Representações do patrimônio na geografia escolar: o imaginário da festa religiosa cearense no Ensino Médio.

Christian Dennys Oliveira, Francisco John Lennon Alves Paixão Lima, Icla Tamara Alves Carneiro

Resumo


O estudo consistiu-se da associação temática de localidades capazes de formar uma rede de santuários (centros de peregrinação, visitação e difusão do catolicismo) com os aspectos culturais de seu entorno no ensino-aprendizagem da Geografia Escolar. Seu objetivo trabalha o seguinte questionamento: os santuários cearenses projetam uma imagem de bens culturais e ambientais decisivos para a consolidação de uma Educação Patrimonial? O elemento fundamental de tal investigação é sintetizado na festa religiosa. A partir dela se inicia a procura pela interpretação da festa religiosa na prática pedagógica do professor de geografia e na percepção dos discentes acerca do patrimônio cultural que tende a ser marginalizado na organização dos conteúdos curriculares da disciplina geográfica.

 

Palavras-chave: Educação Patrimonial, Festa religiosa, Currículo de Geografia.

 

DOI: 10.5902/2236499412497


Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Maria Geralda de. Cultura, turismo e identidade. In: SILVA, José B.; lima, Luis Cruz; ELIAS, Denise (orgs.). Panorama da Geografia brasileira 1. São Paulo: Annablume, 2006. . p109-122.

AMARAL, Rita. As mediações culturais da festa à brasileira. In: TAE – Trabalhos de Antropologia e Etnologia - Revista inter e intradisciplinar de Ciências Sociais, vol. 40 (1-2). Sociedade Portuguesa de Antropologia e Etnologia, Porto, 2000.

BACHELARD, G. A Formação do Espírito Científico. São Paulo: Contraponto, 2008.

BECKER, Howard. Segredos e Truques da Pesquisa. Rio de Janeiro: Zahar, 2007.

CABRAL, C. B. Património Cultural Imaterial: convenção da UNESCO e seus contextos. Lisboa: Arte&Comunicação 98, 2011.

CASTRO, Iná Elias. Do imaginário tropical a política: a resposta da geografia brasileira à história da maldição. Scripta Nova Revista Electrónica de Geografía y Ciencias Sociales. Universidad de Barcelona. ISSN: 1138-9788. Depósito Legal: B. 21.741-98 Vol. X, núm. 218 (11), 1 de agosto de 2006.

CLAVAL, Paul. Geografia Cultural. Florianópolis. UFSC. 1999.

CUENCA, J.M. El patrimonio en la Didáctica de las Ciencias Sociales: Concepciones, dificultades y obstáculos para su integración en la enseñanza obligatoria. Tesis doctoral. UHU, 2002.

DARDEL, Eric. O Homem e A Terra. Natureza da realidade geográfica. São Paulo: Ed Perspectiva, 2011.

DI MEO, Guy. Le sens géographique des fêtes. In: Annales de Géographie. 2001, t. 110, n°622. P. 624-646. Disponível em:

http://www.persee.fr /web/revues/home/prescript/article/. Acesso em 24 de fev. de 2013.

ESPINA BARRIO Angel; MOTTA Antonio, GOMES Mario H. (orgs.). Inovação Cultural, Patrimônio e Educação.Centro de Estudios Brasileños. USAL. 2005. Disponível em:

http://campus.usal.es/~iiacyl/MAI/images/publicaciones/livro%20. Acesso em 12 de dez./2012.

ESTEPA, J.; DOMÍNGUEZ, C; CUENCA, J.M. La enseñanza de valores a través del patrimonio in: Los valores y la Didáctica de las Ciencias Sociales. Zaragoza, Universidad de Lleida- AUPDCS, 1998.

FERRARA, Lucrécia. D’A. Comunicação, Espaço e Cultura. São Paulo, Annablume, 2008.

FONTAL MERILLAS, Olaia. La educación patrimonial: teoría y práctica en el aula, el museo e internet. Gijón, Ediciones Trea SL, 2003.

GRUNBERG, Evelina. Manual de atividades práticas de educação patrimonial Brasília-DF: IPHAN, 2007.

HERVIEU-LERGER, Daniele. O peregrino e o convertido: a religião em movimento. Petrópolis: Ed. Vozes, 2008.

HOLZER, W. A Geografia Cultural e a História: Uma Leitura a partir da Obra de David Lowenthal. in Espaço e Cultura, Uerj, RJ, nº. 19-20, p. 23-32, jan./dez. de 2005.

HORTA, Mª de Lourdes Pereira. Memória, Patrimônio e Identidade. Ministério da Educação. 2005.

JUNQUEIRA, S. (Orgs). O sagrado: fundamentos e conteúdos do ensino religioso. Curitiba: Ibpex, 2009.

LICERAS RUIZ, Ángel. Dificultades en el Aprendizaje de las Ciencias Sociales: Una perspectiva psicopedagógica. Granada: Grupo Editorial Universitario, 1997.

MACIEL,Caio Augusto A. Metonímias geográficas: imaginação e retórica da paisagem do semi-árido pernambucano. Anu. Inst. Geocienc., 2004, vol.27, p.100-101. ISSN 0101-9759.

MARTINS, Heloisa Helena T. de Souza. Metodologia qualitativa da pesquisa. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/ep/v30n2/v30n2a07.pdf> Acesso em 28 de fev/2013.

MATTOZZI, I. La didáctica de los bienes patrimoniales: a la búsqueda de una definición. ESTEPA GIMÉNEZ, J; DOMINGUEZ, C; CUENCA LÓPEZ, J.M.. Museo y Patrimonio en la didáctica de las Ciencias Sociales. Huelva, Universidad de Huelva. 2001

OLIVEIRA, Christian D. M. de. Sentidos da Geografia Escolar. Fortaleza, Edufc, 2010.

PAIVA, Rita. Gaston Bachelard. A Imaginação na Ciência, na Poética e na Sociologia. São Paulo: Annablume. Fapesp, 2005.

PELEGRINI, Sandra C. A. Patrimônio Cultural: Consciência e Preservação. São Paulo: Brasiliense, 2011.

POULOT, D. Uma história do patrimônio no Ocidente, séculos XVIII-XXI: do monumento aos valores. São Paulo: Estação Liberdade, 2009.

QUEROL, María A. Manual de Gestión del Patrimonio Cultural. Madrid: Akal textos, 2010.

RAUTENBERG, Michel La Rupture Patrimoniale, Paris A LA CROISEE Coleção: Ambiance Ambiance, 2003.

REZENDE, A. M. Uma concepção fenomenológica da Educação. São Paulo, Cortez, 1990.

ROSENDHAL, Zeny. O sagrado e o urbano: gênese e função das cidades. In Espaço e Cultura. Rio de Janeiro: EdUERJ / NEPEC. 1996.

RUIZ, Castor M. M. Bartolomé. Os Paradoxos do Imaginário.São Leopoldo, Ed. Unisinos. 2004.

SÁ, Celso Pereira de. Núcleo Central das Representações Sociais. Petrópolis. Vozes. 2002.

SANTOS, Maria G. M. P.. Espiritualidade, Turismo e Território: estudo geográfico de Fátima. ed. 1, ISBN: 972-8818-76-9. Lisboa: Principia, 2006.

TRIVINHO, Eugenio. A dromocracia cibercultural: Lógica da vida humana na civilização mediática avançada. São Paulo: Paulus, 2007.

VICENT BOIRA, Josep; REQUES, Pedro; MANUEL SOUTO, Xosé. Espacio Subjetivo y Geografía: Orientación teórica y praxis didáctica. Valencia: Nau Libres, 1994.




DOI: https://doi.org/10.5902/2236499412497

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Indexações e Bases Bibliográficas