A QUESTÃO AMBIENTAL DO RESÍDUO/LIXO EM RIBEIRÃO PRETO (SP)

Elias Antônio Vieira

Abstract


http://dx.doi.org/10.5902/223611703945

O presente estudo analisa a questão ambiental do resíduo/lixo em Ribeirão Preto, visto que esta cidade figura entre as que mais geram este tipo de detrito no estado de São Paulo e as que detêm altas taxas de geração desses objetos na América Latina e Caribe. Estudos realizados por diversos autores demonstram que a produção contínua e crescente de resíduo/lixo decorre dos valores culturais, sociais, políticos e econômicos da sociedade moderna. Com a finalidade de compreender melhor esses aspectos, analisa-se as práticas de gestão e gerenciamento; os impactos ambientais negativos acarretados pela destinação errada do resíduo/lixo. Verifica-se, a maneira pela qual a consciência das pessoas reflete essa problemática. Evidenciou-se que o Lixão da ex-Fepasa e o Lixão de Serrana, foram responsáveis por graves problemas ao ambiente; uma porcentagem significativa dos entrevistados preocupa-se com a preservação da vida no planeta, a poluição ambiental, assim como o destino do resíduo/lixo. Percebem também, as vantagens e desvantagens da sociedade de consumo, da tecnologia, bem como a necessidade de revisão de certos valores, discutindo a situação atual, na tentativa de reconstrução de uma sociedade sob fundamentos renovados.


References


AGUIAR, ROBERTO A. R. Direito do meio ambiente e participação popular. Brasília (DF): Ibama, 1994.

AMABIS, JOSÉ M.; MARTHO, GILBERTO R. O Problema do lixo urbano. Fundamentos da biologia moderna. São Paulo: Moderna, 1990.

ARAUJO, REGINA. O planeta azul está em perigo? In: KUPSTAS, MÁRCIA (Org.). Ecologia em debate. São Paulo: Moderna, 1997. Cap. 3, p. 47-60.

ASSIS, JOSÉ FERREIRA. Avaliação do uso de aterros como alternativa para disposição de resíduos sólidos domiciliares e industriais. São Carlos: EESC/ USP, 1999.

BALDOCHI, VIVIANA MARIA Z. Resíduos sólidos urbanos: aspectos básicos das transformações de compostos orgânicos em sistemas anaeróbios mesofílicos com elevada concentração de sólidos totais. São Paulo, 1997. Tese (Doutorado em Engenharia). EESC, Universidade de São Paulo.

BARBOSA FILHO, MILTON BENEDITO; STOCKLER, MARIA LUIUZA S. História Moderna e Contemporânea. São Paulo: Scipione, 1993.

BARROS, AIDIL J.P.; LEHFELD, NEIDE APARECIDA S. Projeto de pesquisa: propostas metodológicas. Rio de Janeiro: Vozes, 1990.

BAUDRILLARD, JEAN. A sociedade de consumo. Rio de Janeiro: Elfos, 1995.

BERRÍOS, MANUEL B. R. O lixo domiciliar de Rio Claro e a organização do espaço. Dissertação (Mestrado em Geografia). IGCE/Universidade Estadual Paulista. Rio Claro, 1986.

BERRÍOS, MANUEL B. R. Resíduos sólidos urbanos e impacto ambiental na sua disposição final. In: SIMPÓSIO DE GEOGRAFIA FÍSICA APLICADA, 11., 1991. Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: UFRS, 1991.

BERRÍOS, MANUEL B. R. Técnicas de amostragem de resíduos sólidos. In: Indicadores ambientais (coord. de N. Maia e H. Martos), Sorocaba: os autores, 1997.

BERRÍOS, MANUEL B. R. Poluição do rio Corumbataí por resíduos sólidos. Rio Claro: IGCE/UNESP, 1997 a.

BIDONE, FRANCISCO RICARDO A.; POVINELLI, Jurandyr. Conceitos básicos de resíduos sólidos. São Carlos: EESC/USP, 1999.

BLAUTH, PATRÍCIA. Rotulagem ambiental e consciência ecológica. In: Debates sócioambientais. Ano II. n.º 5. out 1996/jan 1997. On-line. Disponível em: < http://www.lixo.com.br/rotulagem.htm>. Acesso em: 03 nov. 2001.

BRANCO, SAMUEL M. Elementos de ciência do ambiente. 2. ed. São Paulo: CETESB/ASCETESB,1987.

BRANCO, SAMUEL M. O meio ambiente em debate. São Paulo: Moderna, 1988.

BRANCO, SAMUEL M. Ecologia e ecologismos. In: KUPSTAS, Márcia (Org.). Ecologia em debate. São Paulo: Moderna, 1997. Cap. 1, p. 21-31.

BRANDSMA, ERICH H.; EPPEL, JEREMY. Mudando os padrões de produção e consumo. Produção e consumo sustentáveis: um enfoque internacional. Brasília(DF): Ibama, 1997.

BROWN, LESTER. Salve o Planeta!: qualidade de vida, 1990. São Paulo: Globo, 1990.

BUENO, FRANCISCO DA S. Dicionário escolar da língua portuguesa. 11.ed. Rio de Janeiro: Fename, 1980.

CAIRNCROSS, Frances Meio ambiente: custos e benefícios. São Paulo: Nobel, 1992.

CARVALHO, CLEUSA. Tetra magazine Brasil. São Paulo: Tetra Pak, 2001.

CHIAVENATO, JÚLIO JOSÉ. O massacre da natureza. São Paulo: Moderna, 1989.

CHIAVENATO, JÚLIO JOSÉ. Desenvolvimento sustentável para todos. In: KUPSTAS, Márcia (Org.) Ecologia em debate. São Paulo: Moderna, 1997. Cap. 7, p. 113-127.

CODERP - Companhia de Desenvolvimento Econômico de Ribeirão Preto. Dados gerais do município. Ribeirão Preto: CODERP, 1995.

CODERP - Companhia de Desenvolvimento Econômico de Ribeirão Preto. Instale sua empresa aqui. Ribeirão Preto: CODERP, 1997 (?).

CÓDIGO brasileiro de defesa do consumidor. Comentado pelos autores do anteprojeto. 7.ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2001.

COIMBRA, JOSÉ DE ÁVILA A. O outro lado do meio ambiente. São Paulo: CETESB, 1985.

CONSELHO nacional de meio ambiente. Resoluções CONAMA - 1984/86. 2.ed. Brasília: SEMA, 1988.

COSTA, JOÃO A.; FERREIRA, JUSTO C. Lixão de Serrana: caracterização do problema ambiental e proposição de soluções. Ribeirão Preto: UNAERP, 1997. . Poluição do rio Corumbataí por resíduos sólidos. Rio Claro: IGCE/UNESP, 1997.

CRAVO, M. S.; MURAOKA T.; GINÉ, M. F. Caracterização química de compostos de lixo urbano em algumas usinas brasileiras. Piracicaba: CENA/USP, 1998.

CURCHATUZ, RUI SAMPAIO. Custo do composto. Material de divulgação. São Paulo: FSP/USP, 1981.

DAERP - Departamento de Água e Esgotos de Ribeirão Preto. Dados sobre o gerenciamento do lixo. Ribeirão Preto, 08 de dezembro de 2001. On-line. Disponível em: . Acesso em: 12 dez. 2001.

DAERP - Departamento de Água e Esgotos de Ribeirão Preto. Coleta e transporte do lixo doméstico. Ribeirão Preto: DAERP, 2001a.

D’ALMEIDA, MARIA LUÍZA OTERO; VILHENA, André. Lixo municipal: manual de gerenciamento integrado. 2.ed. São Paulo: IPT/CEMPRE, 2000.

DORST, JEAN. Antes que a natureza morra: por uma ecologia política. Tradução de Rita Bongermino. São Paulo: Edgar Blücher, 1973.

DORST, JEAN. A força do ser vivo. São Paulo: Melhoramentos/USP, 1981.

FELDMANN, FÁBIO. Reflexões para o pós Rio. Política externa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992. v. 2.

FELDMANN, FÁBIO. Consumo sustentável. São Paulo: Secretaria do Meio Ambiente/IDEC/CI, 1998.

FERRY, LUC. A nova ordem ecológica. São Paulo: Ensaio, 1994.

FIALCOFF, Dóris. É lixo demais. Porto Alegre, agosto de 1998 (?). On-line. Disponível em: . Acesso em: 03 nov.2001.

FIGUEIREDO, VILMA. Produção social da tecnologia. São Paulo: EPU, 1989.

GERMANI, GINO. Sociologia da Modernização. São Paulo: Mestre Jou, 1974.

GIANSANTI, ROBERTO. O desafio do desenvolvimento sustentável. São Paulo: Atual, 1998.

GIL, ANTÔNIO CARLOS. Como elaborar projetos de pesquisa. 3.ed. São Paulo: Atlas, 1996.

GROSSI, MARIA GRICIA DE L. Avaliação do nível de concentração de alguns metais pesados em resíduos ou produtos resultantes da disposição ou tratamento de resíduo sólido municipal. São Paulo, 1989. 123 f. Dissertação (Mestrado em Química Analítica). Universidade de São Paulo.

GUIA Oficial da Cidade. Ribeirão Hoje. Ribeirão Preto: EPIL, 1998.

HADDAD, Aníbal. Lista telefônica da comunidade. Ribeirão Preto: EPIL, 2000.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo 1991. Rio de Janeiro: IBGE, 1991.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo 2000. Rio de Janeiro: IBGE, 2000.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa nacional de saneamento básico. Rio de Janeiro: IBGE, 2000a.

INSTITUTO do Consumidor Educação do Consumidor. A sociedade de consumo e o consumerismo. Lisboa, Portugal, em 1996(?). On-line. Disponível em:. Acesso em: 04 nov. 2001.

JAGUARIBE, HÉLIO. A nova ordem mundial. Política Externa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992. v. 1.

KIEHL, EDMAR JOSÉ. Fertilizantes orgânicos. São Paulo: Ceres, 1985.

KLOETZEL, KURT. O que é meio ambiente. São Paulo: Brasiliense, 1993.

KUPSTAS, MÁRCIA et al. Ecologia em debate. São Paulo: Moderna, 1997.

LANZONI, NORBERTO. Liberalismo e democracia. São Paulo: Brasiliense, 1986.

LEÃO, ISABEL. Saneamento: lugar de lixo é no lixo. Jornal da USP. São Paulo: USP, 1999.

LEÃO, ALCIDES LOPES. Ambiente. Lixo, o alto preço cobrado pelo progresso. O Estado de São Paulo. São Paulo, 29 ago. 1996. Tele Jornal. On-line. Disponível em:

. Acesso em: 10 set. 2002.

LEÃO, ALCIDES LOPES. Geração de resíduos sólidos urbanos e de impacto ambiental. Id Berríos: Técnicas de amostragem de resíduos sólidos. Indicadores ambientais (coord. de N. Maia e H. Martos), Sorocaba: os autores, 1997.

LIXO, um problema ainda não resolvido. Verdade. Ribeirão Preto, 6 mar. 1999. Geral, p. 5.

LIXO, pequeno histórico. Ouro Preto, Minas Gerais, 03 nov. 2001. On-line. Disponível em: . Acesso em: 03 nov. 2001.

MAGNOLI, DEMÉTRIO; SCALZARETTO, REINALDO. A nova geografia. São Paulo: Moderna, 1992.

MAINIER, FERNANDO B. Resíduos sólidos e meio ambiente. São Paulo, 1999 (?). Dissertação (Mestrado em Engenharia). EESC, Universidade de São Paulo.

MATOS, BRENDA TEREZA et al. Considerando mais o lixo. Florianópolis: Insular, 1999.

MEADOWS, DONELA et al. Limites do crescimento. São Paulo: Perspectiva, 1978.

MELO, ANDRÉ CHAVES; DIAS, VALÉRIA. Ambiente. Fósforo: o vilão dos rios. Jornal da USP. São Paulo: USP, 2002.

MENDONÇA, FRANCISCO DE ASSIS. Geografia e meio ambiente. São Paulo: Contexto, 1998.

MIRANDA, LUCIANA L. O que é lixo? São Paulo: Brasiliense, 1995.

MONREAL, JÚLIO C. Gestión de resíduos sólidos em América Latina y el Caribe. Salvador, 28 de setembro de 1998. On-line. Disponível em:

. Acesso em: 01 out. 2000.

MORAIS, ANTONIO CARLOS R. Meio ambiente e ciências humanas. São Paulo: HUCITEC, 1994.

MOREIRA, RUI. O que é geografia. São Paulo: Brasiliense, 1994.

NOVAES, WASHINGTON. Mergulhados no Lixo. O Estado de São Paulo. São Paulo, 2000.

OLIVA, JAIME; GIANSANTI, ROBERTO. Espaço e modernidade: temas da geografia mundial. São Paulo: Atual, 1995.

OLIVEIRA, JOSÉ FLÁVIO DE. Guia pedagógico do lixo. São Paulo: SMA, 1998.

OLIVEIRA, PÉRSIO SANTOS. Introdução à sociologia. São Paulo: Ática, 2001.

PENTEADO, HELOÍSA DUPAS. Educação, escola e vida: qual é a relação?. In: KUPSTAS, Márcia (Org.). Educação em debate. São Paulo: Moderna, 1998. Cap. 1, p. 21-43.

PEREIRA NETO, JOÃO TINOCO. Lixo Urbano. A reciclagem e a compostagem como solução. Saneamento Ambiental. São Paulo: Signus, 1994.

PEREIRA JÚNIOR, MAURO. Caracterização do lixo doméstico de Ribeirão Preto. Ribeirão Preto: o autor, 1998.

PILETTI, NELSON; PILETTI, CLAUDINO. História e vida: da Idade Moderna à atualidade. 12. ed. São Paulo: Ática, 1995.

RIBEIRÃO PRETO (Município). Câmara Municipal. Lei Complementar n.º 501, de 31 de outubro de 95. Dispõe sobre a instituição do Plano Diretor do Município de Ribeirão Preto e dá outras providências. Diário Oficial, Ribeirão Preto (Município), 1995.

RIBEIRÃO PRETO (Município). Secretaria Municipal do Meio Ambiente. Carta Ambiental. Monitoramento de aterros sanitários e despoluição de lixões. Ribeirão Preto (Município): SMMA/RP, 1996.

RIBEIRÃO PRETO (Município). Secretaria Municipal de Planejamento e Gestão Ambiental. Lei de parcelamento, uso e ocupação do solo. Ribeirão Preto (Município): SMPGA, 2001.

RIBEIRO, WAGNER COSTA. A ordem ambiental internacional. São Paulo: Contexto, 2001.

RIBEMBOIM, JACQUES et al. Mudando os padrões de produção e consumo. Brasília: IBAMA, 1997.

ROBERTO, CLIVONEI. Um perigo que cheira mal. Revista Expressão Feedback. Ribeirão Preto, mar. 2001. n.º 43, p. 27.

ROCHA, EDGAR AQUINO. Princípios de Economia. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1970.

RODRIGUES, ARLETE MOYSÉS. Produção e consumo do e no espaço: problemática ambiental urbana. São Paulo: HUCITEC, 1998.

ROLNIK, RAQUEL. O que é cidade. São Paulo: Brasiliense, 1995.

SANDRONI, PAULO. Dicionário de economia e administração. São Paulo: Nova Cultural, 1996.

SANTOS, MILTON. A Natureza do espaço. Técnica e tempo. Razão e emoção. São Paulo: HUCITEC, 1997.

SÃO PAULO (Estado). Secretaria Estadual do Meio Ambiente. Mapeamento da vulnerabilidade e risco de poluição das águas subterrâneas no Estado de São Paulo. São Paulo (Estado): A Secretaria, 1997.

SÃO PAULO (Estado). Guia pedagógico do lixo. São Paulo (Estado): A Secretaria, 1998.

SÃO PAULO (Estado). Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo. Constituição da República Federativa do Brasil e do Estado de São Paulo. São Paulo (Estado): Imprensa Oficial, 2001.

SÃO PAULO (Estado). Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo. Tratamento e destino do lixo são debatidos na Assembléia Legislativa. Diário Oficial do Estado. São Paulo(Estado): Imprensa Oficial, 2001a.

SCARLATO, FRANCISCO CAPUANO; PONTIN, JOEL ARNALDO. Do nicho ao lixo: ambiente, sociedade e educação. São Paulo: Atual, 1992.

SCHALCH, VALDIR. Gerenciamento dos resíduos sólidos urbanos. Material didático. São Carlos: o autor, 2000.

SCHWARZ, WATER; SCHWARZ, DOROTY. Ecologia: alternativa para o futuro. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990.

SENE, EUSTÁQUIO; MOREIRA, JOÃO CARLOS. Geografia Geral e do Brasil: espaço geográfico e globalização. São Paulo: Scipione, 1998.

SILVA, RAFAEL A. Documentos legislativos sobre o lixo da ex-Fepasa. Ribeirão Preto: Câmara Municipal, 1991.

SILVA, REGINA C.; ROCIOLI, ROSILENE FATIMA. Lixeiros somos nós. Franca: UNESP, 1996.

SIMÕES JR., JOSÉ GERALDO. O pensamento vivo de Marx. São Paulo: Ediouro, 1985.

SOARES, MAGDA. Metodologias não-convencionais em teses acadêmicas. In: Fazenda, Ivani C. A. (Org.). Novos enfoques da pesquisa educacional. 3.ed. São Paulo: Cortez, 1999. P.75-84.

TAKAYANAGUI, ANGELA MARIA M. Trabalhadores de saúde e meio ambiente: ação educativa do enfermeiro na conscientização para gerenciamento de resíduos sólidos. Ribeirão Preto, 1993. Tese (Doutorado em Enfermagem). EERP/Universidade de São Paulo.

TETRA PAK. A embalagem e o ambiente. (Material de divulgação). São Paulo: Tetra Pak, 1998.

TRIVIÑOS, AUGUSTO N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais. São Paulo: Atlas, 1987.

WARD, BÁRBARA; DUBOS, RENÉ. Uma terra somente. São Paulo: Edgard Blücher/Melhoramentos/USP, 1973.

VALADÃO, VALÉRIA. Memória arquitetônica de Ribeirão Preto. Franca, 1997. 202 f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura). Universidade Estadual Paulista.

VEGA Engenharia Ambiental S/A. Pré-composto da usina vila Leopoldina. São Paulo: VEGA, 2000 (?).

VELLOSO, JOÃO PAULO DOS REIS. A ecologia e o novo padrão de desenvolvimento do Brasil. São Paulo: Nobel, 1992.

VICENTINO, CLÁUDIO. História moderna e contemporânea. São Paulo: Scipione, 1994.

ZAGO, JOSÉ ANTÔNIO. Sociedade de consumo e droga. Jornal Existencial. São Paulo, 08 de outubro de 2000. On-line. Disponível em: . Acesso em: 03 jan. 2001.




DOI: https://doi.org/10.5902/223611703945



DEAR AUTHORS,

PLEASE, CHECK CAREFULLY BEFORE YOUR SUBMISSION:

- IF ALL AUTHORS "METADATA" (ORCID, LINK TO LATTES, SHORT BIOGRAPHY, AFFILIATION) WERE ADDED,

- THE CORRECT IDIOM YOUR SECTION,

- IF THE HIGHLIGHTS WERE ADDED,

- IF THE GRAPHIC ABSTRACTS WAS ADDED,

- IF THE REVIEWERS INDICATION WAS DONE,

- IF THE REFERENCES FORMAT ARE CORRECT(ABNT)

- IF THE RESOLUTION YOUR FIGURES (600 DPI) ARE SUITABLE

*******************************

PREZADOS AUTORES,

POR FAVOR, VERIFIQUE ATENTAMENTE ANTES DA SUBMISSÃO: 
- SE OS METADADOS (ORCID, LINK PRO LATTES, CURTA BIOGRAFIA E AFILIAÇÃO) DE "TODOS" OS AUTORES FORAM ADICIONADOS, 
- IDIOMA, 
- SE OS HIGHLIHTS FORAM ADICIONADOS, 
- SE O GRAPHICAL ABSTRACT FOI ADICIONADO, 
- SE A INDICAÇÃO DOS REVISORES FOI FEITA, 
- SE O FORMATO DAS REFERÊNCIAS ESTÁ ADEQUADO (ABNT) 
- SE A RESOLUÇÃO SUAS FIGURAS (600 DPI) ESTÁ ADEQUADA.

 

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

 

**************************************************

WE ARE ON FACEBOOK! (You are our guest!)

 

Digital Object Identifier (DOI): 10.5902/22361170

Contact: reget.ufsm@gmail.com

...................................................................................


Accesses since 19/06/2012

...................................................................................

Sponsors: