Controle de processo erosivo provocado por rompimento de adutora na Serra da Mantiqueira, SP, Brasil

Admilson Clayton Barbosa, Helio Nobile Diniz

Resumo


Na escarpa sul da Serra da Mantiqueira, divisor geográfico nordeste entre o estado de São Paulo e Minas Gerais, ocorreu um acidente ambiental causado pelo rompimento de uma adutora cuja finalidade é a de conduzir a água de um reservatório localizado a 1.820 m de altitude até a casa de máquinas onde há geração de energia elétrica, e que está localizada a 750 m. Esse acidente resultou na formação de uma cicatriz na floresta da encosta, com supressão do solo e da vegetação. Para reverter os processos erosivos formados no local, foi desenvolvida uma metodologia utilizando quatro barreiras (numeradas de I a IV) formadas por mudas de Bambusa mutiplex (Lour.), bambu cuja finalidade foi a de desviar as águas de escoamento superficial, proporcionando, dessa forma, a regeneração da vegetação nativa. Colmos de bambu consorciados com o plantio de Bambusa multiplex foram utilizados para contenção dos detritos em duas ravinas formadas pela erosão. O desenvolvimento da vegetação foi monitorado por 18 meses e avaliado por meio da aplicação de uma Matriz de Leopold, composta por cinco aspectos, que são: erosão, regeneração da vegetação, sucesso do plantio de bambu, conservação das estruturas montadas e funcionalidade. O uso da matriz teve a finalidade de demonstrar a eficiência das intervenções com a utilização de bambu. O resultado da matriz permitiu classificar quantitativa e qualitativamente as intervenções realizadas, obtendo-se cinco níveis, sendo as barreiras I, II e IV consideradas de muito "alta eficiência", e a barreira III, de "alta eficiência". A contenção das ravinas foi considerada de "média" a muito "alta eficiência".


Palavras-chave


recuperação de encosta; ravina; bambu; <i>Bambusa multiplex</i> (Lour.)

Texto completo:

PDF

Referências


ACHARYA, M. S.; FLORINETH, F. Vegetated bamboo crib wall – a suitable alternative to stabilize road side in Nepal. Geophysical Research Abstracts, Katlenburg-Lindau, v. 8, 08239, 2006.

AFONSO, S.; MÁXIMO, A. C. Considerações sobre a Leitura dos Riscos de Escorregamentos em Blumenau: o Morro Dona Edite. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CADASTRO TÉCNICO MULTIFINALITÁRIO, 7., 2006, Florianópolis. Seção Pôster...Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2006, 17.

ALMEIDA FILHO, G. S. et al. Estudo da Dinâmica Evolutiva da Boçoroca São Dimas no Município de São Pedro, SP. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE DESASTRES NATURAIS, 1., 2004, Florianópolis. Anais...GEDN/UFSC, Florianópolis, 2004. p.73-86 1 CD-ROM.

ANTONIS, L. DE.; MOLINARI, V. M. Ingegneria naturalista: nozioni e tecniche di base. Regione Piemont, Torino: Manuale, 2007. 108 p.

COSTA, M. V. et al. Uso das técnicas de avaliação de impacto ambiental em estudos realizados no Ceará. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 28., 2005 Rio de Janeiro. Anais... UERJ, 2005. p. 11-15.

CRISTO, S. S. V. Análise de susceptibilidade a riscos naturais relacionados às enchentes e deslizamentos do setor leste da bacia hidrográfica do rio Itacorubi, Florianópolis - SC. 2002. 195 f. Dissertação (Mestrado em Geociências)–Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2002.

CUSACK, V. Bamboo world - the growing and use of clumping bamboos. East Roseville: Ed. Kangoroo Press, 1999. 46 p.

DELGADO, I. C. M. S. Zonas de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS) e os casos de Escorregamento em Campos do Jordão: Estudo de Caso do Verão de 2000. 2007. 44 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Ambientais)–Universidade de Taubaté, Taubaté, 2007.

DINIZ, A. M. Uma avaliação do impacto ambiental oriundo dos deslocamentos promovidos por programas de desfavelamento em Áreas de Preservação. 2004. 71 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção)–Universidade de Santa Catarina, Florianópolis, 2004.

DRAKE, J. et al. Control of beach erosion using bamboo. In: INTERNATIONAL BAMBOO CONGRESS, 5.; INTERNATIONAL BAMBOO WORKSHOP, 6., San Jose, 2002. Proceedings…, San Jose, 2002.

EMAE - Empresa Metropolitana de Águas e Energia. Obras Civis da Usina de Izabel, Condições Específicas. São Paulo: Departamento de Engenharia, out. 2001. 17 p.

FERNANDES, N. F. et al. Condicionantes geomorfologicos dos deslizamentos nas encostas: avaliação metodológicas e aplicação de modelo de previsão de áreas. Revista Brasileira de Geomorfologia, São Paulo, v. 2, n. 1, p. 51-71, 2001.

FILGUEIRAS, T. S. A Floração dos bambus e seu impacto ecológico. Boletim Botânico Eugêniana, Petrópolis, n. 15, p. 1-8, 1988.

GUILHERME, F. A. G. Efeitos da cobertura de dossel na densidade e estatura de gramíneas e da regeneração natural de plantas lenhosas. Revista Cerne, Lavras, v. 6, n. 1, p. 60–66, 2000.

GUILHERME, F. A. G.; RESSEL, K. Biologia floral de reprodução de Meostachys roedeliana. Revista Brasileira de Botânica, São Paulo, v. 24, n. 2, p. 2005-2011, 2001.

HIGAKI, D. et al. Soil Erosion control measure on segraded sloping lands in Midlands of Nepal. Aquatic Ecosystem Health & Management, Ontario, v. 8, n. 3, p. 243–249, 2005.

HIRUMA, S. T. Neotectônica no Planalto de Campos do Jordão, SP. 1999. 102 f. Dissertação (Mestrado em Geologia Sedimentar)-Universidade de São Paulo. São Paulo, 1999.

IPT - Instituto de Pesquisas Tecnológicas . Inspeções visuais no maciço de terra da Barragem Izabel, 2a Fase. São Paulo: Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo, 1995. (Relatório Técnico, n. 33.475).

IWASA, O. Y.; FRENDRICH, R. Controle de Erosão Urbana. In: OLIVEIRA, S. M. A.; BRITO, S. N. A. (Eds.). Geologia de Engenharia. São Paulo: ABGE, 1998, Cap.16, p.271–281.

LONDOÑO, X. P. Curso de cátedra maestría en construcción: módulo Guadua. Santafé de Bogotá: Universidad Nacional de Colombia, 2002. 60 p.

LORENZI, H.; SOUZA, H. M. Plantas ornamentais no Brasil: arbustivas, herbáceas e trepadeiras. 2. ed. Nova Odessa: Ed.Plantarum, 1999.1918 p.

MEREDITH, T. J. Bamboo for Gardens. Portland: Timber Press, 2001. 406 p.

MERLIN, A. O. Macrofauna edáfica em ecossistemas preservados e degradados de araucária no Parque Estadual de Campos do Jordão, SP. 2005. 89 f. Dissertação (Mestrado em Ecologia)–Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2005.

OLIVEIRA, J. B. et al. Mapa Pedológico do Estado de São Paulo. Instituto Agronômico de Campinas, Campinas, 1999. 20 p. (Boletim Científico, n. 45).

ORTIZ, D. G.; PICORNELL, J. A. R. Claves para las bambusáceas cultivadas como ornamentales y comercializadas en la comunidad Valenciana. Revista Baouteloua, Valencia, v.3, p.39-46, mayo. 2008.

PEREIRA, A. R. Como selecionar plantas para áreas degradadas e controle de erosão. Belo Horizonte: Ed.FAPI, 2006. 151 p.

PEREIRA, M. A. Bambu: espécies, características e aplicação. Bauru: Ed. UNESP, 2001. 58 p.

RAMANAYAKE, S. M. S. D. Flowering in Bamboo: An Enigma!.Ceylon Science Journal (Biological Science), Sri Lanka, v. 35, n. 2, p. 95-105, 2006.

ROSS, J. L. S. Análise empírica da fragilidade dos ambientes naturais e antropizados. Revista do Departamento de Geografia, São Paulo, n. 8, p. 63-74, 1994.

SPÖRL, C. Análise da Fragilidade Ambiental Relevo-Solo com Aplicação de Três Modelos Alternativos nas Altas Bacias do Rio Jaguari-Mirim,Ribeirão do Quartel e Ribeirão da Prata. 2001. 159 f. Dissertação (Mestrado em Geografia Física)-Universidade de São Paulo, São Paulo,2001.

STAPLETON, C. M. A. The bamboos of Nepal and Bhutan, part 1: Bambusa, Dendrocalamus, Melocanna, Cephalostachyum, Teinostachyum, and Pseudostachyum (Gramieneae: Poaceae, Bambusoideae). Edinburgh Journal of Botany, Cambridge, v. 51, n. 1, p. 1-32, 1994.

STHAPIT, K. M.; TENNYSON, L.C. El control la erosion en Nepal mediante la bioingenieria. Unasylva, n. 164–Ordenación de cuencas hidrográficas, FAO, p.1-8. Disponível em: <(http://www.fao.org/docrep/ul1510/ul1510s04.htm)> Acesso em: 30 de julho de 2007.

STOKES, A. et al. Plant biomechanical strategies in response to frequent disturbance: uprooting of Phyllostachys nidularia (Poaceae) growing on landslide-prone slopes in Sichuan, China. American Journal of Botany, St.Louis, v. 94, n. 7, p. 1129–1136, 2007.

SUTILI, F. J. Manejo biotécnico do arroio Guarda-Mor: principais processos e práticas. 2004. 114 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal)-Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2004.

TOMINAGA, L. K. Análise morfodinâmica das vertentes da Serra do Juqueriquerê em São Sebastião – SP. 2000. 162 f. Dissertação (Mestrado em Geografia Física)-Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000.

TOMMASI, L. R. Estudo de impacto ambiental. São Paulo: CETESB/Terragraph Artes e Informática, 1993. 354 p.

VIANNA, P. C. G. et al. A. Estabilização de voçorocas: subproduto ambiental do diagnóstico dos recursos hídricos, o caso do assentamento Dona Antonia, Conde–PB. Publicações do DEPAT – Grupo de Estudos e Pesquisa em Água e Território, Departamento de Geociências da Universidade Federal da Paraíba. Disponível em: <(http://www.geociencias.ufpb.br/lepan/gepat/Publicacoes/PROPOSICOES%20DE%20USO%20DONA%20ANTONIA.pdf)> Acesso em: 10 abril de 2008.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/198050982428