Aposentadoria rural especial e a dinamização no comércio local em Boa Esperança - PR

Claudia Chies, Ana Cristina da Silva

Resumo


O presente artigo tem por finalidade apresentar uma reflexão sobre os impactos da aposentadoria rural especial na melhoria das condições de vida de beneficiários e familiares, e na dinamização do comércio local no município de Boa Esperança – PR. A pesquisa foi desenvolvida por meio de: estudos bibliográficos, levantamento de dados estatísticos, aplicação de questionários a aposentados rurais, realização de entrevistas com representantes de entidades locais e comerciantes. O problema da pesquisa está em levantar as principais características socioeconômicas dos aposentados rurais; compreender se houve melhorias significativas nas condições de vida dos agricultores e familiares após aposentarem-se; e avaliar se os recursos oriundos da aposentadoria rural especial têm impactado na dinamização do comércio do município. Os resultados alcançados mostraram que o público aposentado rural é formado em sua maioria por pequenos proprietários de terra, e que a aposentadoria rural, apesar do baixo valor do salário mínimo, é tida pela maioria dos aposentados como fator de mudanças positivas em suas vidas, pois gera estabilidade financeira à família e amplia significativamente a renda. Além disso, os recursos previdenciários geram dinamização do comércio local, contribuindo para processos de desenvolvimento.

Palavras-chave


Aposentadoria Rural Especial; Dinamização do comércio Local; Boa Esperança – PR

Texto completo:

HTML PDF

Referências


ALBUQUERQUE, F. J. B.; LÔBO, Alexandre Lucena; RAYMUNDO, Jorge da Silva. Análise das repercussões psicossociais decorrentes da concessão de benefícios rurais. Psicologia Reflexão e Crítica. vol.12, n.2, Porto Alegre, 1999.

ALVES, José Eustáquio Diniz. A transição demográfica e a janela de oportunidade. Instituto Fernand Braudel de Economia Mundial: São Paulo, 2008.

AUGUSTO, H. dos A.. RIBEIRO, Eduardo Magalhães. O envelhecimento e as aposentadorias no ambiente rural: um enfoque bibliográfico. Organizações Rurais & Agroindustriais. Lavras, v. 7, n. 2, p. 199-208, maio-agosto, 2005, Universidade Federal de Lavras, Brasil.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, 1988.

CHIES, C.. Aposentadoria rural e políticas públicas para a agricultura familiar: estudo dos municípios de Guaporema, São Tomé, Tapejara e Tuneiras do Oeste – PR. 2017. 334 f. Tese (Doutorado em Geografia) - Universidade Estadual de Maringá, Maringá – Paraná, 2017.

COSTA, F. R. da. A noção de municípios periféricos: contradições e desigualdades no estado do Paraná. 2013. 215 f. Tese (Doutorado em Geografia) - Universidade Estadual de Maringá, Maringá – Paraná, 2013.

DELGADO, G. C.; CARDOSO JR. José Celso. O idoso e a previdência rural no Brasil: a experiência recente da universalização. Brasília: IPEA, 1999. (Texto para discussão Nº 688).

FRANÇA, Á. S. de. Previdência social e a economia dos municípios. 5ª ed. Brasília: ANFIP, 2004, 224 p..

GIL, A. C.. Métodos e Técnicas de pesquisa social. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2008.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Cidades. Disponível em:. Acesso em: ago. 2017.

INSTITUTO PARANAENSE DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - IPARDES. Caderno Estatístico Município de Boa Esperança, 2017.

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOA ESPERANÇA – PR. Histórico da Cidade. Disponível em: . Acesso em: ago. 2017.

SCHWARZER, H.. Impactos socioeconômicos do sistema de aposentadorias rurais no Brasil — evidências empíricas de um estudo de caso no estado do Pará. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – Ipea. Rio de Janeiro, 2000.




DOI: https://doi.org/10.5902/2236499437668

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Indexações e Bases Bibliográficas