Sustainability and sustainable development in engineering education

Solange Maria Loureiro, Vera Lúcia Duarte do Valle Pereira, Waldemar Pacheco Júnior

Abstract


One of the challenges of this century is related to the perspective that the societies become socially, environmentally and economically sustainable in order to satisfy the needs of present generations without reducing the chances of the future generations to achieve theirs. It is through higher education that new professionals start acting, thus, influence how current and future generations deal with the social, environmental and economic issues, i.e., with the sustainability and the Sustainable Development (SD). So, it is responsibility of higher education to provide to the people competencies to enable them to deal with the technical and environmental challenges through solutions that minimize environmental impacts and social inequalities. As the engineers have direct relationship to the production of knowledge and technologies that directly impact society and the environment is essential that the engineering background allows them to design technologies and economic activities to sustain rather than degrade the natural environment and improve health and human well-being. In this context, this paper aims to reflect about the vision of sustainability/DS required for engineering education so that it may contribute to make sustainable societies.

Keywords


Sustainability; Sustainable development; Engineering education

References


ADEODATO, M. T. P. C.; SILVA, M. R.; SHIMBO, I. TEIXEIRA, B. A. N. O ensino da sustentabilidade em cursos de graduação em engenharia civil integrando pesquisa e extensão: a experiência da UFSCar. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE EDUCAÇÃO EM ENGENHARIA, setembro de 2004, Brasília. Disponível em http://www.abenge.org.br/cobenges-anteriores/2004/artigos-2004/artigos-publicados_6. Acesso em 20 março de 2013.

ADLONG, W. Rethinking the Talloires Declaration. International Journal of Sustainability in Higher Education, v. 14, n. 1, p. 56-70, 2013.

ALENCASTRO, M. S. C. Hans Jonas e a proposta de uma ética para a civilização tecnológica. Desenvolvimento e Meio Ambiente, n. 19, p. 13-27, jan./jun. 2009.

ALLAL, L. Aquisição e avaliação das competências em situação escolar. In: DOLZ, J.; OLLAGNIER, E (Orgs). O enigma da competência em educação. Porto Alegre: Artmed, p. 79-96, 2004.

ALENCASTRO, M. S. C.; HEEMANN, A. A responsabilidade como substrato ético da sustentabilidade: considerações a partir da obra de Hans Jonas. In: II SEMINÁRIO SOBRE SUSTENTABILIDADE, 2007, Curitiba. Disponível em http://sottili.xpg.uol.com.br/publicacoes/pdf/IIseminario/pdf_reflexoes/reflexoes_18.pdf. Acesso em 12/06/2012.

AZNAR MINGUET, P., ULL SOLÍS, M. A. La formación de competencias básicas para el desarrollo sostenible: el papel de la Universidad. Revista de Educación, n. extraordinario, p. 219-237, 2009.

BARBIERI, J. C.; SILVA, D. da. Desenvolvimento sustentável e educação ambiental: uma trajetória comum com muitos desafios. RAM, Rev. Adm. Mackenzie, v. 12, n. 3, edição especial, São Paulo, SP, p. 51-82, maio/jun. 2011.

BARTH, M.; GODEMANN, J.; RIECKMANN, M.; STOLTENBERG, U. Developing key competencies for sustainable development in higher education. International Journal of Sustainability in Higher Education, v. 8, n. 4, p. 416-430, 2007.

BATTESTIN, C.; GHIGGI, G. O princípio responsabilidade de Hans Jonas: um princípio ético para os novos tempos. Thaumazein, Ano III, n. 6, p. 69-85, out/2010.

BAZZO, W. A.; PEREIRA, L. T. do V.; LINSINGEN, I. Von. Educação tecnológica: enfoques para o ensino de engenharia. Florianópolis: Editora da UFSC, 2000.

BELLEN, H. M. V. Desenvolvimento Sustentável: uma descrição das principais ferramentas de avaliação. Ambiente & Sociedade, v. VII, n. 1, p. 67-87, jan./jun. 2004.

BEURON, T. A.; SCHUCH JÚNIOR, V. F.; MADRUGA, L. R. R. G.; CARPES, A. M.. Relações entre os valores pessoais e os comportamentos ecológicos no contexto da sustentabilidade. Revista Ibero Americana de Ciências Ambientais, Aquidabã, v.3, n.2, p. 6-22, 2012.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução 11/2002, aprovada em 11 de março de 2002. Institui diretrizes curriculares nacionais para os cursos de graduação em engenharia.

BRITO, W. A. de. Proposta de construção de um currículo integrado de engenharia. In: XXXIX CONGRESSO BRASILEIRO DE EDUCAÇÃO EM ENGENHARIA. Blumenau/SC, 03 a 06 de outubro de 2011. Disponível em http://www.abenge.org.br/CobengeAnteriores/2011/sessoestec/art2114.pdf. Acesso em 05/05/2012.

BUARQUE, C. A revolução nas prioridades: da modernidade técnica à modernidade ética. São Paulo: Paz e Terra, 1994.

CARLETTO, M. R. Avaliação de Impacto tecnológico: reflexões,

fundamentos e práticas. 1.ed. Curitiba: Ed. UTFPR, 2011.

CARVALHO, A. C. B. D. de.; PORTO, A. J. V.; BELHOT, R. V. Aprendizagem significativa no ensino de engenharia. Revista Produção, v. 11, n. 1, p. 81-90, nov/2001.

CAVALCANTI, C. Sustentabilidade: mantra ou escolha moral? Uma abordagem ecológico-econômica. Estudos Avançados, v. 26, n. 74, p. 35-50, 2012.

CESAR, L. P. de M.; CIDADE, L. C. F. Ideologia, visões de mundo e práticas socioambientais no paisagismo. Sociedade e Estado, Brasília, v. 18, n. 1-2, p. 115-136, 2003.

CHEETHAM, G.; CHIVERS, G. Towards a holistic model of professional competence. Journal of European Industrial Training, v. 20, n. 5, p. 20-30, 1996.

CMMAD (Comissão Mundial para o Meio Ambiente e Desenvolvimento). Nosso Futuro Comum. 2 ed. Rio de Janeiro: Ed. Da Fundação Getúlio Vargas, 1991. 430 p.

CORDEIRO, J. S.; ALMEIDA, N. N.; BORGES, M. N.; DUTRA, S. C.;

VALINOTE, O. L.; PRAVIA, Z. M. C. Um futuro para a educação em engenharia no Brasil: desafios e oportunidades. Revista de Ensino de Engenharia, v. 27, n. 3, Edição especial, p. 69-82, 2008.

CORTESE, A. D.; HATTAN, A. S. Education for sustainability as the mission of higher education. Sustainability, v. 3, n.1, p. 48-52, fev/2010.

COSTA, A. F. M.; STUTZ, B. L.; MOREIRA, G. de O.; GAMA, M. M. da. Sociedade atual, comportamento humano e sustentabilidade. Caminhos de Geografia, v. 5, n. 13, p. 209-220, Out/2004.

DOBSON, A.; QUILLEY, S.; YOUNG, W. Sustainability as competitive advantage in higher education in the UK. International Journal of Environment and Sustainable Development, v. 9, n. 4, p. 330-348, 2010.

DWEK, M.; COUTINHO, H.; MATHEUS, F. Por uma formação crítica em engenharia. In: XXXIX CONGRESSO BRASILEIRO DE EDUCAÇÂO EM ENGENHARIA. Blumenau/SC, 03 a 06 de outubro de 2011. Disponível em http://www.abenge.org.br/CobengeAnteriores/2011/sessoestec/art2114.pdf. Acesso em 05/05/2012.

EDWARDS, M.; ÁLVAREZ-SÁNCHEZ, D.; SÁNCHEZ-RUIZ, L. M. Engineering education and competences for sustainability education in Spain. In: INTERNATIONAL CONFERENCE ON ENGINEERING EDUCATION – ICEE, Coimbra/Portugal, 3 a 7 de setembro de 2007. Disponível em http://digital.csic.es/bitstream/10261/10157/1/AC215_1_ICEEMonica.pdf. Acesso em 03/05/2010.

FABER, N. JORNA, R. ENGELEN, J. V. The sustainability of “sustainability” a study into the conceptual foundations of the notion of “sustainability”. Journal of Environmental Assessment Policy and Management, v. 7, n. 1, p. 1-33, 2005.

FERNANDEZ, B. P. M. Ecodesenvolvimento, desenvolvimento sustentável e economia ecológica: em que sentido representam alternativas ao paradigma de desenvolvimento tradicional? Desenvolvimento e meio ambiente, n. 23, p.109-120, jan/jun 2011.

FOLHEDO, M. Raciocínio sistêmico: uma boa forma de se pensar o meio ambiente. Ambiente & Sociedade, Ano III, n. 6/7, p. 105-144, 2000.

GIDDINGS, B; HOPWOOD, B.; O’BRIEN, G. Environment, economy and society: fitting them together into sustainable development. Sustainable Development, n. 10, p. 187–196, 2002.

GONÇALVES, D. B. Desenvolvimento sustentável: o desafio da presente geração. Revista Espaço Acadêmico, n. 51, ago/2005.

HANNING, A.; ABELSSON, A. P.; LUNDQVIST, U.; SVANSTRÖM, M. Are we educating engineers for sustainability?: Comparison between obtained competences and Swedish industry’s needs. International Journal of Sustainability in Higher Education, v. 13, n. 3, p. 305-320, 2012.

HENRIQUES, R.; TRAJBER, R.; MELLO, S.; LIPAI, E. M.; CHAMUSCA, A. Educação Ambiental: aprendizes de sustentabilidade. Brasília: SECAD/MEC, 2007. 109p. Disponível em http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/publicacao2.pdf. Acesso em 30/05/2011.

HESS, J. L.; STROBEL, J. Sustainability and the engineering worldview. In: FRONTIERS IN EDUCATION CONFERENCE, 2013, IEEE. 23 a 26 Oct. 2013, Oklahoma City, p. 644-648. Disponível em file:///C:/Documents%20and%20Settings/Valentim/Meus%20documentos/Downloads/Hess_Strobel_2013_FIE.pdf. Acesso em 15/11/2014.

JACOBI, P. R. Educação ambiental: o desafio da construção de um pensamento crítico, complexo e reflexivo. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 2, p. 233-250, Maio/Agosto/2005.

JACOBI, P. R; RAUFFLET, E.; ARRUDA, M. P. De. Educação para a sustentabilidade: reflexão sobre paradigmas e práticas. RAM, Rev. De Adm. Mackenzie, v. 12, n. 3, edição especial, p. 21-50, 2011.

JACOBI, P. R.; GÜNTHER, W. M. R.; GIATTI, L. L. Agenda 21 e governança. Estudos Avançados, v. 26, n. 74, p. 331-339, 2012.

JICKLING, B.; WALS, A. E. J. Globalization and environmental education: looking beyond sustainable development. Journal Curriculum Studies, v. 40, n. 1, p. 1-21, 2008.

KEINER, M. Re-emphasizing sustainable development – the concept of ‘evolutionability’: on living chances, equity, and good heritage. Environment, Development and Sustainability, 6, p. 379-392, 2004.

KRAMA, M. R. Análise dos indicadores de desenvolvimento sustentável no Brasil, usando a ferramenta painel de sustentabilidade. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção). 171p. Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Curitiba, 2008.

LAYRARGUES, P. P. Gestão ambiental e universidades: um caminho pedagógico para a sustentabilidade, outubro de 2012. Disponível em http://www.foruns.unicamp.br/foruns/projetocotuca/biblioteca_virtual/arquivos/Phillpi.pdf. Acesso em 01/06/2013.

LIMA, G. da C. O discurso da sustentabilidade e suas implicações para a educação. Ambiente e Sociedade, v.6, n.2, p. 99-119, 2003.

LINSINGEN, I. V. Engenharia, tecnologia e sociedade: novas perspectivas para uma formação. 2002. Tese (Doutorado em Educação). 221 p. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2002.

LINSINGEN, I. V. O enfoque CTS e a educação tecnológica: origens, razões e convergências curriculares. Disponível em file:///C:/Documents%20and%20Settings/Valentim/Meus%20documentos/Downloads/551bd09a0cf2fe6cbf75ed53%20(1).pdf. Acesso em 20/07/2012.

LINSINGEN, I. V.; PEREIRA, L. T. do V.; BAZZO, W. A. O enfoque CTS e a formação em engenharia: convergências curriculares. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENSINO EM ENGENHARIA. Rio de janeiro, set/ 2003. Disponível em http://www.abenge.org.br/CobengeAnteriores/2003/artigos/OUT660.pdf. Acesso em 02/08/2011.

MANTEAW, B. O. Education in global environmental politics: why the discourse of education for sustainable development needs attention. International Journal Environment and Sustainable development, v. 9, n. 1/2/3, p. 74-90, 2010.

MARQUES A.; MARQUINA, M. Evaluación, acreditación, reconocimiento de títulos y habilitación. Enfoque comparado. Serie informes. Buenos Aires: Coneau, 1998. Disponível em http://www.coneau.edu.ar/archivos/1328.pdf. Acesso em 04/09/2014.

MARTÍNEZ AGUT, M. P.; MINGUET, P. A.; ULL SOLÍS, A.; PIÑERO, A. Promoción de la sustentabilid en los currícula de la enseñanza superior desde el punto de vista del profesorado: un modelo de formación por competencias. Educatio Siglo XXI, n. 25, p. 187-208, 2007.

MELO, P. T. N. B.; SALLES, H. K.; BELLEN, H. M. V. Quadro institucional para o desenvolvimento sustentável: o papel dos países em desenvolvimento com base na análise crítica do discurso da Rio+20. Cad. EBAPE.BR, v. 10, n. 3, p. 701-720, opinião 1, Rio de Janeiro, Set/2012.

MINTZ, K.; TAL, T. Education for sustainability in higher education: a multiple-case study of three courses. Journal of Biological Education, v. 47, n. 3, p.140-149, 2013.

MORAES, N. Educação ambiental nos cursos de engenharia da Universidade Tecnológica Federal do Paraná câmpus Curitiba. 2011. Tese (Doutorado em Educação). 220 p. Universidad Del Mar. Viña del Mar, Chile, 2011.

MULDER, K. F.; SEGALÀS, J.; FERRER-BALAS, D. Educating engineers for/in sustainable development? what we knew, what we learned, and what we should learn. Thermal science, v. 14, n. 3, p. 625-639, 2010.

NAÇÕES UNIDAS. Declaração do Milénio. Cimeira do Milénio, Nova Iorque, 6-8 de Setembro de 2000. Disponível em http://www.pnud.org.br/Docs/declaracao_do_milenio.pdf. Acesso em 10/05/2014.

NASCIMENTO, E. P. do. Trajetória da sustentabilidade: do ambiental ao social, do social ao econômico. Estudos avançados, v. 26, n. 74, p. 51-64, 2012.

OLIVEIRA, G. B. de. Uma discussão sobre o conceito de desenvolvimento. Revista da FAE, Curitiba, v.5, n.2, p. 37-48, maio/ago 2002..

OSORIO, L. A. R.; LOBATO, M. O.; CASTILLO, X. A. Del. Debates on sustainable development: towards a holistic view of reality. Environment, Development and Sustainability, 7, p. 501–518, 2005.

PEDROSO, E. A.; SILVA, T. N. da. O desenvolvimento sustentável e a abordagem sistêmica. READ, ed. 18, v. 6, n. 6, p. 1-36, nov/dez 2000.

PEREIRA, J. V. I. Sustentabilidade: diferentes perspectivas, um objetivo comum. Economia Global e Gestão, v. 14, n. 1, p. 115-126, Lisboa, abril/2009.

QUELHAS, O. L. G.; FRANÇA, S. L. B.; TRAVINCAS, R. O ensino da sustentabilidade na formação do engenheiro: proposta de diretrizes. In: VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO. Agosto de 2011. Rio de Janeiro, Brasil. Disponível em http://www.excelenciaemgestao.org/portals/2/documents/cneg7/anais/t11_0414_1948.pdf. Acesso em 04/03/2012.

QUEVEDO, M. de. Educação professional no Brasil: formação de cidadãos ou mão de obra para o mercado de trabalho? Revista humanidades, tecnologia e cultura, v. 1, n. 1, p. 147-159, 2011.

RATTNER, H. Meio ambiente e desenvolvimento sustentável: o mundo na encruzilhada da História. Revista Espaço Acadêmico, Ano II, n. 14, julho de 2002.

RIECKMANN, M. Future-oriented higher education: which key competencies should be fostered through university teaching and learning? Futures, v. 44, n. 2, p. 127-135 Special Issue: University Learning, mar/2012.

ROHWEDER, L.; VIRTANEN, A. Developing the model on the learning for sustainable development in higher education. Journal of Teacher Education for Sustainability, v. 11, n. 1, p. 31-42, 2009.

SACHS, I. Estratégias de transição para o século XXI: desenvolvimento e meio ambiente. São Paulo: Studio Nobel/Fundap, 1993.

SANTOS, M. F. R. F. Sistemas de indicadores de desenvolvimento sustentável: um estudo do modelo suíço. GEPROS. Gestão da Produção, Operações e Sistemas, Ano 4, n. 3, p. 11-23, Jul-Set/2009.

SANTOS, R.; ANDRIOLI, A. I. Educação, globalização e neoliberalismo: o debate precisa continuar! Revista Iberoamericana de Educación (Online), Espanha, v. 35, n.1, p. 1-14, 2005.

SEGALÀS, J. Educating Engineers for Sustainability. Why? What? How? Sostenible?, n. 10, p. 117-132, 2008.

SEN, A. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Companhia

das Letras, 2000.

SGANZERLA, A. Natureza e responsabilidade: Hans Jonas e a biologização do ser moral. 2012. Tese. (Doutorado em Filosofia). 270p. Universidade Federal de São Carlos. São Carlos/SP, 2012.

SILVA, J de S. La dimensión institucional del desarrollo sostenible. Pontificia Universidad Católica del Ecuador sede Ibarra (PUCE-I), 2001.

TEIXEIRA, M. L. M.; SAMBIASE, M. F.; JANIK, M.; BILSKY, W. Peculiaridades da estrutura de valores básicos dos brasileiros. Revista Psicologia: Organizações e Trabalho, v. 14, n. 2, p. 139-152, abr/jun 2014.

TONINI, A. M.; DUTRA, L. F. Formação tecnológica: responsabilidade e desenvolvimento social. Em Extensão, Uberlândia, v. 8, n. 2, p. 33-38, 2009.

TORRES, J. J. M. Teoria da complexidade: uma nova visão de mundo para a estratégia. In: I ENCONTRO BRASILEIRO DE ESTUDOS DA COMPLEXIDADE – I EBEC. Curitiba, 11 a 13 de julho/2005. Disponível em http://wp.ufpel.edu.br/consagro/files/2010/09/TORRES-Teoria-Da-Complexidade-e-Estrategia.pdf. Acesso em 10/07/2011.

TOZZONI-REIS, M. F. de C. Educação e sustentabilidade: relações possíveis. Olhar de Professor, 14 (2), p. 293-308, 2011.

ULL SOLÍS, M. A.; MARTÍNEZ AGUT, M. P.; PIÑERO, A; AZNAR MINGUET, P. Análisis de la introducción de la sostenibilidad en la enseñanza superior en europa: compromisos institucionales y propuestas curriculares. Rev. Eureka Enseñ. Divul. Cien., 7, n.

Extraordinario, p. 413-432, 2010.

UNESCO. Década das Nações Unidas para um Desenvolvimento Sustentável, 2005-2014: documento final do esquema internacional de implementação. Brasília: UNESCO, 2005.

VEGA, P.; FREITAS, M.; ÁLVAREZ, P.; FLEURI, R. Educación Ambiental e Intercultural para la sostenibilidad: fundamentos y praxis. Utopía y Praxis Latinoamericana, ano 14, n. 44, p. 25-38, 2009.

VEIGA, J. E. da. Desenvolvimento Sustentável: o desafio do século XXI. 3.ed. Rio de Janeiro: Garamond, 2008.

VILELA, A. A.; COSTA, M. R. Agricultura sustentável: conceitos. Rev. de Ciências Agrárias [online], v, 33, n.2, p. 61-74, 2010.

WAAS, T.; HUGÉ, J.; VERBRUGGEN, A.; WRIGHT, T. Sustainable Development: A Bird’s Eye View. Sustainability, 3, p. 1637-1661, 2011.

WRIGHT, T. S. S. Definitions and frameworks for environmental sustainability in higher education. International Journal of Sustainability in Higher Education, v. 3, n. 3, p. 203-220, 2002.

WRIGHT, T. S. S. Sustainability, internationalization, and higher education. New Directions for Teaching and Learning, n. 118, p. 105-115, Summer/2009.




DOI: https://doi.org/10.5902/2236117019818



DEAR AUTHORS,

PLEASE, CHECK CAREFULLY BEFORE YOUR SUBMISSION:

- IF ALL AUTHORS "METADATA" (ORCID, LINK TO LATTES, SHORT BIOGRAPHY, AFFILIATION) WERE ADDED,

- THE CORRECT IDIOM YOUR SECTION,

- IF THE HIGHLIGHTS WERE ADDED,

- IF THE GRAPHIC ABSTRACTS WAS ADDED,

- IF THE REVIEWERS INDICATION WAS DONE,

- IF THE REFERENCES FORMAT ARE CORRECT(ABNT)

- IF THE RESOLUTION YOUR FIGURES (600 DPI) ARE SUITABLE

*******************************

PREZADOS AUTORES,

POR FAVOR, VERIFIQUE ATENTAMENTE ANTES DA SUBMISSÃO: 
- SE OS METADADOS (ORCID, LINK PRO LATTES, CURTA BIOGRAFIA E AFILIAÇÃO) DE "TODOS" OS AUTORES FORAM ADICIONADOS, 
- IDIOMA, 
- SE OS HIGHLIHTS FORAM ADICIONADOS, 
- SE O GRAPHICAL ABSTRACT FOI ADICIONADO, 
- SE A INDICAÇÃO DOS REVISORES FOI FEITA, 
- SE O FORMATO DAS REFERÊNCIAS ESTÁ ADEQUADO (ABNT) 
- SE A RESOLUÇÃO SUAS FIGURAS (600 DPI) ESTÁ ADEQUADA.

 

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

 

**************************************************

WE ARE ON FACEBOOK! (You are our guest!)

 

Digital Object Identifier (DOI): 10.5902/22361170

Contact: reget.ufsm@gmail.com

...................................................................................


Accesses since 19/06/2012

...................................................................................

Sponsors: