Percepção e conscientização ambiental sobre resíduos sólidos no ambiente escolar: respeitando os 5R’s

Adriana Souza Santos, Nísia Maria París de Medeiros

Resumo


Essa pesquisa buscou identificar e analisar a percepção ambiental dos alunos da E. E. Prof. Paulo Pinheiro de Viveiros, situada na zona norte da cidade de Natal, sobre a problemática e conscientização ambiental de resíduos sólidos a partir da política dos 5R’s. Este trabalho foi realizado em três etapas distintas: levantamento dos conhecimentos prévios dos alunos (sondagem); aulas expositivas dialógicas (formação); elaboração pelos alunos de ações educativas de sensibilização ambiental. Os resultados demonstraram de forma geral que a percepção dos alunos em relação a essa temática é ingênua e restrita, com conceitos em sua maioria simplista e com base em seus conhecimentos prévios, e que essa percepção reflete em suas práticas ambientais. A formação proporcionou aos alunos conhecimentos para a elaboração de ações educativas de sensibilização ambiental. A elaboração de planos de ações pelos alunos com estratégias de sensibilização junto à comunidade escolar tem por objetivo despertar a consciência ambiental e estimular a participação dos envolvidos, além de propor oficinas e palestras para que educadores e alunos aprendam a reaproveitar e reciclar os resíduos utilizados. Os resultados revelam um caráter dinâmico atrelado aos conceitos ambientais, incentivando o exercício constante de novas formas de ver, sentir e agir sobre o mundo. Portanto, observa-se a importância de se inserir nas disciplinas curriculares a Educação Ambiental como um eixo transversal.

 


Texto completo:

HTML

Referências


BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa, Portugal: Edições 70 LDA, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: temas transversais. Brasília, 1998.

BRASIL. Resolução CONAMA n.º 307 - Estabelece Diretrizes, Critérios e Procedimentos para a Gestão dos Resíduos da Construção Civil. Brasília, 2002

BRASIL. Lei nº 11445, de 05 de janeiro de 2007. Estabelece Diretrizes Nacionais para o Saneamento Básico; altera as Leis nos 6.766, de 19 de dezembro de 1979, 8.036, de 11 de maio de 1990, 8.666, de 21 de junho de 1993, 8.987, de 13 de fevereiro de 1995; revoga a Lei no 6.528, de 11 de maio de 1978; e dá outras providências. Brasília, 2007.

BRASIL. Lei n° 12.305 de 02 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei n° 9605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, 2010.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. A política dos 5R’s, 2018. Disponível em: http://www.mma.gov.br/informma/item/9410-a-pol%C3%ADtica-dos-5-r-s. Acessado em: 01/07/2018.

CAMPOS, M.C.C.; NIGRO, R.G. Aquilo que os alunos já sabem. In: Didática de Ciências: o ensino-aprendizagem como investigação. São Paulo: FTD, p.78-97, 1999.

CANEDO, P. L. R. Resíduos sólidos urbanos como tema ambiental: reflexões a partir de um curso de educação ambiental semipresencial para professores do ensino básico. 2014. 124f. Dissertação (Mestrado em Ciências e Tecnologia Ambiental) Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba, 2014.

CARVALHO, I. C. M. A invenção do sujeito ecológico: Identidade e subjetividade na formação dos educadores ambientais. In: SATO, M; CARVALHO, I.C. M. (orgs) Educação Ambiental: pesquisa e desafios. Porto Alegre, Artmed. 2005.

CUBA, ¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬M. A. Educação Ambiental nas escolas. Educação, Cultura e Comunicação – ECCOM, v. 1, n. 2, p. 23-31, jul./dez., 2010.

FELIX, R. A. Z. Coleta seletiva em ambiente escolar. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v.18, jan./jun., 2007.

FERNANDES, P. R.; ROCHA, P. C. Coleta seletiva e escolas municipais: uma parceria possível através da Educação Ambiental. Estudo de caso: Escolas municipais da Estância Turística de Olímpia. In: 8º Fórum Internacional de Resíduos Sólidos, Curitiba. Anais ... Curitiba, PR, junho, 2017.

FERREIRA, J. A.; ANJOS, L. A. Aspectos de saúde coletiva e ocupacional associados à gestão dos resíduos sólidos municipais. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, n. 17, v. 3, mai./jun., 2001.

FIGUEIREDO, A. S. M. Os fazeres da Educação Ambiental nas escolas da Baixada Fluminense (RJ): um estudo sobre suas práticas e suas concepções. 2011. 119f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências). Instituto Federal de Educação e Ciência do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011.

FONSECA, M. V. A. Rede 5R’s: uma inovação de contexto no desenvolvimento de produtos e serviços a partir de rejeitos industriais no Brasil. In. Seminário Nacional sobre Reuso/Reciclagem de Resíduos Sólidos Industriais, São Paulo. Anais... São Paulo: Secretaria de Estado de Meio Ambiente de SP / Cetesp, 2000.

FONSECA, M. V. A.; CAMPOS, T. R. T. Rede 5Rs: a base estratégica para operacionalização da Política Nacional de Resíduos Sólidos, no âmbito industrial. In: XXXII Encontro Nacional de Engenharia de Produção, Bento Gonçalves. Anais... Bento Gonçalves, RS, outubro, 2012.

GOUVEIA, I. A. Diagnóstico dos resíduos sólidos no Shopping Center Iguatemi de Campina Grande-PB e uma proposta de implantação da coleta seletiva de tais resíduos. Universidade Estadual da Paraíba, João Pessoa, 2003.

GUIMARÃES, M. A Formação de educadores ambientais. Campinas, São Paulo: Papirus. 2004.

HANAI, F. Y.; NETTO, J. P. S. Percepção e conscientização ambientais: alternativas para a preservação das cavidades naturais do Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (Petar). Simpósio Nacional sobre Geografia, Percepção e Cognição do Meio Ambiente. Anais... Londrina, 2005.

JACOBI, P. R; BESEN, G. R. Gestão de resíduos sólidos em São Paulo: desafios da sustentabilidade. Estudos avançados, v.25, n.71, p. 135-158, 2011.

LIMA, W. Aprendizagem e classificação social: um desafio aos conceitos. Fórum Crítico da Educação: Revista do ISEP/Programa de Mestrado em Ciências Pedagógicas. v. 3, n. 1, out., 2004.

LOUREIRO, C. F. B. Educação Ambiental e movimentos sociais na construção da cidadania ecológica e planetária. In: LOUREIRO, C.F.B; LAYRARGUES, P.P.; CASTRO, R.S. (orgs). Educação Ambiental: repensando o espaço da cidadania. 5ª Ed. São Paulo: Cortez, 2011.

MACEDO, R.L.G. Percepção e Conscientização Ambientais. Lavras: UFLA – Universidade Federal de Lavras/ FAEPE – Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão, 2000.

MORAIS, J.L. Estudo da potencialidade de Processos Oxidativos Avançados, isolados e integrados com tratamentos biológicos convencionais, para tratamento de chorume de aterro sanitário, 2015. 205f. Tese (Doutorado em Química). Universidade Federal do Paraná – UFPR, Curitiba, 2005.

MOREIRA, M. A Aprendizagem significativa subversiva. III Encontro Internacional sobre Aprendizagem Significativa. Anais... Lisboa, pp. 33-45, 2000.

NEGRE, T.S.; RABELO, M.V., SOUSA, G.E, SILVA, A.M, SILVA, G.A. Sensibilização ambiental: o caso do terraquarium em uma IES na cidade de Palmas/TO. Palmas, 2011.

NUNES, E. R. M. A Formação da Consciência Ecológica Através da Educação Ambiental. Cartilha de Licenciamento Ambiental, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis. 2 ed., Brasília, 2007.

REIGOTA, M. Meio ambiente e representação social. 8ª edição. São Paulo: Cortez, 2010.

RIBEIRO, F. Responsabilidade pós-consumo na política de resíduos sólidos: visão, estratégia e resultados até o momento no Estado de São Paulo. In: ABRELPE: Conexão Academia. 2012.

ROCHA, M. B.; SANTOS, N. P.; NAVARRO, S. S. Gestão de resíduos sólidos e educação ambiental: análise da percepção de estudantes do curso superior de Tecnologia em Gestão Ambiental. Revista Tecnologia & Cultura, Rio de Janeiro, nº 13, jul./dez., 2011.

ROMEIRO, A. R. Economia ou economia política da sustentabilidade? Texto para Discussão. IE/UNICAMP, Campinas, n. 102, set. 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236499437041

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Indexações e Bases Bibliográficas