R. Kothe. São Paulo: Nova Cultural, 1985. 301 p. Tradução de Das Kapital – Kritik der politischen Öekonomie.

MATOS, B. T. P.; LOPES, C. Q.; NARDI, D. C. A.; OROFINO, F. V. G.; PIRES, T. S.; BICCA, V. R. D. Considerando mais o lixo. Florianópolis: Insular, 1999.

MENDONÇA, M. Por um ambiente melhor. Revista CNT. Ano IX, nº 105, mar.2004. p. 33-41.

MINAS GERAIS (Estado). Fundação estadual do meio ambiente. Tempo médio de decomposição dos resíduos (Cartilha). Minas Gerais, [2001?].

MONREAL, J. C. Gestión de residuos sólidos em América Latina y el Caribe. Disponível em: . Acesso em: 01 out. 2000.

MORAES, A. C. R. Meio ambiente e ciências humanas. São Paulo: Hucitec, 1997.

MORENTE, M. G. Fundamentos de filosofia. Tradução: Guilhermo de la Cruz Coronado. São Paulo: Mestre Jou, 1964.

MOTTA, R. S.; SAYAGO, D. E. Propostas de instrumentos econômicos ambientais para a redução de lixo urbano e o reaproveitamento de sucatas no Brasil. Texto para discussão nº 608. Rio de Janeiro, Ipea, 1998.

NASCIMENTO, C. A. A história da produção mais limpa. Disponível em: . Acesso em: 08 out. 2005.

NOVAES, W. Desafios do lixo. Programa de televisão exibido pela TV Cultura em 17 jun. 2001. São Paulo, 2001.

NOVAES, W. Dúvidas no esgoto e no lixo. O Estado de S. Paulo. São Paulo, 18 abr. 2003. p. A 2.

NOVAES, W. Washington Novaes alerta para o problema do lixo no mundo. Disponível em: . Acesso em: 08 out. 2005.

NUNES, E. R. M.; BAASCH, S. S. N. Capacitação de recursos humanos através da educação ambiental visando implantar sistemas de gestão ambiental nas organizações. In: FRANKENBERG, C. L. C.; RODRIGUES, M. T. R.; CANTELLI, M. (Coord.). Gerenciamento de resíduos sólidos e certificação ambiental. Rio Grande do Sul: Edipucrs,

O ESTADO DE S. PAULO. Um lixo de taxa. O Estado de S. Paulo, 25 mar.2003. Cad. A, p. 6.

O ESTADO DE S. PAULO. SP ganha 1ª central de coleta seletiva de lixo. O Estado de S. Paulo, 12 fev.2003, Cad. 5, p.3.

OLIVA, J.; GIANSANTI, R. Espaço e modernidade: temas da geografia mundial. São Paulo: Atual, 1995.

OLIVEIRA, J. F. Guia pedagógico do lixo. São Paulo: SMA, 1998.

OLIVEIRA, P. Introdução à sociologia. São Paulo, Ática, 2001.

PADIAR, J. C. Construfert Engenharia. Usina de reciclagem e compostagem de lixo urbano de Araraquara, SP. Estatística sobre compostagem. Araraquara, 2001.

PÃO-DE-AÇÚCAR, Instituto. Parcerias contra o desperdício. Disponível em: . Acesso em 20 ago. 2005.

PENTEADO, H. D. Educação, escola e vida: qual é a relação? In: KUPSTAS, Márcia (Org.). Educação em debate. São Paulo: Moderna, 1998. Cap. 1, p. 21- 43.

PEREIRA, G. C. Geoprocessamento e urbanismo. Geografia. Rio Claro: AGETEO, 2001.

PEREIRA NETO, J. T. Lixo urbano: a reciclagem e a compostagem como solução. Revista saneamento ambiental. São Paulo: Signus, 1994. p.22-26.

PIRES, A. S. A reciclagem de plásticos e o meio ambiente. In: Manejo de resíduos: pressuposto para a gestão ambiental. 1. ed. Rio Claro: LPM / DEPLAN / IGCE / UNESP, 2002. p. 49-63.

PORTUGAL, G. Catador de lixo no Brasil: o catador em São Paulo. Disponível em: . Acesso em 14 set. 2005.

RABAÇA, C. A.; BARBOSA, G. Dicionário de comunicação. Rio de Janeiro: Codecri, 1978.

RECICLAGEM do lixo na luta contra as enchentes. Gerenciamento ambiental. São Paulo, v. 24, p.14-15, mar / abr, 2003.

REICHERT, G. A.; DOS REIS, J. C. F. Custos de implantação e de operação de aterro sanitário - estudo de caso: aterro da Extrema, Porto Alegre, RS. In: FRANKENBERG, C. L.; RODRIGUES, M. T. R.; CANTELLI, M.. Gerenciamento de resíduos: certificação ambiental. Porto Alegre: Edipucrs, 2000 p. 232-246.

REIS FILHO, J. C. Dados do fertilizante orgânico da usina de compostagem de São José do Rio Preto, SP. São José do Rio Preto, 2003.

RIBEMBOIM, J. Mudando os padrões de produção e consumo. In: RIBMEBOIM, J. Mudando os padrões de produção e consumo: textos para o século XXI. Brasília: IBAMA, 1997. p. 13-30.

ROBAZZI, M. L. Lixo: trabalhadores que lhe mantém contato ocupacional e relacionamentos entre ambos, com ênfase na cidade de Ribeirão Preto, estado de São Paulo. 1997. 203 p. Tese (Livre docência em Enfermagem). EERP / USP - Departamento de Enfermagem Geral e Especializada.

RODRIGUES, A. M. Produção e consumo do e no espaço: problemática ambiental urbana. São Paulo: HUCITEC, 1998.

RUBERG, C.; AGUIAR, A.; PHILIPPI JR., A. Promoção da qualidade ambiental através da reciclagem de resíduos sólidos domiciliares. In: FRANKENBERG, C. L.; RODRIGUES, M. T. R.; CANTELLI, M. Gerenciamento de resíduos:certificação ambiental. Porto Alegre:

Edipucrs, 2000. p.157-170.

RUTKOWSKI, E. A sustentabilidade do desenvolvimento. Ligação. São Paulo: Sabesp, nº 7, p. 17-31, set. 2000.

SABESP - Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo. Conferência Nacional de Saneamento: relatório síntese. Ligação. São Paulo, Sabesp, nº 7, encarte A, fev. 2000.

SANTOS, N. R.; TEIXEIRA, I. F. Arborização de vias públicas: ambiente x vegetação. Santa Cruz do Sul: Souza Cruz, 2001.

SÃO CARLOS (Município). Secretaria de Desenvolvimento Sustentável, Ciência e Tecnologia. Folheto de divulgação do programa Futuro Limpo. São Carlos, SMDS, [2004?].

SÃO PAULO (Estado). Secretaria de Estado do Meio Ambiente. Conceitos para se fazer Educação Ambiental. São Paulo: SEMA, 1994. 84 p.

SÃO PAULO (Estado). Secretaria de Estado de Meio Ambiente. Atlas das Unidades de Conservação Ambiental do estado de São Paulo. São Paulo, 2000. 64 p.

SÃO PAULO (Estado). Secretaria dos Recursos Hídricos, Saneamento e Obras. Departamento de Águas e Energia Elétrica. Relatório de situação de recursos hídricos do Estado de São Paulo. São Paulo: DAEE, 2002. 119 p.

SÃO PAULO (Estado). Secretaria de Estado de Recursos Hídricos, Saneamento e Obras. Ofício CG / SRHSO nº 014. Implantação de aterros. São Paulo: A secretaria, 2003.

SÃO PAULO (Estado). Ministério Público do Estado de São Paulo. Inquérito Civil nº 17. Educação ambiental e gestão de resíduos sólidos domiciliares mediante coleta seletiva - programa ECOLIXO. Cravinhos: MPE, 2004.

SÃO PAULO (Estado). Ministério Público do Estado de São Paulo.Termo de Aditamento de Compromisso de Ajustamento. Cravinhos: MPE, 2005.

SÃO PAULO (Estado). Secretaria do Meio Ambiente. Gerenciamento de resíduos sólidos: uma visão de futuro. São Paulo: SMA, 2005a.

SÃO PAULO (Estado). Secretaria da Agricultura e Abastecimento. Casa da Agricultura de Serra Azul. Observações termo-pluviométricas. Serra Azul, 2005b.

SÃO PAULO (Estado). Casa civil. Assessoria técnica legislativa. Lei nº 12.300, de 16 de março de 2006. São Paulo, 2006.

SÃO PAULO (Município). Secretaria de Serviços e Obras. Usina Leopoldina. Relatório de produção de recicláveis. São Paulo, 2001.

SÃO PAULO (Estado). Secretaria de Serviços e Obras. Departamento de Limpeza Urbana. Operação cidade limpa (cartilha). São Paulo, [2001?]a.

SÃO PAULO (Estado). Secretaria de serviços e obras. Taxa de resíduos sólidos domiciliares. Documento de arrecadação. São Paulo, 2005.

SERRA AZUL (Município). Prefeitura. Departamento de Planejamento. Documento cartográfico. Rodovias. 1 planta. Escala 1:50:000. Serra Azul, 1978.

SERRA AZUL (Município). Departamento de Planejamento. Lei Orgânica do município de Serra Azul. Serra Azul, 1990.

SERRA AZUL (Município). Departamento de Planejamento. Lei n° 748, de 31 de outubro de 1994. Dispõe sobre aquisição de imóvel rural, para fins de depósito de lixo urbano. Serra Azul, 1994.

SERRA AZUL (Município). Departamento de Planejamento. Lei Complementar nº 2. Código Tributário Municipal. Serra Azul, 1997.

SERRA AZUL (Município). Diretoria de Planejamento. Histórico de Serra Azul. Material de divulgação; Serra Azul, [2000?].

SERRA AZUL (Município). Departamento de Planejamento. Lei nº 891, de 02 de abril de 2002. Dispõe sobre a coleta e o transporte de resíduos sólidos (entulho) no município de Serra Azul. Serra Azul, 2002.

SERRA AZUL (Município). Departamento de Planejamento. Lei Orgânica do município de Serra Azul. Serra Azul, 2003.

SERRA AZUL (Município). Departamento de Limpeza Pública. Características dos equipamentos e veículos da coleta e transporte de lixo. Serra Azul, 2004.

SERRA AZUL (Município). Departamento de Planejamento. Lei nº 931, de 30 de junho de 2004. Dispõe sobre as diretrizes orçamentárias para elaboração e execução da lei orçamentária para o exercício

financeiro do ano de 2005 e dá outras providências. Serra Azul, 2004a.

SERRA AZUL (Município). Departamento de Planejamento. Lei nº 941, de 03 de dezembro de 2004. Estima a receita e fixa a despesa do município de Serra Azul para o exercício de 2005.Serra Azul, 2004b.

SERRA AZUL (Município). Conselho Municipal do Meio Ambiente. Diagnóstico do lixo domiciliar, comercial e público. Serra Azul, 2004c.

SERRA AZUL (Município). Departamento de Planejamento. Decreto nº 011, de 30 de dezembro de 2004. Dispõe sobre atualização de valores dos mapas e cadastros predial e territorial urbano e demais taxas de serviços de utilidades e tributos do município de Serra Azul e dá outras providências. Serra Azul, 2004d.

SERRA AZUL (Município). Departamento de Planejamento. Documento cartográfico. Planta da área urbana. 1 planta. Escala 1:50.000. Serra Azul, 2005.

SERRA AZUL (Município). Departamento de Planejamento. Lei nº 958, de 05 de agosto de 2005. Dispõe sobre autorização para o poder executivo municipal implantar o programa de renda mínima, para a implementação do programa ECOLIXO, nos termos do compromisso de ajustamento

proposto pelo Ministério Público do Estado de São Paulo. Serra Azul, 2005a.

SERRA AZUL (Município). Decreto n° 015, de 13 de setembro de 2005. Dispõe sobre a regulamentação da Lei nº 958, de 5 de agosto de 2005, que autoriza o poder executivo municipal a implantar o

programa de renda mínima, para implantação do programa ECOLIXO, nos termos do compromisso de ajustamento proposto pelo Ministério Público do Estado de São Paulo. Serra Azul, 2005b.

SILVA, F. C.; SILVA, A. F. S.; CESAR, M. A. A.; SALDANHA, M. F. C. Influência da aplicação de composto de lixo urbano na cana-de-açúcar e na fertilidade do solo. Campinas: Embrapa, 2000.

SILVA, J. G. Perspectivas da agricultura alternativa. Cadernos de difusão de tecnologia. Brasília, v. 4, n. 2, p. 17-128, 1987.

SILVA, M. Projeto lixo seletivo: reciclagem para a vida. Disponível em

. Acesso em: 1 de maio de 2005.

SILVA, R. C.; ROCIOLI, R. F. Lixeiros somos nós. 1996. 86 f. Monografia (Graduação em Serviço Social). Universidade Estadual Paulista, Franca, 1996.

SINGER, P. Trabalho informal: origens e evolução. Mapa do trabalho informal. In: JAKOBSEN, K.; MARTINS, R.; DOMBROWSKI, O. (Org.). São Paulo: Abramo, 2000. p.11-13.

SUGIMOTO, D. Economia solidária: uma outra economia é possível e acontece. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS: PROJETOS SÓCIOECONÔMICOS. 7.2004, São Paulo, SP. Resumos. São Paulo: Abes, 2004. 1 CD-ROM.

TESCH, W. O espaço das cooperativas de trabalho no futuro do mercado laboral. O Novo Paradigma do Emprego e o Futuro das Relações de Trabalho: série Pesquisas. nº 10. São Paulo. p. 75-86. 1998.

TETRA PAK. Descobrindo a coleta seletiva. Folheto de divulgação. São Paulo: Tetra Pak, [2000?].

TOLOSA, H. Os novos desafios da política urbana na era do real. Rio de Janeiro: IPEA, 1997.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em ação. São Paulo: Atlas, 1987.

ULTRAMARI, C. Da viabilidade de um desenvolvimento sustentável para as cidades. Disponível em: . Acesso em: 21 set. 2005.

URENHA, I. M. Estudo socioeconômico de catadores de lixo de Serra Azul, SP. Serra Azul, 2005.

VIEIRA, E. A. A poluição das águas subterrâneas por lixão: aqüífero do município de Ribeirão Preto, SP. 1996. 54 f. Monografia (Especialização em Geografia). Universidade de Franca - UNIFRAN. Franca,1996.

VIEIRA, E. A. Impactos ambientais provocados pela disposição errada de resíduos. 2001. 38 p. Exame de Qualificação (Mestrado em Geografia). Universidade Estadual Paulista. Rio Claro, 2001.

VIEIRA, E. A. A questão ambiental do resíduo / lixo em Ribeirão Preto, SP. 2002. 153 f. Dissertação (Mestrado em Geografia). Universidade Estadual Paulista. Rio Claro, SP.

VIEIRA, E. A. Aspectos sobre os resíduos sólidos urbanos domésticos da região metropolitana de Santiago, Chile. Revista Geográfica. nº 132. Cidade do México, México. p. 15-31. jul - dez, 2002. IPGH / OEA, 2002a. p.15-31.

VIEIRA, E. A. Paisaje urbana y resíduos sólidos em Santiago, Chile. 25 p. Monografia apresentada a Escola de Geografia da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Chile. Santiago, Chile, 2003.

VIEIRA, E. A. Dados da organização espacial e do diagnóstico do manejo dos resíduos sólidos domiciliares do município de Serra Azul, SP. 2004. 19 p. (Relatório para o Ministério Público do Estado de São Paulo). Cravinhos, 2004.

VIEIRA, E. A. Lixo: avaliação empírica de modelo de gestão para município de pequeno porte: o exemplo de Serra Azul, SP. 123 p. Exame Qualificação (Doutorado em Geografia), Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2005.

WILSON, D. C. Direções no gerenciamento de resíduos: passado, presente e futuro. Livro anual da ISWA. s.l., 2000.




DOI: https://doi.org/10.5902/223611703946



DEAR AUTHORS,

PLEASE, CHECK CAREFULLY BEFORE YOUR SUBMISSION:

- IF ALL AUTHORS "METADATA" (ORCID, LINK TO LATTES, SHORT BIOGRAPHY, AFFILIATION) WERE ADDED,

- THE CORRECT IDIOM YOUR SECTION,

- IF THE HIGHLIGHTS WERE ADDED,

- IF THE GRAPHIC ABSTRACTS WAS ADDED,

- IF THE REVIEWERS INDICATION WAS DONE,

- IF THE REFERENCES FORMAT ARE CORRECT(ABNT)

- IF THE RESOLUTION YOUR FIGURES (600 DPI) ARE SUITABLE

*******************************

PREZADOS AUTORES,

POR FAVOR, VERIFIQUE ATENTAMENTE ANTES DA SUBMISSÃO: 
- SE OS METADADOS (ORCID, LINK PRO LATTES, CURTA BIOGRAFIA E AFILIAÇÃO) DE "TODOS" OS AUTORES FORAM ADICIONADOS, 
- IDIOMA, 
- SE OS HIGHLIHTS FORAM ADICIONADOS, 
- SE O GRAPHICAL ABSTRACT FOI ADICIONADO, 
- SE A INDICAÇÃO DOS REVISORES FOI FEITA, 
- SE O FORMATO DAS REFERÊNCIAS ESTÁ ADEQUADO (ABNT) 
- SE A RESOLUÇÃO SUAS FIGURAS (600 DPI) ESTÁ ADEQUADA.

 

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

 

**************************************************

WE ARE ON FACEBOOK! (You are our guest!)

 

Digital Object Identifier (DOI): 10.5902/22361170

Contact: reget.ufsm@gmail.com

...................................................................................


Accesses since 19/06/2012

...................................................................................

Sponsors: