Eleição de diretores: um dos mecanismos de (des)centralização da gestão?

Sueli Menezes Pereira, Neila Pedrotti Drabach, Gabriela da Ros de Araújo

Resumo


Neste trabalho, o foco é a discussão sobre as normatinções que orientam a eleição de diretores na rede de ensino municipal de Santa Maria, RS. A proposta é refletir sobre os limites e possibilidades da eleição de diretores no âmbito da construção democrática no contexto escolar, a partir da Lei Municipal de Gestão Democrática, lei n. 4740/03, que trata da eleição de diretores e da organização e funcionamento dos Conselhos Escolares. Para tal, faz-se uma retomada teórica e histórica dos processos de provimento ao cargo de diretor - nomeação política, concurso público e eleição direta - analisando de que forma estes processos implicam em redimensionamentos na gestão escolar. Na defesa da eleição de diretores no processo de democratização da gestão escolar, apontamos que este mecanismo, isolado, não garante a democracia, entretanto, significa um avanço em relação às demais formas de provimento da função de diretor.

Palavras-chave: democratização da gestão; eleição de diretores; participação.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2318133829182



Regae - Revista de Gestão e Avaliação Educacional

Contato: revistaregae@gmail.com - Fone: +55-55-99977-6371

Endereço: Avenida Roraima, 1000 - prédio 16 - 97105-900 - Santa Maria - RS - Brasil.

ISSN online 2318-1338

CC BY-NC-SA

 

Indexers, data base, catalogs


- Doaj.org - Redalyc - Latindex - Periódicos Capes - Diadorim Ibict - Redib

 

Patrocinadores - Sponsors

- Universidade Federal de Santa Maria