O Programa de Residência Pedagógica e o Estágio Curricular Supervisionado no curso de Licenciatura em Geografia: Uma experiência teórico-prática

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5902/2236499461366

Palavras-chave:

Residência pedagógica, Estágio curricular supervisionado, Ensino de Geografia

Resumo

A proposta deste estudo é analisar a importância do Programa de Residência Pedagógica (PRP) no estágio curricular supervisionado para a formação inicial do professor de Geografia, destacando as experiências vivenciadas nas escolas-campo na construção do processo ensino-aprendizagem do curso de Licenciatura em Geografia. Partimos do pressuposto de que o estágio como práxis é um espaço de aprendizagem e de construção da identidade profissional, repercutindo em ações investigativas de reflexão e intervenção no processo educativo. Neste contexto, definimos as seguintes problemáticas: qual o papel do estágio curricular supervisionado na formação inicial do professor de Geografia? Qual a importância do Programa de Residência Pedagógica para a práxis pedagógica na formação do professor de Geografia? Quais são os resultados do PRP no curso de Licenciatura em Geografia?  Através do método de abordagem dialética, os procedimentos metodológicos adotados pautaram-se em pesquisa documental, revisão bibliográfica de autores que discutem sobre a temática, complementamos a análise de alguns resultados das práticas vivenciadas pelos residentes no ambiente escolar. Concluímos que o PRP, associado ou não ao estágio curricular supervisionado, trouxe resultados positivos na articulação teórico-prática e na inter-relação entre universidade e escola.

Biografia do Autor

Marcia Ajala Almeida, Universidade Federal de Mato Grosso

Graduada em Geografia (1991) e Bacharel em Geografia (1992), com especialização em Espaço e Organização Regional (1997) pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul/UFMS, Campus de Aquidauana, Mestre (1999) e Doutora (2005) em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho/UNESP, Faculdade de Ciência e Tecnologia/FCT - Presidente Prudente. Atualmente é professora Associada III da Universidade Federal de Mato Grosso/UFMT, Instituto de Geografia, História e Documentação/IGHD, Departamento de Geografia e líder do Núcleo de Estudos e Pesquisa em Formação Docente, Saberes e Práticas de Ensino de Geografia - NUPEGEO-UFMT. Atua na orientação e supervisão de estágio curricular supervisionado na graduação e metodologia do ensino da Geografia na pós-graduação. Foi orientadora do subprojeto do Programa de Residência Pedagógica - PRP/CAPES entre 2018 e 2019.

Giseli Dalla nora, Universidade Federal de Mato Grosso

Possui graduação em Geografia pela Universidade Federal de Mato Grosso (2007), mestrado em Geografia pela Universidade Federal de Mato Grosso (2008) e doutorado em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso (2018). Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal de Mato Grosso. Pesquisadora do grupo de Pesquisas em Geografia Agrária e Conservação da Biodiversidade - GECA. Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Geografia, atuando principalmente nos seguintes temas: Planejamento Ambiental; Biogeografia; Educação Ambiental, Turismo, Educação e Ensino.

Referências

BITTENCOURT, C. M. F. Livro Didático e Conhecimento Histórico: Uma História do Saber Escolar. São Paulo: Universidade de São Paulo, 1993.

BRASIL. Lei n.º 4.024, de 20 de dezembro de 1961. Fixa as diretrizes e bases da educação. Disponível em: <http://www.planaltogov.br/ccivil_03/LEIS/l4024.htm>. Acesso em: 17 abr. 2020.

BRASIL. Lei n.º 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm>. Acesso em: 15 abr. 2020.

BRASIL. Resolução CONSEPE n.º 117, de 02 de outubro de 2014. Universidade Federal de Mato Grosso. Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão. Disponível em: <http://sistemas.ufmt.br/ufmt.resolucao/OpenResolucao.aspx?resolucaoUID=8689&ano=2014&tipoUID=2>. Acesso em: 10 de abril de 2019.

BRASIL. Decreto n.º 8.752/2016, de 9 de maio de 2016. Dispõe sobre a política de Formação dos Profissionais da Educação Básica. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2016/decreto/d8752.htm>. Acesso em: 17 abr. 2020.

BRASIL. Edital CAPES 06/2018 que dispõe sobre a Residência Pedagógica. Disponível em: <https://www.capes.gov.br/imagens/stories/download/editais/01032018-Edital-6-2018-Residencia-pedagogica.pdf>. Acesso em: 10 abr. 2020.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: a educação é a base. Brasília: MEC, 2018b. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf>. Acesso em: 10 jun. 2020.

BRASIL. Projeto Institucional da Residência Pedagógica na UFMT. Cuiabá: UFMT, 2018c.

BRASIL. Projeto Político Pedagógico: Licenciatura Geografia. Cuiabá: UFMT, 2019.

BRITO, S. Fundamentos Socioantropológicos da Educação. 1997. Disponível em: <https://slideplayer.com.br/>. Acesso em: 09 jul. 2019.

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR, CAPES. Portaria GAB nº 38, de 28 de fevereiro de 2018. Institui o Programa de Residência Pedagógica, 2018. Disponível em: <https://capes.gov.br/images/stories/download/legislacao/28022018-Portaria_n_38-Institui_RP.pdf>. Acesso em: 11 abr. 2020.

CONTERNO, L. A importância dos mapas enquanto instrumento pedagógico nas aulas de Geografia. 2014. 42 p. Monografia (Especialização em Educação: Métodos e Técnicas de Ensino) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Medianeira, 2014.

DESLANDES, S. F. Fundamentos Socioantropológicos da Educação. 1997. Disponível em: <https://slideplayer.com.br/slide/393698/>. Acesso em: 27 jul. 2019

FONSECA, S. M. D. da. Aspectos metodológicos da caracterização do gênero discursivo “questões dissertativas de provas”. Intercâmbio, v. XIII, 2004.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, P. Política e educação: ensaios. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

FRISON, M. D. et al. Livro didático como instrumento de apoio para construção de propostas de ensino de ciências naturais. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 2009, Florianópolis. Anais [...]. Florianópolis, 2009. p. 4-5.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2019.

LAJOLO, M. Livro didático: um (quase) manual do usuário. Em Aberto, Brasília, a. 16, n. 69, p. 3-9, jan./mar. 1996. Disponível em: <http://rbep.inep.gov.br/index.php/emaberto/article/viewFile/1033/935>. Acesso em: 27 jul. 2019.

LIMA, M. S. L. Estágio e Aprendizagem da profissão docente. Brasília: Liber Livro, 2012.

MARCONI, M. de A.; LAKATOS, E. M. Metodologia do trabalho científico. 8. ed. São Paulo: Atlas, 2018.

MARQUES, J. R. Entenda o que é e qual diferença entre uma avaliação qualitativa e quantitativa. IBC Coaching, 10 de junho de 2019. Disponível em: <https://www.ibccoaching.com.br/portal/>. Acesso em: 03 jul. 2019.

MICHEL, M. H. Metodologia e pesquisa científica em ciências sociais: um guia prático para acompanhamento da disciplina e elaboração de trabalhos monográficos. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2015.

PASSINI, E. Y. Prática de ensino de Geografia e estágio supervisionado. São Paulo: Contexto, 2007.

PIMENTA, S. G. O Estágio na formação de professores: unidade, teoria e prática? 11. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

PIMENTA, S. G.; LIMA, M. do S. L. Os (des)caminhos das políticas de formação de professores – o caso dos estágios supervisionados e o programa de iniciação à docência: duas faces da mesma moeda? In: REUNIÃO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM EDUCAÇÃO, 38. Democracia em risco: A pesquisa e a pós-graduação em contexto de resistência, 2017, São Luís. Anais [...]. São Luís, 2017.

PIMENTA, S. G.; LIMA, M. S. L. Estágio e Docência. São Paulo: Cortez, 2009.

POLADIAN, M. L. P. Estudo sobre o Programa de Residência Pedagógica da UNIFESP: uma aproximação entre universidade e escola na formação de Professores. 2014, 128f. Dissertação (Mestrado em Educação), Psicologia da Educação, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2014.

PONTUSCHKA, N. N.; PAGANELLI, T. I.; CACETE, N. H. Para ensinar e aprender Geografia. São Paulo: Ed. Cortez, 2007.

RIBEIRO, T. de A. Processos de avaliação da aprendizagem [manuscrito]: um estudo de caso em uma escola de Ensino Médio. Tedjanes de Almeida Ribeiro, 2015, p.13-31.

SANTOS, M. A natureza do espaço. São Paulo: HUCITEC, 1997.

SANTOS, M. Técnica, espaço, tempo: globalização e meio técnico-científico-informacional. São Paulo: Hucitec, 1998.

SANTOS, W. S. dos. A utilização dos mapas como recurso didático no ensino fundamental II no Instituto Educacional Prof.ª Maria dos Anjos. João Pessoa, PB, 2016.

SAVIANI, D. Formação de professores: Aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. Revista Brasileira de Educação, v. 14, n. 40, p. 143-155. 2009.

SGUISSARDI, V. Educação superior no Brasil. Democratização ou massificação mercantil? Revista Educação & Sociedade, Campinas, v. 36, n. 133, p. 867-889, 2015.

SILVA, M. A. A fetichização do livro didático no Brasil. Educ. Real., Porto Alegre, v. 37, n. 3, p. 803-821, set./dez. 2012. Disponível em: <http://www.ufrgs.br/edu_realidade>. Acesso em: 04 jul. 2019.

SILVA, V. da; VIEIRA MUNIZ, A. M. A geografia escolar e os recursos didáticos: O uso das maquetes no ensino-aprendizagem da geografia. Geosaberes: Revista de Estudos Geoeducacionais, v. 3, n. 5, p. 62-68, 2012. Disponível em: <https://www.redalyc.org/pdf/5528/552856435008.pdf>. Acesso em: 04 jul. 2019.

SILVESTRE, M. A. Práticas de estágios no programa de residência pedagógica da UNIFESP/Guarulhos. In: ANDRÉ, M. (Org.). Práticas inovadoras na formação de professores. Campinas: Papirus, 2016.

DE SOUZA, S. E.; DE GODOY DALCOLLE, G. A. V. O uso de recursos didáticos no ensino escolar. In: ENCONTRO DE PESQUISA EM EDUCAÇAO, 1., JORNADA DE PRÁTICA DE ENSINO, 4., SEMANA DE PEDAGOGIA DA UEM, 12. Infância E Práticas Educativas, 2007, Maringá. Anais [...]. Maringá, 2007.

STRAFORINI, R. O ensino de Geografia como prática espacial de significação. Estudos Avançados, São Paulo, v. 32, n. 93, p. 175-195, ago. 2018. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142018000200175&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 10 jun. 2020.

VALLERIUS, D. M.; MOTA, H. G.; SANTOS, L. A. dos (Org.). O estágio supervisionado e o professor de geografia: múltiplos olhares. Jundiaí: Paco, 2019.

Downloads

Publicado

2021-12-30 — Atualizado em 2022-01-12

Versões

Como Citar

Almeida, M. A., & Dalla nora, G. (2022). O Programa de Residência Pedagógica e o Estágio Curricular Supervisionado no curso de Licenciatura em Geografia: Uma experiência teórico-prática. Geografia Ensino & Pesquisa, 25, e34. https://doi.org/10.5902/2236499461366 (Original work published 30º de dezembro de 2021)