OS ÍNDICES DE REPRESENTAÇÃO DO RELEVO COMO SUPORTE PARA O ZONEAMENTO AMBIENTAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO – ESTUDO DE CASO DA FLORESTA NACIONAL DE IRATI

Ronaldo Ferreira Maganhotto, Marciel Lohmann, Luis Cláudio de Paula Souza, Leonardo José Cordeiro Santos

Resumo


A presente pesquisa propôs a utilização dos Índices de Representação do Relevo como suporte na determinação do Zoneamento Ambiental. De posse dos índices e de uma proposta de zoneamento (baseada no uso do solo) da área, realizou-se a Tabulação Cruzada, demonstrando a (in)compatibilidade entre as Classes Limitantes (resultante dos índices) e a tipologia de atividades previstas para as Classes de Zoneamento. O cruzamento destas informações mostrou coerência, entre as atividades e grau de fragilidade nas Zonas de Uso Publico, Especial, de Conservação, de Uso Restrito e Intangível. No entanto, a retirada da cobertura vegetal, prevista para a Zona de Manejo, pode desencadear problemas erosivos, devido suas condições clinográficas e pedológicas.

Texto completo:

PDF

Referências


ARRUDA, M. B. et. al. Roteiro metodológico para gestão de áreas de proteção ambiental – APA. Brasília: IBAMA, 2001.

BERTONI, J; LOMBARDI NETO, F. Conservação do solo. São Paulo: Ícone, 1990. 355p.

BEZERRA, M. Planejamento de unidades de conservação. In: Oficina de plano de manejo – módulo I. Florianópolis: IBAMA, 2004.

BLASZCZYNSKI, J. S. “Landform characterization with Geographic Information Systems”. Photogr. Cong. Remote Sens., v. 63, p. 183-191, 1997.

BÖHNER, J.; KÖTHE, R.; CONRAD, O.; GROSS, J.; RINGELER, A.; SELIGE, T. “Soil Regionalization by Means of Terrain Analysis and Process Parameterisation”. In: MICHELI, E.; NACHTERGALE, F.; MONTANARELLA. L. (Ed.). Soil Classification 2002. European Soil Bureau – Research Report, n. 7, EUR 20398 EN, Luxembourg, p. 213-222, 2002.

BRASIL. Lei n. 9.985, de 18 de julho de 2000. Institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação do Brasil (SNUC). Brasília: Senado Federal, 2000. Disponível em: . Acesso em: 21/8/2012.

CHAGAS, A. L. G. A. Roteiro metodológico para a elaboração de plano de manejo para florestas nacionais. Brasília: IBAMA, 2003.

DOUROJEANNI, M. Plano de manejo I, 2 de setembro de 2005. Disponível em: http://www.oeco.com.br/marc-dourojeanni/16368-oeco_13689. Acesso em: 02/12/2010.

FERREIRA, L. M. et. al. Roteiro Metodológico para elaboração de Plano de Manejo para reservas Particulares do Patrimônio Natural. Brasília: IBAMA, 2004.

GALANTE, M. L.V.; BESERRA, M. M. L.; MENEZES, E. O. Roteiro metodológico de planejamento: Parque Nacional, Reserva Biológica e Estação Ecológica. MMA / IBAMA, Edições IBAMA, 2002. Disponível em: www.ibama.gov.br. Acesso em: 20/08/2006.

GALLANT, J. C.; WILSON, J. P. “Primary topographic attributes”. In: WILSON, J. P.; GALLANT, J. C. (Eds.). Terrain Analysis: Principles and applications. New York: John Wiley, 2000.

GILES, P. T.; FRANKLIN, S. E. An automated approach to the classification of the slope units using digital data. Geomorphology, Amsterdam, v.21, p.251-264. 1998.

GONÇALVES, A. R.; FERNANDES, C. H. V.; PENTEADO, D.; VELOSO, V. Roteiro metodológico para a elaboração de plano de manejo para florestas nacionais. Brasília: ICMBio, 2009.

GRUBER, S.; PECKHAM, S. “Land-surface parameters and objects in hydrology”. In: HENGL, T.; REUTER, H.I. (Eds.). Geomorphometry - Concepts, Software, Applications. Amsterdam: Elsevier, 2009.

GUERRA, A.J.T.; CUNHA, S.B. da. Geomorfologia uma Atualização de Bases e conceitos. Rio de Janeiro: Bertrand do Brasil, 1994.

HUDSON, B. D. “The soil survey as a paradigm-based science”. Soil Science Society of America Journal, v. 56, p. 836-841, 1992.

ICMBio. Banco de Dados - Diretoria de Criação e Manejo de Unidades de Conservação. Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, 2012.

IPPOLITI, R. G. A.; COSTA, L. M.; SCHAEFER, C. E. G. R.; FERNANDES FILHO,E. I.; GAGGERO, M. R.; SOUZA, E. “Análise digital de terreno: Ferramenta na identificação de pedoformas em microbacia na região de “mar de morros” (MG)”. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, v. 29, n. 2, p. 269-276, 2005.

LEPCH, I. F. (Coord.). Manual para levantamento utilitário do meio físico e classificação de terras no sistema de capacidade de uso. 4ª aproximação, 2ª. Imp. rev. Campinas: Sociedade Brasileira de Ciências do Solo, 1991.

LIN, H.S.; KOGELMANN, W.; WALKER, C.; BRUNS, M.A. “Soil moisture patterns in a forested catchment: A hydropedological perspective”. Geoderma, v. 131, p. 345-368, 2006.

MAGANHOTTO, R. F.; SANTOS, L. J. C. dos; SOUZA, L. C. de P. Miara. M. A.; LEMES, P. H. S. “A aplicação dos Índices de Representação do Relevo como ferramenta de suporte no planejamento ambiental de unidades de conservação”. Revista Geografar, v. 8, n. 2, p. 205 – 236, Curitiba, 2013.

MAGANHOTTO, R. F. A Utilização dos Índices de Representação do Relevo como Suporte ao Zoneamento Ambiental de Unidades de Conservação: Estudo de Caso Floresta Nacional de Irati. 2013.Tese (Doutorado em Geografia). Programa de Pós Graduação em Geografia. UFPR, Curitiba – PR.

MANSOR, M.T.C.; FERREIRA; L.; ROSTON, D.M.; TEIXEIRA FILHO J. Parâmetro para avaliação do potencial de risco de erosão. In: Simpósio Regional De Geoprocessamento E Sensoriamento Remoto, I., 2002. Anais... Aracaju/SE, 17 e 18 de outubro de 2002.

MARQUES, A. C.; NUCCI, J. C. “Planejamento, Gestão e Plano de Manejo em Unidades de Conservação”. Revista Ensino e Pesquisa, v. 4, p. 33-39, União da Vitória, 2007.

MASSAD, E.; MENEZES, R. X.; SILVEIRA, P.S.P.; ORTEGA, N.R.S. Métodos quantitativos em Medicina. São Paulo: Manole, 2004.

MAZZA, C. A. da S. Caracterização da paisagem da Microregião Colonial de Irati e zoneamento da Floresta Nacional de Irati, PR. São Carlos: UFSCar, 2006, 147p.

McHARG, I. L.. Proyectar com la Naturaleza. Barcelona: Editorial Gustavo Gili, SA, 2000. 198p.

MCKENZIE, N. J.; GALLANT, J. C. “Digital soil mapping with improved environmental predictors and models of pedogenesis”. Developments in Soil Science, v. 31, 2007.

MCKERGOW, L.A.; GALLANT, J.C.; DOWLING, T.I. “Modelling wetland extent using terrain indices, Lake Taupo”, NZ. In: International Congress on Modelling and Simulation, Christchurch, 10-14 December 2007.

MIARA, M. A. Planejamento e gestão de unidade de conservação: proposta de modelo metodológico. 2011.Tese (Doutorado em Geografia) - Programa de Pós Graduação em Geografia. UFPR, Curitiba – PR.

MOORE, I. D.; GESSLER, P. E.; NIELSEN, G. A.; PETERSON, G. A. “Soil attribute prediction using terrain analysis”. Soil Science Society of America Journal, Madison, v. 57, n. 2, p. 443-452, 1993.

NETO, P.V. Estatística descritiva: Conceitos básicos. São Paulo, 2004.

NOWATZKI, A. A utilização de atributos topográficos no mapeamento preliminar de solos da Bacia Hidrográfica do Rio Pequeno, Antonina/PR. 2013. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Programa de Pós Graduação de Geografia. UFPR, Curitiba – PR

PABLO, C. T. L. de. “Cartografia ecológica: conceptos e procedimientos para la representación espacial de ecossistemas”. Boletin da Real Sociedad Española de la Historia Natural Seción Geológica, Madri, v. 96, n. 1/2, p. 57-68, 2000.

PRATES, V. Utilização de índices para representação da paisagem como apoio para levantamento pedológicos em ambiente de geoprocessamento. 2010. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Programa de Pós Graduação em Ciências do Solo, UFPR, Curitiba – PR,

RODRIGUES, E. et. al. Plano de Manejo de uso múltiplo das Reservas Extrativistas Federais. Brasília: IBAMA, 2004.

SAATY, T. L.; VARGAS, L.G. Prediction, Projection and Forecasting. Kluwer Academic Boston, MA, USA, 1991.

SANTOS, R. F. dos. Planejamento ambiental: teoria e prática. São Paulo: Oficina de Textos, 2004.

SILVA, J. S. V. da; SANTOS, R. F. dos. “Zoneamento para planejamento ambiental: Vantagens e restrições de métodos e técnicas”. Cadernos de Ciência e Tecnologia, Brasília, v. 21, n. 2, p.221-263, maio/ago. 2004.

SILVEIRA, C. T. Análise digital do relevo na predição de unidades preliminares de mapeamento de solos: Integração de atributos topográficos em Sistemas de Informações Geográficas e redes neurais artificiais. 2010. Tese (Doutorado em Geografia) - Programa de Pós Graduação de Geografia. UFPR, Curitiba – PR.

SOUZA, L. C de P.; SIRTOLI, A. E.; LIMA, M. R.; DONHA, A. G. “Estudo do Meio Físico na Avaliação de Bacias Hidrográficas Utilizadas como Mananciais de Abastecimento”. In : ANDREOLI, C. V.; CARNEIRO, C. Gestão Integrada de Mananciais de Abastecimento Eutrofizados. Curitiba: SANEPAR – Finep, 2005. 500 p.

WEBER, E. J.; HASENACK, H.O Uso do SIG no Ensino de Ciências Ambientais. In: Congresso e Feira para Usuários de Geoprocessamento da América Latina, V., 1999, Salvador/BA. Anais... Salvador/BA, 1999.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236499422036

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Indexações e Bases Bibliográficas